Header Ads

Com golaços, Benfica bate Braga e é campeão da Supertaça

Jogadores benfiquistas comemoram o primeiro troféu da temporada
O Benfica venceu o Braga por 3 a 0 no Estádio Municipal de Aveiro, em jogo válido pela Supertaça Cândido de Oliveira. Campeonato de jogo único, no qual o campeão da Liga Portuguesa encara o campeão da Taça de Portugal. A Supertaça também marca o início da temporada de futebol para os portugueses. Nesta época, defrontou-se o Benfica, tricampeão da liga portuguesa, contra o Braga, campeão da Taça. Melhor para o Glorioso Encarnado, que venceu o torneio e encaminhou sua 6ª conquista para o museu Cosme e Damião.

Cervi comemora seu primeiro gol com a camisa do Benfica
No início do jogo, muitos queriam ver algumas peças em ação pelo Benfica em uma partida a contar para um jogo oficial. Eu principalmente. Entre André Horta, Carrillo, Benitez e Cervi, as novas contratações, os únicos que de fato estavam disponíveis para o jogo foram Horta e Cervi , que ficaram como titulares e foram grata surpresa. Assim como na pré-temporada, ambos muito bem. Horta nem parece que é reforço, parece que joga no clube há tempos. Talvez o fato dele ser benfiquista desde pequeno ajude muito na responsabilidade ao vestir o pano vermelho. E Cervi, o que dizer? Movimentava-se bem pelo lado e pelo ataque, apresentava-se bem para a distribuição de jogo e fez um golaço logo nos primeiros minutos. Chuky chegou para mostrar que foi a escolha certa para a lacuna que foi deixada por Nico Gaitán, transferido ao Atletico de Madrid.

Mesmo com o primeiro gol, o Benfica não parou um momento sequer até os 30 minutos do primeiro tempo de pressionar os bracarenses. Teve bola na trave e defesas difíceis do goleiro Marafona, mas a equipe não conseguiu ampliar o placar e, nos 15 minutos finais, sofreu perigo da equipe minhota. Porém, Júlio César em grande forma não deixou nada passar a baliza, com defesas fantásticas e até um milagre.

Jonas e Pizzi foram os outros artilheiros da noite
Na segunda parte, foram 15 minutos iniciais de pressão do Braga, mas Grimaldo, Lindelöf, Luisão, Jardel e Semedo, auxiliados por Fejsa e Horta, faziam partida sólida e segura. Quando alguma bola passava, Júlio César conseguia segurar, o imperador voltou de lesão e se mostrou em grande forma. Aí, já que o Braga não fez, o Benfica deu o golpe de misericórdia. Pizzi deu uma assistência de se tirar o chapéu para Jonas que, em posição legal, fez o que ele faz bem. Gol do Benfica. 2 a 0.

E se Pizzi deu um passe de tirar o chapéu no segundo gol, estava na hora de devolver e, no terceiro, ele o fez com um lindo gol de chapéu no goleiro Marafona, ao cair do pano. 3 a 0 e a 6ª Supertaça era nossa.

Lá ia o Luisão levantar mais um troféu pelo Benfica. O zagueiro brasileiro está há 13 anos no clube e já levantou 17 troféus oficiais. Respeito imenso para um jogador que ficou praticamente metade da última temporada de fora, voltou, levantou o título da Taça da Liga e, no início da época, já levanta outra. Monstruoso é Luisão.

E agora é focar-se, no próximo domingo o Benfica inicia a busca pelo tetracampeonato português contra o Tondela, no Estádio João Cardoso, em Viseu.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.