Header Ads

Sem mudanças, a angústia continua

A Série B está de volta e o pesadelo do torcedor carijó também. Após um primeiro turno pífio, fazendo apenas 18 pontos e ficando a maior parte do campeonato entre os quatro últimos, o Tupi chegou a metade do campeonato na 18ª colocação. A campanha até então, só serviu para confirmar uma realidade que já era esperada: a luta será na parte de baixo da tabela.

A 'intertemporada' que o time teve com a pausa na competição, por conta dos Jogos Olímpicos, pode ter sido a última chance de evitar um rebaixamento. Para isso, havia a necessidade de contratações e a expectativa – pelo menos a minha – era que a diretoria se mexesse, entretanto, não foi o que aconteceu. Nenhum reforço chegou durante o período e Estevam Soares terá que continuar tirando "leite de pedra".

O Galo Carijó voltou a ser derrotado na Série B (Foto: Reprodução/Premiere)
Na rodada que abriu o returno, o Galo Carijó teve a chance de deixar a zona de rebaixamento, o que não acontecia desde a 12ª rodada, quando recebeu o Avaí e só dependia de si, mas falhou. Desta vez não foi diferente, em um confronto direto contra o Goiás, o time voltou a ser derrotado fora de casa e segue sem vencer longe de Juiz de Fora.

O JOGO

Para a partida, Estevam Soares mais uma vez teve problemas para escalar a equipe, que sofreu vários desfalques. Entre os mais importantes, o capitão Renan Teixeira com um problema estomacal e Jonathan cumprindo suspensão, sequer viajaram para Goiânia. A equipe foi a campo no 4-3-2-1 – Rafael Santos; Vinícius Kiss, Bruno Costa, Gabriel Santos e Luiz Paulo; Filipe Alves, Recife e Marcos Serrato; Octávio e Thiago Espíndola; Giancarlo.

A partida começou e o Tupi deu a – falsa – impressão de que teria uma postura diferente fora de casa. Logo aos 3 minutos, Vinícius Kiss fez bela jogada e cruzou para Thiago Espíndola, que perdeu uma boa chance de abrir o placar. Após o lance, a partida ficou morna e as equipes fizeram jus as suas posições na tabela, proporcionando um péssimo primeiro tempo. 

A defesa do Tupi falhou e o Goiás abriu o placar (Foto: Benedito Braga/O Popular)
Mais emoções apenas no fim da primeira etapa, quando a zaga carijó voltou a cometer falhas, dano chances para que o placar fosse aberto. Aos 45', Carlos Eduardo arriscou uma jogada individual e não teve dificuldades para passar pelos adversários, batendo na saída de Rafael Santos. Fim do primeiro tempo: Goiás 1 a 0 Tupi.

Na etapa complementar, quando se esperava que a partida pudesse melhorar, nada mudou. Em desvantagem no placar, o Alvinegro tentou o empate, mas esbarrou nas suas próprias limitações e sentiu o desfalque de Jonathan. O Esmeraldino, por sua vez, se fechou e tentou administrar a vantagem.

Buscando mudar o panorama da partida, Estevam Soares mexeu na equipe e colocou Pedrinho no lugar de Thiago Espíndola, aos 13 minutos. A alteração não surtiu efeito e o técnico logo mexeu outra vez. Aos 25', Recife deu lugar a Hiroshi, que voltou a atuar depois da lesão. Mesmo abaixo fisicamente, o jogador mostrou porque é peça fundamental do time, aproveitando os poucos minutos que teve.

Porém, as coisas ficaram mais difíceis com a lesão de Filipe Alves, aos 31 minutos. O volante deixou a partida e o time não tinha mais alterações para fazer. Apesar da vantagem numérica, o adversário não conseguiu ter superioridade na partida e só chegou a um erro na saída de bola carijó, aos 38 minutos.

Já no fim, quando parecia tudo decidido, o jogo chegou ao ápice de emoções. Aos 40', foi a vez do Goiás errar na saída de bola, só que dessa vez a chance foi aproveitada. Após passe de Vinícius Kiss, Hiroshi invadiu a área e contou com o desvio na defesa, deixando tudo igual. No entanto, o gol acordou o time da casa, que foi em busca de mais um gol. E ele veio, aos 45 minutos, Léo Lima aproveitou cruzamento da direita e cabeceou no cantinho. O gol deu números finais à partida: 2 a 1.

Com o resultado negativo, o Tupi permanece com 18 pontos e na zona de rebaixamento, ficando em situação ainda mais delicada. Como se não bastasse o "futebol barato" apresentado pela equipe, o torcedor ainda terá que pagar um ingresso mais caro na próxima partida, só por ser contra o Vasco. A partida diante do Cruzmaltino acontecerá no próximo sábado (27), no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora.

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.