Header Ads

Soberania azul, poucas surpresas e muitos destaques: Chegamos a metade da Premier League

Sob enormes expectativas, a edição 2016/17 da Premier League começou com os principais candidatos ao título buscando retomarem as suas soberanias dentro da competição, após uma temporada atípica e de um campeão improvável. E, até o momento, isso têm se cumprido. Ao que tudo indica Chelsea, Liverpool, Arsenal, Tottenham, City e United certamente não darão chance ao "azar", visto que já conseguiram uma distância considerável no bloco dos seis primeiros.

O Chelsea terminou o primeiro turno isolado e na liderança (Foto: Getty Images)
A enorme vantagem a favor do Chelsea é o que, de certa forma, surpreende. Com a chegada de Antonio Conte, a equipe rapidamente reencontrou o bom futebol jogado em 2014/15, quando foi campeão pela última vez. O Liverpool, contudo, não faz um campeonato ruim. Pelo contrário, mostrou regularidade no campeonato, tem o melhor ataque até então e somou uma pontuação que daria a liderança a esta altura da temporada passada. Fora das competições europeias, a expectativa é que Blues e Reds se mantenham no topo até o final, seja com o título ou pelo menos consolados com a vaga na próxima Champions.

Já os outros postulantes ao título terão que lidar com um calendário mais desgastante na sequência. O Arsenal, inclusive, almeja chegar longe na Champions e a prioridade de buscar uma boa campanha na Premier League dependerá da sequência na competição europeia. Após ultrapassar o City, o subestimado Tottenham também fechou o primeiro turno no top four, possuindo uma pontuação superior a alcançada a esta altura da temporada passada e provando que tem condições de brigar pelo título mais uma vez, tendo um confronto direto contra o rival e líder na próxima rodada.

Manchester United manager Jose Mourinho and Manchester City manager Pep Guardiola greet each other before the match
Guardiola e Mourinho ficaram de fora do top four (Foto: Offside Sports)
Nem mesmo os rivais de Manchester podem ser descartados. Com Guardiola no comando, o City iniciou o campeonato bem, não conseguiu manter a regularidade e atualmente é apenas o 5ª colocado, mas enfrentará a maioria dos adversários diretos no Etihad Stadium, o que pode ser um diferencial para somar pontos que recolocariam os Citizens na briga. Em contrapartida, o United iniciou o campeonato de maneira irregular, tropeçou em confrontos diretos e ficou um pouco distante do topo, mas os últimos resultados dão esperanças aos Red Devils possam buscar algo melhor que a 6ª colocação. O mais viável, porém, é que ambos os rivais briguem pelos títulos das respectivas competições continentais que disputam ou pelas vagas na Champions na própria competição nacional.

Na briga contra o descenso, Sunderland, Hull City e Swansea ocupam a zona de rebaixamento com 14, 13 e 12 pontos, respectivamente, sendo os principais ameaçados. Os Black Cats inclusive estiveram próximos de serem rebaixados na última temporada, mas se salvaram; Os Tigers vieram da Championship e tentam evitar a queda logo na primeira temporada após o acesso; Já o time galês, é o lanterna, faz um campeonato muito abaixo em relação aos últimos anos e espera reagir após a troca do treinador.

Surpresa

Levando em consideração que esta edição não propõe grandes surpresas, a campanha que mais merece destaque é a do West Brom, que chegou a ficar até a 7ª colocação e terminou o primeiro turno na parte de cima da tabela. Com 26 pontos, o time comandado por Steven Pulis faz um campeonato considerado bom devido às pretensões iniciais, ocupando a 8ª colocação no momento e estando apenas um ponto atrás do Everton, que atualmente é o último na zona de classificação para competição europeia. Terminar o campeonato com uma dessas vagas seria um grande feito do modesto time.

Decepção

Apesar da péssima campanha do Leicester City, a maior decepção até aqui é o West Ham, que coincidentemente está próximo na tabela – apenas dois pontos separam os dois times. Além da boa campanha na última edição, fatores como a permanência de seus principais jogadores, do técnico Slaven Bilic e, principalmente a mudança para o London Stadium, fizeram com que os torcedores criassem uma expectativa ainda maior para esta temporada.


Manager of West Ham United, Slaven Bilic reacts
As péssimas atuações têm dado dores de cabeça em Slaven Bilic (Foto: Rex)
A tamanha expectativa ficou nítida antes mesmo de o campeonato começar e a venda de bilhetes foram um sucesso. Este sucesso, no entanto, não se repetiu dentro de campo: os Hammers fazem um campeonato irregular, ficou a maior parte do campeonato na parte de baixo da tabela e flertaram com a zona de rebaixamento em alguns momentos – sem contar a eliminação precoce na Europa League. O craque francês, Dimitri Payet, ainda mantém o bom futebol, mas sofre com a queda de rendimento de seus companheiros.

Destaques individuais

Diego Costa é o principal artilheiro da Premier League (Foto: Reuters)
Artilheiros – Diego Costa (14); Alexis Sánchez e Zlatan Ibrahimovic (12)

Assistências – Kevin De Bruyne (9);

"Onze ideal" do primeiro turno pelo Linha de Fundo:

Onze ideal da primeira metade do campeonato segundo votação do LF (Arte feita por Sérgio Santana via Lineup)
Pickford (Sunderland); Walker (Tottenham), Azpilicueta (Chelsea), David Luiz (Chelsea) e Rose (Tottenham); Gueye (Everton), Kanté (Chelsea) e Coutinho (Liverpool); Hazard (Chelsea), Sánchez (Arsenal) e Diego Costa (Chelsea). Técnico: Antonio Conte

Menções honrosas: Courtois (Chelsea); van Dijk (Southampton); Bertrand (Southampton); Pogba (Manchester United); De Bruyne (Manchester City); Payet (West Ham), Ibrahimovic (Manchester United); Jürgen Klopp (Liverpool).

Por: Marcelo Júnior

Twitter: @marcelinjrr / @SiteLF / @LFEuropa

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.