Header Ads

A luta continua

Fala nação azul, novamente essa rodada foi favorável para a Raposa e com os resultados propostos o Cruzeiro não tinha mais chances de entrar de novo para a zona de rebaixamento, independente do placar contra o Palmeiras. O confronto entre palestras possui um histórico com muita tradição, e depois de dezesseis anos, as equipes empataram.

Contra tudo e todos. Esse sempre foi o lema do Maior de Minas e nesse duelo não foi diferente, jogamos também contra um juiz caseiro. Foram inúmeras faltas marcadas á favor do time paulista e já o Cruzeiro ganhou chuvas de cartões amarelos.

@Cruzeiro
E talvez por esse motivo, o empate não pareceu tão ruim e foi bastante comemorado. Pensem só um ponto diante do líder do campeonato, jogando fora de casa e ainda com a arbitragem na cola? Pode ter certeza, que foi um ponto valioso. Permanecemos na 12° colocação, com 37 pontos.

Domingo é dia de que? Isso mesmo, dia de Mineirão, dia de sair sem voz, enfrentar um trânsito “básico” de BH e se tudo der certo, e buscar os três pontos. O próximo adversário da Raposa será a Chapecoense, o confronto acontecerá no domingo.

Sobre o jogo:

Como esperado o Palmeiras iniciou a partida de maneira ofensiva, buscando á todo momento o gol e por isso os vinte primeiros minutos, foram de controle palmeirense. As principais jogadas do Palmeiras era com Dudu, ás vezes Tchê Tchê fazia boa infiltração e como sempre Gabriel Jesus participava de alguns lances.

Após 20 minutos de jogo, a Raposa conseguiu equilibrar a partida, então passou a criar melhores oportunidades para finalização, uma delas foi com o Rafinha. Esse duelo foi marcado pelo equilíbrio.

Enquanto o primeiro tempo foi palmeirense, a etapa complementar foi da Raposa. Com uma postura ofensiva e consistente, o Cruzeiro soube administrar bem o confronto e conseguiu valorizar a posse de bola. As melhores chances celestes, geralmente eram de bola parada ou em trocas de passes, que por incrível que pareça, levavam perigo ao gol paulista.

@Cruzeiro

Sem duvida, a melhor oportunidade que a Raposa teve foi dos pés de Robinho. Após uma excelente troca de passes entre Sóbis, Bryan e Robinho, o camisa 19, de frente para o gol chutou e Jailson impediu, no rebote, Zé Roberto salvou em cima da linha.

O Cruzeiro ainda teve uma ultima chance com Willian nos acréscimos, mas a bola parou na trave. O confronto encerrou sem gols e com um ponto para cada lado.


Paula Fernandes/@Paulinha_CEC

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.