Header Ads

O início de temporada em Leverkusen

O início de temporada dos clubes europeus está à todo vapor e para o Bayer Leverkusen não é diferente. Além da Bundesliga e da DFB-Pokal, o calendário dos leões também é composto pela Champions, tendo a possibilidade de disputar a Europa League, em caso de queda como 3ª colocado no seu grupo da principal competições de clubes do planeta.


Os Werkselfs buscaram repetir a boa temporada passada (Foto: Getty Images)
Antes de comentar sobre os primeiros jogos, farei um breve resumo sobre a janela de transferências, que foi bem agitado em Leverkusen. 

As principais contratações do clube ficaram por conta das chegadas do volante Julian Baumgarlinger (4 milhões de euros pagos ao Mainz 05), do zagueiro Aleksandar Dragovic (18 milhões pagos ao Dínamo de Kiev), do lateral Danny Da Costa (500 mil euros pagos ao Inglostad) e dos atacantes Joel Pohjanpalo (Fortuna Dusseldorf) e principalmente Kevin Volland (20 milhões de euros pagos ao Hoffeinheim).

Já as saídas mais sentidas foram no meio campo. O campeão mundial, Cristopher Kramer, retornou ao Monchengladbach (onde havia passado de 2013 à 2015 emprestado), mas desta vez em definitivo e custando 15 milhões de euros. O promissor Levin Oztunali, que é neto do grande Uwe Seeler e frequentador das seleções de base da Alemanha, acertou com o Mainz por 5 milhões de euros. Outras saídas interessantes, mas apenas por empréstimos, foram as de André Ramalho, também para o Mainz, e Kyriakos Papadopoulos, este para o RB Leizpig. 

Turbulência e sinal amarelo ligado na defesa

Após fechar a temporada 2015/16 esbanjando consistência na reta final, assegurando o 3º lugar na Bundesliga, o time se deparou com um início de temporada bem turbulento. Até o momento, a equipe fez oito jogos oficiais na temporada, conseguindo três vitórias, três empates e duas derrotas no certame.




As primeiras partidas já servem para atentar os leões a erros que vem acontecendo com frequência: a equipe mostra sinais fortes de abatimento quando o jogo sai do seu controle; muitas vezes o bom volume de chances criadas não tem sido bem aproveitadas nas finalizações; Mas, o erro mais claro e grave é a inconsistência do setor defensivo, que conta com um linha de defesa jovem e que vem acumulando erros coletivos de marcação. 

As atuações inconsistentes da zaga, tem deixado o goleiro Leno em maus lençóis e já que culminaram em uma média de gols levados por jogo superior à um, além do fato que conseguiram segurar o zero no placar em apenas 12,5% dos jogos (uma vez nas oito oportunidades).

Leno não conseguiu evitar o tropeço na estreia da Champions (Foto: Getty Images)
Não é preciso nem mencionar que este problema em especial vem deixando pontos importantes escaparem. Nos dois jogos da UCL, por exemplo, o Bayer era melhor e vencia as partidas, mas ficou apenas nos empates. Já foram 4 pontos perdidos em 6 disputados, com destaque na peleja contra o CSKA na BayArena, quando os leões conseguiram a proeza de levar dois gols em dois minutos.

Por outro lado, o time já vem apresentando um belo futebol ofensivo e arrojado, com talentos muito especiais como Çalhanoglu, Bellarabi, Chicharito, Volland, entre outros. Mas o principal segredo para o possível sucesso é Roger Schimidt, que conseguiu fazer com que seus jogadores (até os recém-chegados) assimilassem muito bem seu plano de jogo, valorizando o "futebol bem jogado" e conseguindo converter bons números de posse de bola em um volume de chances criadas.

Expectativas 

Apesar de alguns tropeços recentes, é possível enxergar um futuro de temporada promissor em meio ao presente nebuloso, já que as expectativas de correção destes erros são boas considerando o enorme potencial dos jovens jogadores. 

O Leverkusen já apresenta um futebol muito superior aos resultados obtidos, que podem ser melhor considerando o processo de amadurecimento que a equipe vai passar. Alguns nomes, como Tah, Wendell e Henrichs, ainda tem muito para amadurecer e, assim, recuperar a defesa desta má fase. Com isso, não seria nenhum exagero imaginar os leões mantendo a 3ª posição na Bundesliga, mesmo podendo ser ameaçado novamente por clubes como Monchengladbach e Wolfsburg. 

Já na Champions, os Werkselfs se encontram em um grupo bem acessível, composto também por CSKA, Monaco e Tottenham. Mesmo empatando duas vezes, os alemães já se mostraram superiores aos russos e aos franceses, podendo brigar pela liderança com os ingleses. Passar de fase já seria cumprir a missão, uma experiência dessas seria interessante para ajudar a "dar casca" a juventude do plantel, sem mencionar o prestígio e a premiação.

As esperanças do Leverkusen na Champions passam pelas atuações de um mexicano (Foto: AFP)
Entretanto, tendo em vista o enorme potencial que o elenco possui do goleiro ao ponta-esquerda, um treinador ousado  que tem tudo para figurar entre os melhores da Europa em pouco tempo  e sendo levemente otimista, não é loucura nenhuma que, após passar de fase e com um pouco de sorte no sorteio, é possível ser uma surpresa na maior competição de clubes do mundo. Não é proibido acreditar que essa garotada poderá aprontar na competição, se preparando para vôos ainda maiores no futuro.

Por: Victor Raimundi || Twitter: @

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.