Header Ads

Sem caô, Flamengo busca o simples para seguir na luta pelo G4

Fotos: Giuliano Gomes / PR Press
 Não foi uma vitória fácil. Apesar dos dois gols marcados, o Flamengo precisou driblar os próprios problemas e conseguiu, com apenas cinco finalizações durante dos 90 minutos, acabar com o frágil Coritiba fora de casa. Assim como no jogo diante do América-MG, o rubro-negro apresentou dificuldades que precisam ser corrigidas, mas que, diferente do que acontecia em outros momentos, têm soluções no próprio elenco.

O Flamengo teve três ausências além de Rodinei, Ederson e Emerson Sheik, que seguem fora por lesão. Jorge sentiu dores ainda no aquecimento no último jogo e ficou fora novamente; Réver, que tem atuado bastante desde que chegou, foi poupado e deu lugar a Rafael Vaz; Héctor Canteros foi emprestado durante a semana e não fará mais parte do elenco.

Logo quando a escalação foi divulgada, observamos alguns pontos importantes no banco. Prontos para jogar, Leandro Damião e Alejandro Donatti apareceram entre os suplentes pela primeira vez. Fernandinho, desastroso contra o América e em quase todas as chances que teve, voltou para a reserva e deu lugar a Everton. Marcelo Cirino, que sentiu as costas semana passada, estava relacionado novamente.

Em tarde muito inspirada de Rafael Vaz e com movimentação grande de Guerrero, o Flamengo sofreu para conseguir criar chances contra o Coritiba. Além de ter um meio-campo oscilando muito, as laterais sofreram bastante, principalmente o lado de Chiquinho, e também não foram eficientes. Enquanto o ataque não conseguia nada e a defesa se colocava em situações ruins, o Mais Querido viu um adversário com muitos problemas e que não soube aproveitar as falhas para marcar.

Após um primeiro tempo bem fraco, a etapa final melhorou bastante e o Flamengo começou a mostrar que não sairia de Curitiba sem sua quarta vitória em quatro jogos no Couto Pereira. Aos 6 minutos, Mancuello deu um passe espetacular para Guerrero, que esperou o tempo certo e mandou direto para o fundo da rede, colocando 1 a 0 no placar.

Fotos: Giuliano Gomes / PR Press
Precisamos falar sobre Paolo Guerrero. O peruano vivia um momento extremamente ruim, em uma má fase que fez muita gente questionar se o investimento havia sido a maior burrada da atual gestão rubro-negra. Porém, entre a decepção e o fim do caô surgiu uma Copa América Centenário. Guerrero voltou com outro espírito, uma leveza de dar inveja e uma vontade de provar seu valor que há muito a torcida esperava. Desde seu retorno, foram seis jogos, quatro gols e duas assistências, chutando o velho caô para bem longe.

Depois de sofrer o gol, o Coritiba se lançou inteiro para o ataque e o Flamengo começou a precisar muito de Rafael Vaz. Foi então que o capitão Juan sentiu dores na panturrilha e foi substituído pelo estreante Donatti, que fez uma partida consistente e deu mais segurança na zaga. Atualmente, o rubro-negro tem quatro zagueiros fortes e eficientes, o que dá a Zé Ricardo diversas opções muito boas e que podem mudar de acordo com o adversário.

Foi do banco de reservas que saiu o gol da vitória. Marcelo Cirino, aos 17 minutos, e Cuéllar, aos 37', entraram para mudar a característica da equipe e, já nos minutos finais da partida, colocaram o 2 a 0 no placar. O camisa 26 deu um passe incrível e deixou o criticado Cirino na cara do goleiro, ele não desperdiçou e mandou direto para o fundo da rede.

Depois de muitos jogos tentando fazer o mais difícil, o Flamengo finalmente escolheu se segurar no simples. Mesmo sem jogar um futebol de encher os olhos, o rubro-negro tem conseguido conquistar pontos e se manter na briga pelo G4, que é o principal objetivo por enquanto. É evidente que atualmente temos um elenco forte e que ainda não tem todas as peças disponíveis, mas que em breve estará completo e pode trazer ao torcedor esperança por algo a mais nessa temporada. Basta seguir no caminho simples e eficiente.

Quarta-feira (3), o Flamengo terá um grande desafio pela frente. Voltando a Arena Pantanal, o Mais Querido enfrenta o Santos, adversário direto pela vaga no G4. Atualmente, o rubro-negro soma 30 pontos, está na quinta posição e na cola dos quatro primeiros colocados.

Mariana Sá || @marigarboggini 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.