Header Ads

A esperança de um segundo turno melhor

Na partida deste domingo tínhamos cinco Libertadores, cinco Copas do Brasil, doze Brasileiros, cinquenta e nove Estaduais e nenhum rebaixamento em campo, já era de se esperar um grande jogo na Vila Belmiro. Porém, só a vitoria interessava a Raposa para tentar uma recuperação imediata no Campeonato Brasileiro.

 Se isso foi possível? Infelizmente o time celeste desperdiçou novamente a chance de conquistar os três pontos. É aquela velha história, o Cruzeiro foi superior a maior parte no tempo e no final foi o adversário que venceu o duelo. Ultimamente a vida desse time tem sido assim.

@Cruzeiro
A marcação e a saída de bola melhoram, mas o mais importante, que é a finalização, piora a cada jogo e isso não resolverá nosso problema, pois no final o que importa são os três pontos. Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrentará o Internacional no Estádio Independência. A partida acontecerá na quinta-feira, às 21h, e a única coisa que queremos é comemorar um triunfo cruzeirense, a torcida não está pedindo muito.

Sobre o jogo:

Era o primeiro jogo em que Mano Menezes comandava a equipe celeste novamente e ele quis arriscar em um time que praticamente já conhecia, para depois apostar em novas peças. Um dos principais objetivos de Mano é ter consistência na marcação e, no confronto entre Santos e Cruzeiro, conseguimos ver boa marcação, um sistema defensivo bem encaixado e grandes números de finalizações, principalmente do lado cruzeirense que sempre chegava com perigo.

@Cruzeiro
Era dos pés do Willian Bigode que saíam as melhores oportunidades de balançar a rede, quer dizer, se o jogador cruzeirense não gostasse de perder tantos gols, a história do jogo poderia ser outra. Um primeiro tempo ofensivo, com boa movimentação e com pressão mineira, o Cruzeiro demonstrou mais vontade em poucos minutos do que durante a temporada inteira. Para ser melhor, só faltou o gol celeste para premiar a boa atuação da Raposa.

Para o segundo tempo, a postura do Maior de Minas não mudou, pelo contrário, a superioridade azul e branca só aumentou. Mas aquele velho ditado de “quem não faz, leva" se concretizou e, na primeira oportunidade que a equipe paulista conseguiu, balançou as redes com Vitor Bueno, que surpreendeu o setor defensivo.

Com desvantagem no placar, a Raposa não se intimidou e tentou correr atrás do prejuízo enquanto ainda dava tempo, porém alguém esqueceu de avisar para o Lucas que o gol era para o outro lado. O lateral tentou impedir um cruzamento e no fim acabou jogando contra seu próprio patrimônio. Para tristeza de milhões, o Cruzeiro trouxe mais uma derrota na bagagem.

@Paulinha_CEC – Paula Fernandes

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.