Header Ads

A dois passos do paraíso

O leitor mais antigo, que acompanha meus textos por aqui, lembra que a primeira análise foi "Para onde vamos, Pioli?".

O título foi muito condizente com a época, a qual a equipe vinha de péssimas atuações e não conseguia, de maneira alguma, fazer as pazes com a vitória e, consequentemente, galgar posições na tabela correspondentes com as perspectivas dessa temporada. Porém, o atual cenário, baseado no comportamento do time milanês nas últimas rodadas, e na consistência do esquema do italiano Stefano Pioli, já nos permite projetar a resposta daquele título. E é a melhor possível: Vamos à principal competição europeia!

O investimento do grupo chinês, agora detentor de 70% do clube, pôde proporcionar grandes contratações para 2016/2017, a exemplo de João Mário, Banega, Gabriel Barbosa e Gagliardini; e foram justamente essas aquisições, juntamente com a troca de treinador logo após a sequência de falhas de De Boer, que permitem a torcida e a diretoria (que há muito já não esconde o anseio de voltar a jogar uma Champions) sonharem com conquistas maiores que as dos últimos anos.

Os cartolas, no entanto, sabem que é necessário um investimento ainda maior quando se deseja conquistar o continente. Nomes como Alexis Sanchez, Verratti, Bernardeschi e Ricardo Rodriguez vêm sendo minuciosamente estudados pelos investidores em conjunto com a comissão técnica, o último, lateral, posição muito carente de nível técnico para quem já teve Zanetti e Roberto Carlos e hoje conta com Ansaldi, D'Ambrosio, Nagatomo e Santon.

Lusitano comemora seu gol logo após entrar em campo. (Foto: Tulio Puglia)
Palermo x Inter

Os comandados de Pioli foram até Palermo enfrentar o time da casa, que, pressionado na tabela, começou o jogo impondo, mas, sem sucesso, começou a sofrer bons ataques da Inter, que quando adquiriu a posse de bola levou mais perigo ao adversário do que sofreu, parando no bom e jovem goleiro croata dos anfitriões, Posavec. Vimos à equipe nerazzurri enérgica, com muita vontade é determinada a conquistar a vitória na primeira etapa.

Na segunda metade, ocorreu a mudança que já não é mais novidade: Saiu Banega e entrou o português João Mário. A partir da mudança, aos 10 minutos, o gajo deu mais qualidade no passe e com sua maior presença de área pôde completar o cruzamento de Candreva e fazer o gol da vitória com apenas nove minutos em campo.

Mais uma partida que notamos a posse de bola associada ao volume de jogo, que, por ter mais qualidade do que seu adversário foi convertido em vantagem no placar. A Inter enfrentará no próximo sábado, o lanterna Pescara. Jogando no Giuseppe Meazza e em busca da sua sétima vitória consecutiva no Calcio, o atual quinto colocado não deve ter muitos problemas em vencer o pior time do campeonato e poder encostar ainda mais em seu objetivo: A vaga para a Champions.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.