Header Ads

Eliminado, mas classificado


(Foto: Cleberson Silva/Chapecoense)
O título pode causar estranheza para quem ainda não conhece muito bem o regulamento das atuais competições nacionais, principalmente da Copa do Brasil. Isso porque as equipes que garantiram vaga na Copa Sul-Americana através da classificação no Brasileirão só entram na disputa caso não avancem às oitavas de finais da Copa do Brasil. Caso os clubes que terminaram entre o 6° e o 11° lugar passem de fase, as vagas são distribuídas para quem terminou nas posições abaixo. Foi assim que a Chapecoense garantiu, pelo segundo ano consecutivo, presença na competição internacional.

Desde a estreia contra o Princesa do Solimões, Guto Ferreira, até então no comando da equipe, resolveu utilizar um time reserva, preservando os titulares para a disputa do Brasileirão, principal objetivo do clube em 2016. Após perder na partida de ida por 2x1, levando o segundo jogo para Chapecó, o Verdão, mesmo jogando mal, garantiu a vitória por 2x0 e a classificação para a segunda fase contra o Paraná. No duelo contra os Paranaenses, novamente uma escalação reserva e repetição no placar, tanto no jogo da ida, quanto no da volta.

A vitória por 2x0 marcou mais uma página na história do Verdão, já que pela primeira vez avançou para a terceira fase da Copa do Brasil, enfrentando outra equipe do estado vizinho, o Atlético-PR. No jogo de ida na última quinta-feira (21) na Arena da Baixada, agora sob comando de Caio Júnior, o Verdão segurou o Furacão com uma mescla de titulares e reservas, empatando em 0x0 e obrigando a equipe a vencer jogando na Arena Condá. Qualquer empate com gols garantia a classificação dos Paranaenses.

Nesta quarta-feira (27), novamente com uma equipe mista, o Verdão não tomou conhecimento do adversário e abriu o placar logo aos 4 minutos com o atacante Lucas Gomes. Com o time se impondo na primeira etapa, a Chapecoense só não ampliou o marcador porque Weverton salvou os rubro-negros nas finalizações de Rangel e de Hyoran. Já no segundo tempo, o Atlético precisando de pelo menos um gol para se classificar, partiu para cima da Chape, que apenas se defendia. A pressão durou pouco tempo, já que, aos 11 minutos, após falha da zaga, Walter livre de marcação dominou e chutou forte, sem chances para Danilo.

O empate classificava os visitantes, Caio Júnior então chamou Martinuccio e sacou o lateral Gimenez. Porém, o Verdão não se encontrava na partida, tanto que quem esteve mais próximo do segundo gol foi o Furacão. Os minutos finais foram de pressão verde e branca, mas sem qualidade nas finalizações e criações de jogada, levava pouco perigo a meta de Weverton. O Atlético gastava tempo e aguardou o apito final do árbitro aos 50 minutos para comemorar a classificação para as oitavas de final.

A Chapecoense não tem do que lamentar, foi eliminada com a cabeça erguida, segurou o Atlético jogando com o que tem de melhor na partida de ida e só não saiu com a vitória por azar do destino. Como brinde, ganhou a vaga na Copa Sul-Americana, na qual fez história em 2015 ao eliminar o Libertad e por muito pouco não eliminar o River Plate.

Na edição 2016, o primeiro adversário é brasileiro. Pouco conhecido dos torcedores, a equipe do Cuiabá, que garantiu vaga ao ser campeão da Copa Verde, enfrentará a Chape. Quem avançar deve preparar o passaporte para a Argentina, já que o adversário das oitavas será Lanus ou Independiente.

É hora de esquecer Copa do Brasil e Copa Sul-Americana, o foco total é no Campeonato Brasileiro, buscando o objetivo que é escapar o quanto antes do rebaixamento. No próximo domingo, o Verdão viaja para São Paulo, onde enfrenta o tricolor paulista, às 11h, no Morumbi.

Marcelo Weber ||

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.