Header Ads

A nova Era Ceni começou com pé direito


Depois de tanta espera a estreia de Rogério Ceni como técnico finalmente aconteceu e o M1TO enfrentou ninguém menos que River Plate (ARG). Com um placar de 0 a 0 com bola rolando, o Tricolor venceu nos pênaltis, com Sidão defendendo dois.

Vamos primeiro a novidades dentro de campo. Ceni entrou com três zagueiros: Maicon, Rodrigo Caio e Breno, entretanto, quando a posse de bola era Tricolor, Rodrigo atuava mais como um 1º volante ao invés de 3º zagueiro. Ficou clara a ideia central do novo técnico: Marcação intensa, retomada de bola e transição rápida até o gol.

O primeiro tempo podemos dizer que o time atuou com o principal, já no segundo foi o time reserva. Assim temos praticamente dois jogos distintos, o primeiro onde apenas o São Paulo atacou, fez tudo certo e pecou - MUITO - na finalização, e o segundo onde River conseguiu chegar com perigo mais vezes.

Na primeira jogada, Wellington Nem conseguiu pênalti para o São Paulo, que Cueva cobrou mal e o goleiro defendeu. Todavia, isso não abalou o Tricolor. Com transição rápida, do meio para o ataque, com roubada de bola e marcação certa da zaga, o São Paulo "morou" na defesa argentina. Foram inúmeras chances de gols desperdiçadas, principalmente por Chavéz e Luiz Araújo. Lances inacreditáveis.

Na segunda etapa, o Tricolor mudou totalmente, dos que estavam anteriormente, apenas Buffarini permaneceu em campo por um tempo, até ser substituído por Foguete. A maioria dos jogadores era da base e era nítido o seu desentrosamento. Mesmo assim, o São Paulo não foi mal. Tomou muita pressão do River, teve até gol anulado, mas também chegou com perigo com chances de Gilberto e Shaylon.

A decisão foi para as penalidades máximas, Sidão defendeu duas e levou o São Paulo para a final, contra o Corinthians, sábado (21/01), às 21h.

OPINIÃO

É praticamente impossível comparar o time apresentado no 1º tempo com o time que atuou em 2016. A força de vontade foi outra, as jogadas foram outras, o entrosamento, a marcação, o contra-ataque rápido... É o mesmo São Paulo (com algumas peças novas), porém totalmente diferente. O novo esquema com três zagueiros, deixando Rodrigo livre como volante faz com que o meio esteja "mais populoso", assim a bola chegava com maior facilidade no ataque. Já na defesa, todos voltavam pra marcar, sem exceção.

FICHA TÉCNICA
Local: Al Lang Stadium, Petersburg - EUA
Cartões amarelos: Iván Rossi e Alario (RIV)
Arbitragem: Andrew Musashe (EUA), auxiliado por Kersten Schroeder e Natalie Simon (EUA)

SÃO PAULO

Denis (Sidão); Maicon (Lugano), Rodrigo Caio (Lucão), Breno (João Schmidt), Bruno (Júnior Tavares) e Buffarini (Foguete); Thiago Mendes (Wellington - Araruna), Cueva (Cícero) e Luiz Araújo (Wesley); Wellington Nem (Neilton - Shaylon) e Chavez (Gilberto). Técnico: Rogério Ceni

RIVER PLATE

Bologna; Montiel, Arturo Mina e Facundo Medina; Domingo (Arzura), Denis Rodríguez (Ignacio Fernández), Mayada, Iván Rossi (Matías Moya) e Tomás Andrade (Pity Martínez); Rodrigo Mora e Iván Alonso (Alario - Driussi). Técnico: Marcelo Gallardo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.