Header Ads

Zica da Macaca: Palmeiras bobeia na defesa e segue sem vencer Ponte Preta no Allianz

Se existe um time que tem se dado bem quando enfrenta o Palmeiras dentro do Allianz Parque, esse time é a Ponte Preta. No seu terceiro jogo no estádio palmeirense após a reforma, o time campineiro segue sem perder: duas vitórias por 1x0 em 2015 e o empate deste domingo (21), mesmo saindo duas vezes atrás no placar.

Sem Barrios e Leandro Pereira, lesionados, o Palmeiras entrou em campo com Rafael Marques como centroavante, ainda que com toda liberdade de movimentação para atuar como o “falso 9” que ficou famoso quando utilizado pelo Barcelona. Na última partida sem Jesus, Rafa não foi mal e ainda foi decisivo ao aproveitar uma grande jogada de Roger Guedes – que não desistiu de uma bola que parecia perdida.

Se Rafael Marques decidiu na frente, o outro substituto estava no gol. Jaílson mostrou que merece ficar oficialmente com a vaga de Fernando Prass até o final do ano e cresceu para evitar o gol dos visitantes antes quando o placar ainda marcava 0x0. Não era um jogo de grandes chances, porém movimentado.

Rafa entrou bem como homem mais ofensivo, mas não foi suficiente para vencer. (Foto: Globo Esporte)
O segundo tempo manteve o ritmo acelerado e viu Tchê Tchê perder um gol incrível e ser salvo por um erro do bandeira ao marcar impedimento inexistente. Quem também errou foi a defesa palmeirense que não quis dar o famoso “chutão” para limpar uma jogada de perigo e viu Wellington Paulista livre para empatar. Não foi a única bobeada da tarde.

O gol de empate acordou o Verdão. Cleiton Xavier passou a participar mais do jogo, Dudu alternava os espaços dentro de campo e as chances começaram a parecer. Aranha salvou duas ótimas oportunidades, mas saiu de maneira bisonha do gol pouco depois e deixou tudo aberto para Thiago Martins colocar o alviverde na frente novamente.

A entrada de Thiago Santos, segundos depois, tinha como intuito proteger o setor defensivo com o placar nas mãos. Nem deu tempo, porém, do volante se ambientar em campo. Um erro juvenil da defesa palmeirense deixou Egídio correndo atrás do atacante da Ponte Preta. Novo empate.

Na base do abafa, o Palmeiras tentou uma pressão final desorganizada. Satisfeita com o resultado, a Macaca usou de cera e posse de bola para matar o tempo palmeirense que, a rigor, só voltou a assustar com bola parada.

O DESTAQUE: Boa movimentação e o gol colocaram Rafael Marques em evidência em um jogo apenas razoável do Palmeiras como time. Se houve alguma soberba contra a Ponte Preta, que esse jogo sirva de lição.

BOLA MURCHA: Depois de fazer ótima partida contra o Atlético-PR, Vitor Hugo falhou feio no primeiro gol da Ponte Preta que complicou o jogo. Além desse lance, a zaga palmeirense deu outros vacilos que poderiam ter dado ainda mais trabalho para Jailson.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.