Header Ads

Arsenal 2x2 PSG: A verdade uma hora tem que ser dita

O principal inimigo do Arsenal nesta noite foi ele mesmo. (Foto: Reuters)

O Arsenal tinha tudo para sacramentar aquela tão necessária primeira posição no grupo que não vem desde a temporada 2011/12 hoje. Tinha. Vindo de uma boa campanha nessa temporada, sem maiores sustos(como já mencionado no texto do jogo contra o Ludogorets), tínhamos tudo para garantir logo esse objetivo. Jogando em casa contra um PSG - sem Di Maria - e que não está na sua melhor fase - é só o terceiro colocado no campeonato francês - o cenário em bem favorável para nós. 

Mas o time londrino entrou nervoso. Parecia que o jogo era em Paris, pois o PSG tomava as ações do jogo e desde o início pressionou, buscando o seu gol. Logo nos primeiros minutos, Gibbs salvou uma bola em cima da linha, após o desvio de Thiago Silva na cobrança de escanteio. O que todos viam que iria ser uma noite ruim no Emirates, se confirmou minutos depois. Após Jenkinson e Mustafi baterem cabeça, Thiago Motta deu um lindo passe para Matuidi e o francês cruzou para Cavani, que, sozinho, apenas completou para a rede. 

No restante do primeiro tempo, vimos aquilo que o Arsenal mostrou nos últimos jogos: passes errados, falta de triangulações e, consequentemente, poucas chances de gol. O PSG dominava a partida, deixando o tempo passar e fazendo o Arsenal ficar perdido nas suas próprias pernas. Já aos 45 minutos, uma gota de esperança: conseguimos roubar a bola e Özil enganou a defesa parisiense e achou Alexis livre na área. O chileno viu que Krychowiak vinha desesperado atrás dele e se jogou de uma maneira um tanto quanto ridícula. O árbitro caiu na do Gunner e marcou o pênalti. Giroud, que não tem nada a ver com isso, marcou e empatou o jogo. Injusto, mas o Arsenal iria com o placar empatado para o vestiário. 

Giroud voltou a marcar, dessa vez de pênalti. (Foto: Action Images via Reuters)
No segundo tempo, o Arsenal até entrou mais elétrico, mas foi o PSG que mais assustou e Lucas acertou o travessão de Ospina. Alguns minutos depois, a sorte voltou a sorrir para o lado inglês: Jenkinson cruzou, a defesa não conseguiu afastar e Ramsey chutou fraco, a bola rebateu e Marquinhos tentou afastar a bola com um chutão, porém ela bateu em Verratti e acabou entrando.

A euforia era enorme na Inglaterra, pois com o resultado os Gunners garantiriam o primeiro lugar da chave. Mas, nem deu pra comemorar muito. Dez minutos depois, Ben Arfa cobrou escanteio e Jenkinson deixou Lucas - que tem 1.73m de altura - livre para cabecear. Para completar, a bola ainda desviou em Iwobi antes de entrar, matando qualquer chance de defesa de Ospina. Após o revés, o Arsenal não teve nenhum poder de reação e o jogo ficou resumido aos gols perdidos por a Cavani, o que salvou o Arsenal até de uma possível derrota. 

Lucas marcaria o gol de empate do PSG após falha de Jenkinson. (Foto: Reuters / Eddie Keogh)
O que o Arsenal fez hoje foi apenas o estopim daquilo que vem mostrando há um tempo: jogamos mal, sobrevivemos de passes sem objetividade no meio de campo, marcamos um gol de uma maneira espírita e por acaso não saímos do jogo com uma derrota. O fato de apenas um resultado adverso - 4 a 3 contra o Liverpool - na temporada é apenas uma estatística. O Arsenal não perde os jogos por sorte. Hoje, jogamos ainda menos do que contra o Manchester United, e isso é um grande motivo para se preocupar. 

Jenkinson hoje foi terrível. Mas o pior jogador em campo foi Ramsey. O galês, que é essencial para o esquema montado por Arsène Wenger e ajuda Özil na construção das jogadas, não atacou e nem defendeu bem. Com o volante apagado, Alexis teve que ajudar o alemão, o que deixou o chileno cansado e só dificultou a possibilidade de uma boa atuação. Se isso se repetir, é bom que Cazorla se recupere rápido, já que vinha jogando bem e era um dos principais jogadores do Arsenal.  

O futebol que apresentamos durante todo esse mês de novembro foi preocupante. Os desfalques são um fator para isso? São, mas não podem influenciar um time que busca maiores ares dessa maneira. O Arsenal precisa tentar mostrar menos futebol bonito, e mostrar mais futebol de resultados.

Com esse resultado fica muito difícil alcançar o primeiro lugar. Temos o mesmo número de pontos do PSG, porém os franceses têm vantagem no critério de desempate. Mesmo faltando uma rodada e com chances, é muito difícil que o time francês não vença o Ludogorets, em casa, no último jogo. Nossa próxima partida é pela Premier League, contra o Bournemouth, no Emirates Stadium. E a vitória é o único resultado esperado. 


@SiteLF / @PLBrasil_LF 
Autor: Sergio Santana (@sergiostn_)


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.