Header Ads

O Palace está a ponto de firmar relacionamento sério com a Championship

O Crystal Palace há tempos estava de flerte com a Championship (2ª divisão inglesa). Neste sábado (14), porém, parece que as Águias de Croydon resolveram assumir de vez a saudade de jogar um campeonato distinto à Premier League. Quem sabe uma disputa um pouco mais familiar e que desde 2012/13 não mantemos contato, a pujante e glamourosa Championship. O Palace já até planeja conversar com a família da pretendente para reatar relacionamento.

Outra vez o Palace sucumbiu na reta final da partida e outra vez se perdeu nos próprios erros, outra vez patinou na falta de organização e previsibilidade de uma equipe que tinha tudo para fazer um salto de patamar esta temporada. No verão Europeu de 2016, a expectativa era latente e só crescia com as contratações, principalmente do 'homem-gol' Benteke. Com mais da metade da temporada já tendo se esvaído, a realidade dura e crua é totalmente oposta.

Situação do Palace se torna delicada na Premier League. Reprodução/Twitter Oficial do Crystal Palace.
Pardew não resistiu ao mau momento, Big Sam chegou após escândalo quando era técnico da seleção inglesa, o que lhe custou o cargo. Na prática não melhorou nada. Nas últimas 15 partidas (11 sob o comando de Pardew), portanto 45 pontos disputados, o Palace conseguiu apenas seis pontos (1V - 3E - 11D). Big Sam elegeu para entrar em campo no London Stadium: Hennessey, Tomkins, Dann, Delaney, Ward, McArthur (Lee), Ledley (Schlupp), Townsend (Remy), Cabaye, Puncheon e Benteke.

O confronto de londrinos teve uma primeira etapa que não ofereceu muita emoção para os 56,984 presentes na nova casa dos Hammers. Poucas chances criadas impediram alguma equipe de assumir a liderança no encontro, Tomkins que enfrentara a sua última equipe teve talvez a melhor chance de tirar o zero do marcador e, mesmo a queima-roupa, não foi capaz de romper o gol de Randolph, 0-0 foi o saldo da etapa inicial.

No segundo tempo, os mandantes controlaram as ações da partida e ganhavam escanteios em sequência, já merecendo abrir o placar. Aos poucos, com paciência foram surgindo os espaços na defesa dos visitantes E, após o primeiro gol marcado, aos 23 minutos por Feghouli com assistência de Antonio, o Palace se lançou ao ataque e o contra-ataque do West Ham se transformou em um desfecho cruel para as Águias de Croydon. 

Gol de Carrol foi cereja do bolo melancólica para a noite do Palace. Reprodução/Twitter Oficial do West Ham.
Saíram outros dois gols, ambos com assistências de Antonio, aos 34 e 41 minutos com direito a uma obra prima de Andy Carroll numa bicicleta quase de fora da área - o Palace tem se notabilizado por sofrer golaços, vide o gol escorpião de Giroud. Mesmo sem Payet, o Palace não foi páreo para a eficiência do West Ham, que com apenas 44,4 % de posse de bola e três finalizações na direção do gol, fez 3-0 e decretou a história do embate.

O Crystal Palace agora entrou de vez na briga contra o rebaixamento, e dos rivais que estão na mesma situação, é o que está no pior momento. Em 21 jogos, são 16 pontos conquistados (4V - 4E - 13D), a mesma pontuação do Hull City, primeiro na zona de rebaixamento, e apenas um ponto do penúltimo e último colocados. O Crystal Palace estreou Remy e Schlupp e segue sem uma vitória sequer sob o comando de Sam Allardyce.

Próxima partida do Crystal Palace pela Premier League:
21 de Janeiro - 13h (hora Brasília) - Selhurst Park.
Crystal Palace x Everton.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Crystal Palace

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.