Header Ads

O jogo pragmático venceu a reatividade

No último domingo (11), Lyon e Stade Rennais fizeram um confronto direto por vaga em competições europeias na Ligue 1. O Lyon entrou em busca de uma vitória para esquecer a eliminação na Champions League.

A vitória serviu para reunir o grupo, depois do mal estar da última semana. (Imagem: LyonOfficiel).
Com relação à última partida contra o Sevilla, o técnico fez algumas alterações. A principal delas na formatação tática da equipe, que do 4-3-3, passou a jogar no 4-2-3-1. Fekir voltou ao time, entrando no lugar de Sergi Darder.

O JOGO

A partida começou muito truncada. Muita disputa pela segunda bola e erros de passe. O Rennes tinha mais posse e buscava mais o gol. Começaram marcando alto e adiantando as linhas.

O Lyon se defendia mal e via Antonhy Lopes, que fez oito defesas importantes na partida, salvar o time na maioria das vezes. E continuou assim, Rennes mais objetivo, Lyon compacto e pouco ofensivo. Pragmático.

O português Lopes foi crucial na vitória dos Gones. (Imagem: L'Equipe).
A partir dos 15 minutos da primeira etapa, o Lyon começou a ter mais volume de jogo, mesmo não criando tantas oportunidades, cresceu no jogo e conseguiu anular a marcação pressão do adversário.

A reatividade do Rennes na partida era destoante. O time recuperava a bola, saía em velocidade e chegava com perigo. O Lyon mantinha a mesma postura, compactação, linha baixa e pragmatismo.

O futebol é o esporte mais imprevisível exatamente por isso: Nem sempre o melhor vence. Aos 28 minutos, Mathieu Valbuena, no contra-ataque, abriu o placar após a assistência de Rachid Ghezzal.

Mathieu Valbuena vem crescendo nas últimas partidas e foi premiado com o gol. (Imagem: Bein Sports).
Na etapa complementar, o Lyon voltou de forma diferente. Pouco menos defensivo e um pouco mais possessivo e transitivo. Tentava agredir o adversário, mas sem êxito. O Rennes voltou com uma proposta mais cautelosa.

Aos 70 minutos, Corentin Tolisso, depois de uma dura dívida com o volante Gelson Fernandes, sentiu uma lesão. Em seu lugar, entrou o bom passador Jordan Ferri, que qualificou a equipe nesse fundamento.

Curiosamente, depois de Tolisso sair do campo, o Lyon voltou a ser pragmático e sofria com a reatividade dos visitantes, que chegavam com muito perigo em transições despretensiosas.

A pressão do Stade Rennais só foi contida, depois da expulsão do zagueiro argelino Bensebaini. O africano impediu uma chance clara e manifesta de gol do Lyon, ao parar com falta o atacante Alexandre Lacazette.

O Lyon tomou controle do jogo depois da expulsão. E permaneceu assim, Lyon 1-0 Stade Rennais. A sensação que fica é de injustiça. Os visitantes mereciam resultado melhor.

Com a vitória, o time assumiu a 4° colocação do Campeonato Francês, ultrapassando o próprio Rennes. A próxima partida do Lyon será contra o Mônaco, em um jogo que terá cara de decisão. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.