Header Ads

Contos de muito sofrimento

A noite da quarta-feira (28), dificilmente saíra da memória dos Chapecoenses. Chapecó recebia novamente visitantes estrangeiros, se em 2015 o River Plate, mesmo perdendo na Arena Condá, levou a classificação, os Argentinos do Independiente não tiveram a mesma sorte.

Foto: Márcio Cunha/Mafalda Press/Gazeta Press
A cidade acordou respirando o confronto, os Argentinos já compareciam em peso pelas ruas da Avenida Getúlio Vargas. Para o Verdão, qualquer vitória garantia a classificação, a espera da diretoria era de 10 mil torcedores, e acabou se concretizando, 10.530 torcedores se fizeram presentes, para ver mais uma sofrida classificação para as quartas de final da Copa Sul Americana.

Caio Júnior fazia mistério na escalação, Lourency e Bruno Rangel eram esperados na equipe titular, mas confirmada, a surpresa ficou para o atacante Aílton Canela, ao lado de Tiaguinho e Kempes.

Com a bola rolando, vimos uma primeira etapa muito disputada por ambas às equipes, mas com pouca inspiração do poder ofensivo. Assim como a Chapecoense fez na Argentina, o Independiente mesmo jogando fora de casa assustou logo nos minutos iniciais, quando Rogoni chutou no canto, Danilo começava ai seus milagres, salvando com uma defesa no reflexo.

O jogo esfriou, a marcação forte das equipes paravam os ataques, que não assustavam nem Danilo e nem o goleiro Campaña. Na melhor oportunidade da Chape, Tiaguinho cruzou e Canela de cabeça só não abriu o placar, por que o goleiro Rojo pulou para salvar.

Os times voltaram para a segunda etapa sem alterações, não demorou muito para os Argentinos assustar novamente Danilo, Ortiz chutou forte de fora da área, a bola caprichosamente explodiu no travessão, dando pinta que não era para o Rojo classificar.

A resposta do Verdão não demorou, em cobrança de escanteio, Josimar desviou na primeira trave, Filipe Machado praticamente dentro do gol acertou a trave, a bola quicou e não entrou, para desespero do torcedor. Em seguida foi a vez de Cleber Santana acertar a trave em cobrança de falta, como não se lembrar da mesma trave que tirou o gol do Tiago Luis no duelo contra o River Plate, nos minutos finais.

Tudo ia bem, até a torcida do Independiente se envolver em uma confusão e entrar em confronto com a Polícia Militar, o árbitro da partida paralisou a partida, e os jogadores do Rojo iam em direção dos baderneiros tentando apaziguar o clima.

Com a bola voltando a rolar, Aílton Canela deu lugar a Lourency, mas nada mudou, a forte marcação das equipes anulavam qualquer chance dos ataques chegarem com perigo às metas defendidas pelo goleiro.

Aos 43 minutos, com Bruno Rangel no lugar de Kempes, na sua primeira participação, Lourency fez boa jogada e cruzou, na medida para o centroavante, sozinho, de frente para o goleiro mandar por cima, chutando para fora a chance de abrir o placar.

Parecia que o destino queria mais sofrimento para os torcedores Chapecoenses, Cleber Santana chutou de fora da área, a bola pela terceira vez acertou a trave de Campaña e não entrou. Na última chance da partida, o Rojo quase marcou com Rigoni, que cara a cara com Danilo chutou para fora, levando a decisão para as cobranças de pênaltis.

O filme se repetia, em 2015 nesta mesma fase contra os Paraguaios do Libertad, a Chape garantia a classificação, mas todos sabem que em cobranças de pênaltis nada podemos imaginar o que vai acontecer.

O primeiro a cobrar foi o zagueiro Thiego, que acertou o travessão, pelo lado Rojo Benitez chutou e Danilo iniciava ai sua saga, e salvando a primeira. Na segunda série foi a vez do capitão Cleber Santana cobrar no meio do gol e Campaña salvar, já do outro lado Vera foi para a cobrança e colocou em vantagem os visitantes. Em seguida Filipe Machado foi para a cobrança e explodiu as redes, empatando tudo, isso porque Rigoni chutou e novamente Danilo estava lá para salvar. Dener e Rangel pelo lado Chapecoense, Figal e Cuesta para o Independiente acertaram todas as cobranças e levaram a decisão para as alternadas.

Iniciava ai mais sofrimento, qualquer erro seria fatal, Gil que entrou nos minutos finais no lugar de Josimar foi para a cobrança e o goleiro Argentino pulou para pegar, jogando a responsabilidade para Danilo, que não decepcionou, pegando a cobrança de Sánchez Miño. Já Biteco e Toledo acertaram suas cobranças, assim como Tiaguinho que chutou, a bola bateu na trave, mas morreu no fundo das redes, a responsabilidade caia novamente nas mãos de Danilo, Tagliafico foi para a cobrança, mas o arqueiro verde e branco estava inspirado, pegando a cobrança e classificando a Chapecoense novamente para as quartas de final, agora para enfrentar o Junior Barranquilla, da Colômbia.

O diário Olé da Argentina alertou, muitos sucumbiram jogando na Arena Condá, nesta noite a vítima foi o Rojo, todo sofrimento teve um final feliz, e o Rey de Copas, vai ter que ficar acompanhando as finais da competição pela televisão, isso por que, vermelho no Condá não se cria.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.