Header Ads

Bola aérea derruba sequência do Chelsea

Dito pelo próprio Antonio Conte como: O jogo mais difícil desses 13 jogos, o Chelsea foi ao White Hart Lane, enfrentar o Tottenham. Os Blues foram a campo para manter suas sequências de vitórias (13 seguidas), e também podendo abrir oito pontos de vantagem na liderança, além disso, poderia derrubar um dos dois últimos invictos jogando em casa na temporada.

Pedro e Diego Costa discutindo após um contra ataque dar errado. Fonte (Getty Images)
Além de viver uma grande fase no campeonato, o jogo teria tudo pra ser muito difícil, levando em conta até o jogo do primeiro turno, em Stamford Bridge, onde o Chelsea teve que virar o jogo depois de ser massacrado no primeiro tempo. Conte manteve o seu já muito conhecido 3-4-3: Courtois; Azpilicueta, David Luiz e Cahill; Moses, Kante, Matic e Alonso; Hazard, Pedro e Diego Costa. O treinador dos Spurs, Mauricio Pochettino, já vinha utilizando a mesma formação de Conte em alguns jogos, mas especialmente nesse confronto, veio com o mesmo 3-4-3 de seu rival, espelhando até mesmo algumas funções de certos jogadores.

O primeiro tempo foi de um jogo taticamente muito bom, o Tottenham tinha maior posse de bola e o controle do jogo, mas quem criou as chances mais perigosas foi o Chelsea, Hazard logo aos 4 minutos e depois Diego Costa. Os Spurs tiveram sua chance com Eriksen. Entretanto, o primeiro tempo passava sem que os goleiros trabalhassem, já que nenhuma finalização foi certa. O que mudou aos 46 minutos, quando Eriksen recebeu de Walker e cruzou na cabeça de Dele Alli, pra abrir o placar. 

O "mapa da mina" pro Tottenham foi a bola aérea. Fonte (Getty Images)
Os primeiros minutos da etapa final foi de uma grande pressão dos visitantes, mas quando o Chelsea parecia estar mais próximo do empate, veio o chamado "banho de água fria". Parecendo um replay do primeiro gol, Eriksen recebeu no bico da grande área e cruzou novamente na cabeça de Dele Alli e fazer 2 a 0. O restante do segundo tempo foi de um Chelsea tentando furar a marcação do Tottenham, mas em nenhum momento levando perigo, em alguns momentos o Tottenham administrava o jogo até com certa tranquilidade.

Assim se encerrou a sequência de vitórias do Chelsea, mas sem pânico, a vantagem ainda é de cinco pontos. O que fica de lição para Conte e seus comandados é a forma como os Spurs chegaram aos gols. Dois gols quase iguais, bola cruzada em diagonal e o atacante na segunda trave explorando as costas de Azpilicueta, defeito que pode ser visto contra o Stoke no fim de semana, e que agora custou uma derrota. Algo que Conte tem que corrigir com urgência. A Premier League da uma pausa de alguns dias para as copas, na volta o Chelsea enfrenta o atual campeão, Leicester, fora de casa, buscando rapidamente se recuperar dessa derrota. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.