Header Ads

Três jogadores são dispensados e deixam a Arena Condá

Depois de empatar diante do Figueirense no último domingo (17), o Verdão decidiu em liberar quatro jogadores do atual elenco para a sequência do Campeonato Brasileiro.

O primeiro nome é do meia Rodrigo Andrade, contratado no início ao se destacar no Audax-SP, sendo artilheiro com oito gols, o jogador foi dispensado pelo clube paulista após discutir com o treinador Fernando Diniz. Jogando pelo Verdão, não conseguiu render, e passou a ser muito criticado ao fazer uma falta no fim da partida contra o Flamengo, quando a equipe vencia por 2x1, a falta boba culminou no pênalti cobrado por Alan Patrick que empatou a partida.

Outro jogador que deixou Chapecó era um dos que mais chamaram a atenção do torcedor no início da temporada, contratado junto ao River Plate-URU, o Uruguaio Martin Alaniz recebeu poucas chances, e não conseguiu se adaptar ao futebol brasileiro.

Foto: Cleberson Silva
A última dispensa vem fruto da base do clube, o promissor zagueiro Igor, se destacou na equipe Sub20, mas recebeu poucas oportunidades no elenco principal, esteve em campo na primeira partida diante do Libertad, pela Sul-Americana, mas acabou sendo expulso injustamente minutos após entrar em campo. O atleta foi dispensado após recusar ser emprestado ao Concórdia, que disputa a segunda divisão do Campeonato Catarinense.

A jovem promessa deu sua versão sobre a rescisão com o clube para o Linha de Fundo, aonde declarou:

Eu nunca me neguei a ficar na Chapecoense, tanto que falei que queria buscar o meu espaço no clube, pois vinha fazendo bons treinos e a nova comissão havia gostado de mim, tanto que estava convocado para o jogo do Corinthians. A respeito do Concórdia quando falaram para me apresentar lá passei para meus agentes e em decisão conjunta decidimos que por estar com o contrato acabando no final do ano não seria bom no momento, pois como já falei queria ficar e buscar uma oportunidade no clube, por sempre ter me doado ao máximo e ter me identificado com a Chapecoense. Mas como fui exigido a apresentar-me no Concórdia pedi uma prorrogação em meu contrato, o qual foi negado pelos diretores”.


Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.