Header Ads

Para onde vamos, Pioli?



Stefano Pioli ainda como treinador da Lazio (Foto: Il terzo Binario)
As contratações da Internazionale na janela de verão, a do meio do ano (quando é verão no hemisfério norte), foram extremamente empolgantes, trazendo desde jogadores de grande destaque no cenário europeu e com potencial de aperfeiçoamento ainda maiores caso fossem a alguma grande equipe, até jovem promessa brasileira. 

No primeiro caso, trato de Ever Banega, meia de 27 anos que havia se destacado pelo Sevilla, atual campeão europeu, com oito gols em 44 partidas. Embora o número de tentos do argentino não seja empolgante, a quantidade é boa para quem não tem marcar gols como função principal. Outra grande aquisição do time de Milão foi João Mário, jovem português de 23 anos campeão europeu com sua seleção na última Eurocopa e que vinha tendo destaque no impotente time do Sporting. O clube italiano, que sofria forte concorrência pelo jogador, chegou à frente com a exorbitante quantia de 45 milhões de euros, valor considerado alto.

Antonio Candreva e Cristian Ansaldi fecham essa lista de contratações de atletas juntamente com Gabriel Barbosa, ou Gabigol, como ficou conhecido a promessa da Vila Belmiro. Após subir ao profissional e se destacar atuando tanto pelos flancos do campo quanto de último homem com movimentação, o atacante despertou o interesse de vários europeus, com Borussia Dortmund e Chelsea de principais interessados a contar com o jogador. A Inter corria por fora e, com a desistência dessas equipes, o interesse do time italiano aumentou. Enquanto Gabigol conquistava o tão sonhado ouro olímpico para a seleção brasileira, o acordo foi fechado junto ao Santos pelo valor de 25 milhões de euros.

Sem um comandante para levar à frente essa equipe, a diretoria resolveu apostar em Frank De Boer, holandês que teve seu destaque nos tempos de jogador, no entanto, como treinador não obteve tanto êxito quanto, embora tenha conquistado o tricampeonato holandês nas temporadas 10/11, 11/12 e 12/13 pelo clube no qual se eternizou como jogador e ídolo, o Ajax.

Com Frank à frente da equipe, foram 14 jogos oficiais: sete derrotas, dois empates e cinco vitórias, resultado desastroso para uma equipe que investiu tanto e depositava toda a confiança em uma grande campanha no nacional, visto que juntamente disputava a Europa League, tendo péssimos resultados também nessa competição.

A impressão de insegurança que a equipe passava à torcida, transmitia claramente o sentimento do treinador, e isso se consolidava até mesmo nas vitórias. A irregularidade, fruto da insegurança do holandês, da equipe a tirou do cenário de grandes perspectivas e agora só os resta esperar a temporada 17/18, pois a atual conjuntura já não permite mais alçar grandes voos.


Mauro Icardi briga pela bola no último jogo da Inter pela Europa League (Foto: Clarin)
A pressão da diretoria e torcida juntas por urgência de regularidade, culminou na demissão do técnico. Com a saída de De Boer, Stefano Pioli, que estava na Lazio de 2014 até esse ano, assumiu a equipe por duas temporadas já com um grande desafio, o clássico. Com o empate em 2-2 no Giuseppe Meazza, o time, que já não tinha grandes pretensões, segurou seu rival de Milão na briga pelo título. 

No segundo jogo sob as ordens do italiano, a equipe foi até Israel jogar pelo tudo ou nada na competição europeia e, contra a limitada equipe do Hapoel Be'er Sheva, fez dois gols logo no início da primeira etapa. Porém, do banco, Pioli viu seus comandados inacreditavelmente tomar a virada e dar, em definitivo, adeus a competição.

O próximo compromisso da também insegura e dos muitos injustiçados atletas de Pioli; como é o caso de Gabriel Barbosa, que entre os dois técnicos pôde atuar apenas por 16 minutos ainda na era do holandês; após a derrota para o Napoli na última sexta-feira por 3 a 0, será contra o Genoa em Milão no próximo domingo, 11. Passadas 15 rodadas, a Inter ocupa hoje a décima colocação do Campeonato Italiano, resultado muito distante das perspectivas da torcida e, principalmente, da diretoria nerazzurri.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.