Header Ads

Ensaiando mudanças no modelo de jogo, Vitória perde em Sampa

Foto: ECVitória / Divulgação
Brasileirão Série A 2016, 19ª rodada. O Vitória viajou a São Paulo para visitar o Palmeiras e tentar fechar com triunfo as partidas de ida. O time de Vagner Mancini mostrou um início de mudança no modelo de jogo no que diz respeito ao momento defensivo e, como não poderia deixar de ser, os atletas tentaram, mas se sentiram confusos com as novas exigências e treinos do comandante. O Palmeiras soube aproveitar as falhas e jogou para vencer por 2x1.

RESUMO

Mancini cometeu um equivoco na escalação ao mandar a campo Flávio, volante/apoiador de origem, mas que não tem característica para fazer a função de extremo em uma segunda linha de quatro e pela esquerda. O treinador, que deve ter seus motivos, deveria levar em consideração sempre característica x função para depois pensar na estrategia.

O Vitória entrou atuando em um 4-4-2 e 4-4-1-1 quando sem a bola, tentando usar escapadas de ataque ao espaço com Flávio pela esquerda e ainda as bolas longas para Kieza escorar para Cárdenas. Welison apareceu como volante na segunda linha, mas fez um jogo muito ruim em São Paulo. O time não tinha e nem sabia como tentar sair com a bola de trás. 

Ainda assim, esteve nos pés de Kieza a chance de fazer uma história diferente na partida. O atacante pegou uma bola de frente para o goleiro e, sem marcação, finalizou em cima do arqueiro tendo toda meta livre para ser mais cruel. Camisa 9 não pode de maneira alguma errar uma bola daquele tipo.

Vagner Mancini, na segunda etapa, corrigiu o erro voltando com Vander no lugar de Flávio. Mas ele poderia ser mais ousado e arriscar tudo, pois era a última partida do turno e estávamos como franco atirador diante de um adversário que disputa o título da competição. Voltaria com Serginho no lugar de Welison que não foi bem, fato que ocorreu mais para frente na partida e que viria a ser tarde demais.

Ai sofremos logo no início o segundo gol. Fárias conduziu mal uma bola no centro quando teve opções de passe, mas não o fez, assim foi desarmado. Logo em seguida, Renan não encurtou a marcação com agressividade e Euller dormiu, deixando Xavier escorar para o fundo da meta.

O Esporte Clube Vitória terá que fazer um returno um pouco melhor se não quiser amargar um rebaixamento. Penso que podemos fazer pelo menos 23 pontos e nos salvar. Então vejo que o time deve focar nos confrontos diretos que teremos no Barradão, a começar pelo de domingo contra o Santa Cruz, quando todas as forças devem ficar focadas. Assim também para os confrontos contr América, Botafogo, Figueirense e Cruzeiro, adversários diretos na luta contra o Z4.

É o que temos para hoje!

É isso aí galera!


Seja Sócio SMV!

Por @AdsonPiedade


FICHA TÉCNICA 
PALMEIRAS 2 X 1 VITÓRIA 


Local: Allianz Parque, São Paulo (SP) 
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC) 
Auxiliares: Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa-SC) e Helton Nunes (SC) 
Público/renda: 30.330 pagantes/R$ 1.975.055,20 
Cartões amarelos: Zé Roberto e Tchê Tchê (PAL), Victor Ramos, Euller, Kanu e Marinho (VIT) 
Cartões vermelhos: 
Gols: Barrios (36'/1ºT) (1-0), Cleiton Xavier (4'/2ºT) (2-0), Thiago Martins (contra) (29'/2ºT) (2-1) 

PALMEIRAS: Jaílson; Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Zé Roberto; Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier (Allione, 24'/2ºT); Dudu, Erik e Leandro Pereira (Barrios, aos 25/'1ºT) (Rafael Marques, aos 5'/2ºT). Técnico: Cuca. 

VITÓRIA: Fernando Miguel; Diego Renan, Victor Ramos, Kanu e Euller; José Welison (Serginho, aos 25'/2ºT), Willian Farias, Flávio (Vander, no intervalo) e Cárdenas (David, aos 36'/2ºT); Marinho e Kieza. Técnico: Vagner Mancini.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.