Header Ads

Próxima parada: Oitavas de final

Habituado a ganhar o campeonato, o Maior de Minas superou todos os obstáculos e mais uma vez está na oitava de final da Copa do Brasil e apenas o penta nos interessa, será que seria errado começar a sonhar?

Se a Raposa tivesse a mesma postura no Brasileirão, sem dúvida estaríamos em uma posição mais confortável, mas por um milagre divino o Cruzeiro fez o mínimo e se impôs dentro de casa.

A Raposa mereceu ir para as oitavas pelo futebol eficiente, pois não bastava apenas vencer, teria que convencer. E o melhor conseguimos ver mudanças no time ontem, a zaga estava mais segura, o ataque e a qualidade de finalização estavam outro nível.

@Cruzeiro
No placar agregado, o Cruzeiro somou 4x2, vencendo o time baiano no jogo de ida e volta por 2x1. Os gols da partida foram marcados por Bruno Ramires, que fez seu primeiro tento como profissional e durmam com essa ele também consagrou o gol de número 400 no novo Mineirão, é aquela velha história: Critica que faz gol, o segundo gol foi marcado pelo monstro Ramon Ábila.

O Cruzeiro aguarda o sorteio para saber quem será seu próximo adversário, que será realizado pela CBF.

Sobre o jogo:

O Cruzeiro tinha como objetivo aumentar a vantagem construída e o Vitória queria atrapalhar a comemoração celeste, entretanto o Time do Povo não se acomodou com o privilégio da vantagem e foi em busca do primeiro gol.

Adotando um esquema mais ofensivo, a equipe tinha mais oportunidade de balançar as redes com Ábila, Rafael Sóbis, até Lucas e Edimar tentaram, mas das duas uma ou Ábila estava impedido ou tínhamos o azar da bola não entrar.

O gol do time celeste foi marcado aos 22’ depois de tanta insistência, porém é que ninguém esperava que Bruno Ramires fosse balançar as redes, a expectativa era Sóbis fazer o gol e na realidade foi o Ramires, mas o importante foi o gol e fim.

O time baiano chegou assustar o Cruzeiro aos 36’ com jogada que teve inicio com Diego Renan e se aproximou novamente com perigo aos 41’ com Marinho, mas o Capitão Cruzeirense estava bem posicionado.

@Cruzeiro
Para a segunda etapa o que não faltou foi emoção, o time azul e branco não queria perder tempo e encontrou o segundo gol, ainda nos minutos iniciais da etapa complementar, após um passe perfeito de Arrascaeta para Ábila que driblou a zaga e atirou uma bomba, sem chances para o goleiro baiano. Senhoras e Senhores cuidado, o monstro foi solto da jaula.

Após o gol, o time estrelado apenas administrava o resultado, entretanto o Cruzeiro diminuiu o ritmo de jogo, valorizando a posse de bola e a boa marcação, as melhores chances ainda eram da Raposa.

Mas como já virou rotina marcar penalidade máxima nos confrontos entre Cruzeiro e Vitoria, no duelo de ontem não foi diferente, três confrontos e três pênaltis.

Diego Renan para a cobrança, e para felicidade dos torcedores cruzeirenses, o capitão defendeu o pênalti e se consagrou o herói do jogo. O Cruzeiro dormiu por quatro minutos e foram os minutos que o Vitória resolveu jogar. E uma pergunta que não quer calar: Qual o problema do Cruzeiro com o segundo tempo?

Nesse tempo de inércia, Marinho aproveitou e chutou cruzado, e dessa vez, Fábio nada conseguiu fazer.

Enquanto a partida se encaminhava para o final, o time azul e branco teve uma chance inacreditável com Rafinha e Ábila, para começar Ábila acertou a trave e no rebote Rafinha parou no travessão novamente, alguém, por favor, tire aquela trave.

E assim que o juiz apitou o fim da partida, os torcedores voltaram a respirar, os batimentos cardíacos começam a normalizar e conseguimos classificação, vitória (dentro da Toca III), semana feliz para os cruzeirenses e que essa felicidade continue até domingo.

Paula Fernandes - @Paulinha_CEC

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.