Header Ads

Equilibrio até no placar

No famoso “jogo de seis pontos” Figueirense e Chapecoense entraram no gramado do Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, neste domingo (17), buscando fugir da temida zona de rebaixamento. Em partida marcada pelo equilíbrio, a forte marcação e cheio de erros de passes, o empate em 1x1 mantém as equipes próximas do Z4.

Dener empatou a partida na segunda etapa. (Foto: Cleberson Silva)
Pelo lado da Chapecoense, Caio Júnior comandou a equipe em três partidas, mas já vive momentos de pressão, com uma vitória e duas derrotas, a proximidade com o rebaixamento deixava em alerta e jogava toda pressão para o duelo diante dos Alvinegros. Com Thiego expulso contra o Corinthians, o treinador teve que mudar pela quarta vez a defesa do Verdão, que atualmente é a segunda pior da competição ao lado do Sport, Filipe Machado fez sua estreia, já Silvinho contundido deu lugar a Arthur Maia. As outras alterações foram por opções técnicas, Gil foi deslocado para a lateral direita, e Kempes ganhou mais uma chance como titular, com isso Gimenez e Bruno Rangel foram para o banco de reserva.

O duelo ainda marcou pelo reencontro de Chapecoense e o técnico Argel, que reassumiu na terça-feira o comando do Figueirense. A rivalidade é fruto de uma discussão entre o treinador e o presidente do Verdão Sandro Pallaoro.

Com a bola rolando, um primeiro tempo de muita marcação e muitos erros de passes. Pressionados por estar na zona de rebaixamento, os donos mantiveram maior posse de bola, enquanto o Verdão tentava segurar a pressão inicial, e ainda sofreu uma baixa logo no inicio da partida, quando Arthur Maia sentiu um desconforto muscular, e teve que deixar o gramado, dando lugar a Lucas Gomes.

Sem muita inspiração ofensiva de ambas as equipes, as duas melhores oportunidades foram dos Alvinegros, na primeira Rafael Moura se antecipou a zaga no cruzamento e desviou, Marcelo Boeck saiu mal do gol, mas a bola passou por cima da meta.

Na segunda oportunidade, após cobrança de escanteio, Filipe Machado colocou a mão na bola e o árbitro Sandro Meira Ricci marcou pênalti, o atacante alvinegro foi para a cobrança e não desperdiçou, deslocou Marcelo Boeck e abriu o placar no Orlando Scarpelli.

O resultado pressionava ainda mais o Verdão, que teve que sair para o jogo na segunda etapa, enquanto os donos da casa, adotaram uma postura defensiva, tentando segurar o placar e saindo nos contra-ataques.

Assim, o Figueirense chamou a Chape para cima, e o resultado veio aos 25 minutos, quando Lucas Gomes passou por Marquinhos Pedroso e cruzou para Dener, que de perna direita bateu colocado no canto de Thiago Rodrigues, empatando o placar.

O gol do Verdão fez o técnico Argel abrir novamente a equipe, que teve duas grandes oportunidades de novamente ficar a frente do marcador. Na primeira Rafael Moura recebeu na área e chutou forte, Marcelo Boeck fez bela defesa e salvou. Na segunda tentativa, foi a vez da trave salvar, Rafael Silva girou dentro da área e soltou a bomba, que explodiu no travessão de Boeck.

Precisando vencer, a Chapecoense não ficou satisfeita com o empate, e também teve duas grandes chances de sair vencedor. Kempes cruzou, Ananias de carrinho não conseguiu acertar o alvo, a bola voltou nos pés do centroavante, que ganhou da defesa e cruzou novamente Lucas Gomes chutou mal e desperdiçou a oportunidade. Logo após, de novo Lucas Gomes recebeu sozinho de Kempes, mas sem conseguir finalizar a gol, perdeu grande chance e manteve o empate até o apito final do árbitro.

O ponto conquistado manteve o Verdão em 13° lugar, com 16 pontos, quatro a mais que o Sport, primeira equipe que abre a zona de rebaixamento. O Verdão volta a campo pelo Brasileirão no próximo domingo (24), quando receberá na Arena Condá, o Botafogo, às 16h. Antes viaja para Curitiba na quinta-feira (21), para enfrentar o Atlético Paranaense na primeira partida da terceira fase da Copa do Brasil, na Arena da Baixada, às 21h.

Na partida deste domingo, a Chapecoense soube se impor quando precisou, buscou a forte marcação para neutralizar a pressão evidente dos Alvinegros. Em um erro infantil, sofreu o gol de pênalti nos minutos finais do primeiro tempo, já na segunda etapa, voltou a campo em busca do resultado, a entrada do argentino Martinuccio, deu mais qualidade no passe e ajudou em muito para o empate, que saiu dos pés do lateral esquerdo Dener.

Em relação às alterações na equipe titular, o zagueiro Filipe Machado substituiu o suspenso Thiego, esteve bem durante quase toda a partida, seu único erro fatal, foi colocar a mão na bola, o que resultou no gol de Rafael Moura. Com a volta de Josimar, e com Sérgio Manoel sendo constantemente elogiado por Caio Júnior, sobrou para o lateral direito Gimenez, como isso Gil foi deslocado para a lateral, que rendeu pouco na partida jogando na lateral, mas tem qualidade e é um jogador polivalente. Arthur Maia teve uma tarde infeliz, sentiu um desconforto e teve que deixar o campo logo aos 14 minutos de partida, Lucas Gomes ganhou a oportunidade, mas segue com problemas sérios na finalização, teve a chance de virar a partida, mas jogou para fora. Por último a troca que sofreu mais modificação tática foi a entrada de Kempes no lugar do artilheiro Bruno Rangel, que não marca a sete partidas, ambos possuem características distintas, enquanto Rangel fica centralizado na área esperando a bola para finalizar, Kempes sai mais para o jogo, ajuda na marcação, se lança muitas vezes como ponta.

A partida do próximo domingo é de suma importância para o Verdão, por se tratar de um concorrente direto, e pelo fator de jogar dentro da Arena Condá. O torcedor precisa não apenas comparecer, mas precisa apoiar, jogar junto com a equipe, para afastar o temido rebaixamento.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.