Header Ads

Temos um grande time no papel, não no campo

Foram com essas palavras que Antonio Conte resumiu mais uma péssima atuação do Chelsea pela Premier League. O time azul de Londres sofreu mais um choque de realidade, dessa vez, frente ao Arsenal neste último sábado (24), no Emirates Stadium.

David Luiz indo buscar mais uma bola no gol do Chelsea (Foto: Getty Images)
O técnico italiano até tentou mudar o time em relação à última rodada, quando perdeu para o Liverpool, por 2 a 1. Fàbregas iniciou o jogo como titular e Oscar foi para o banco. No mais, era o mesmo time, com exceção de David Luiz no lugar do lesionado John Terry. Os Blues foram à campo no tradicional 4-2-3-1, variando para o 4-1-4-1, quando não tinha a bola.

O Arsenal começou o jogo como era de se imaginar, pressionando muito a saída de bola e trocando passes em velocidade no campo ofensivo, o que quase deu certo no início. Com apenas 3 minutos, Cazorla chutou e Courtois espalmou, salvando o Chelsea.

Cahill após o erro que resultou no primeiro gol do jogo (Foto: Guardian)
Porém, a defesa do Chelsea tem sido uma tragédia. Aos 11', Cahill tentou recuar para Courtois e a bola foi muito fraca, Sanchez aproveitou para cobrir o goleiro belga, abrindo o placar. Dois minutos depois, após uma linda troca de passes e mais um vacilo da zaga azul, Iwobi tocou no fundo para Bellerin, que cruzou rasteiro e Walcott teve o trabalho de apenas tocar para o gol.

Naquele momento o jogo já parecia perdido. Os Blues praticamente não tinham a bola e, por uma única vez, aconteceu uma linda troca de passes entre Hazard e Diego Costa, até que a bola chegou para Willian, que chutou cruzado com muito perigo. O golpe de misericórdia iria acontecer ainda na primeira etapa, quando Özil puxou um contra-ataque maravilhoso e abriu para Sanchez, que cruzou novamente para o alemão bater cruzado e fazer o terceiro.

Após a tragédia que foi o primeiro tempo, pouca coisa poderia ser feita por Conte no intervalo, apenas tentar não sofrer uma goleada. O Arsenal até que pressionou um pouco no início, mas muitas vezes tentou caprichar demais e não chegava ao gol, enquanto o Chelsea foi levar perigo apenas aos 38 minutos do segundo tempo, quando Batshuayi chutou para boa defesa de Cech. O jogo já estava acabado desde os 3 a 0 e assim se encerrou o martírio do Chelsea

Após contra ataque de almanaque, Özil marca o terceiro (Foto: Guardian)
 Durante o segundo tempo, Conte testou uma formação que o fez ter muito sucesso na Juventus, Alonso entrou no lugar de Fabregas e o time passou a jogar no 3-5-2. E talvez seja uma alternativa para a defesa não ficar tão exposta como está ficando. As palavras de Conte em sua entrevista coletiva resume muito o que é o Chelsea desde a última temporada, ótimo no papel e horroroso na prática, é evidente que Antonio tem sua parcela de culpa, mas os jogadores se mostram totalmente desligados e sem compromisso dentro de campo.

A raça italiana, que já parecia encorpar o time nas primeiras rodadas se perdeu e, com isso, já estamos longe até da briga pelo titulo. Já são 8 pontos atrás em apenas 6 rodadas. O próximo desafio é novamente fora, contra o Hull City no próximo sábado (01).

Por: Gabriel Santo || Twitter: @Gabridosanto / @SiteLF / @PLBrasil_LF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.