Header Ads

Tudo normal no Boxing Day

Está cada vez mais difícil escrever sobre o Chelsea, pois em nenhum jogo tem novidade sobre o time, além da escalação, o time segue sua toada de vitórias, alcançou 12 seguidas e está a uma de igualar o recorde do Arsenal (13 vitórias seguidas na mesma temporada).

A vítima dessa vez foi o Bournemouth, em Londres. Sem Diego Costa e Kante, suspensos, e Oscar vendido para o futebol chinês, Conte foi obrigado a mudar o time. Fabregas e Pedro foram promovidos ao time titular, com o já tradicional 3-4-3 do técnico italiano, o Chelsea foi com: Courtois; Azpilicueta, David Luiz e Cahill; Moses, Fabregas, Matic e Alonso; Willian, Hazard e Pedro. 

David Luiz é outro atleta recuperado por Conte, e faz uma grande temporada. Fonte (Reuters)
Com Pedro substituindo Diego Costa, os Blues ganharam muito em movimentação ofensiva, com um ataque leve e intensas trocas de posição. O time até começou com certo pragmatismo, esperando o adversário, mas em pouco tempo isso mudou. Após troca de passes, Pedro recebeu de Fabregas e mandou um lindo chute, cobrindo o goleiro Boruc e abrindo o placar em Londres. O restante do primeiro tempo foi de poucas chances, Courtois fez boa defesa depois de um bom chute de Wilshere, e Fabregas cobrou falta com perigo.

À segunda etapa mal começou, o Bournemouth nem teve tempo de levar a campo as mudanças de seu técnico e com 2 minutos Hazard sofreu pênalti. Cobrado com perfeição pelo mesmo, sem chance pra Boruc. Diferente do primeiro tempo, o Chelsea tentou o terceiro gol durante todo o jogo, Willian e Moses até tiveram suas chances, mas o artilheiro improvável da noite voltou a marcar. Pedro puxou contra-ataque do campo de defesa, limpo a marcação e bateu, a bola desviou no zagueiro e entrou lentamente, pra fechar o placar. 

Pedro vai provando que é muito útil ao elenco. Fonte (Getty Images)
Após mais uma vitória, o Chelsea mantém seis pontos de vantagem para o Liverpool. Porém essa vantagem chega a ficar em segundo plano quando se pensa no feito do time de Antonio Conte. Doze vitórias consecutivas em um campeonato de tal equilíbrio como a Premier League é surreal, sofrendo apenas dois gols. Outro ponto a ser exaltado é a recuperação de Pedro e Moses, que fazem um grande campeonato. Em um campeonato dos badalados Klopp, Mourinho e o "melhor do mundo" Guardiola, Conte prova que muito trabalho e pouca mídia são mais eficientes. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.