Header Ads

Uma breve história do futebol - Parte 1

Futebol é o esporte mais popular do mundo: Das favelas do Rio de Janeiro à Pequim, da Flórida a Jacarta, do leste europeu até a África do Sul, as pessoas simplesmente não resistem a chutar uma bola ou assistir outras pessoas fazendo o mesmo. Os números são surpreendentes: Aproximadamente, 250 milhões de pessoas jogam futebol regularmente no mundo e se os futebolistas formassem uma nação, ela seria a quarta mais populosa na Terra. Quase poderíamos dizer que o futebol é uma linguagem universal. Se você se encontrar no meio de um país estranho sem nenhum conhecimento da língua local, ainda seria capaz de iniciar uma conversa usando alguns gestos acompanhados pelos nomes de alguns jogadores como Pelé ou Maradona.

Crianças jogam futebol numa favela do Rio de Janeiro. (Foto: Reprodução)
Futebol aproxima as pessoas uma das outras e dá a elas um senso de identidade. É uma novela sem fim que fornece um roteiro para nossas vidas e uma fonte inesgotável de debate. Todos os aspectos da existência humana estão no futebol: Heróis e vilões, amor e ódio, poder, política e dinheiro. Como a própria vida, o jogo proporciona momentos de beleza sublime e outros de grande decepção. Entretanto, o que ainda não conseguimos ter é uma explicação de por que as pessoas são tão fascinadas pelo futebol. Ainda assim, não há mal em olhar para algumas teorias.

Alguns alegam que o futebol é um substituto para a caça - em que, naturalmente, nossos antepassados dependiam para a sobrevivência. De acordo com esse ponto de vista, um gol equivale a uma morte, o que certamente explicaria o senso de importância em torno do jogo. Outra possibilidade é de que o futebol seja uma guerra ritualizada.  Afinal, o esporte é elaborado em linguagem militar - tais como campanhas, táticas e capitães - e pode não ser por acaso que sua popularidade coincidiu com uma era em que os jovens tinham sido menos regularmente envolvidos em campos de batalha do que o passado.

Jovens jogam futebol no corredor da Mesquita Kashan’s Agha Bozorg. Kashan, Irã, 2010. (Foto: Ian)
Ambas as teorias tem seus méritos, mas talvez, uma explicação mais simples precisa ser acrescentada. Nossa história pode ser vista como a história de divisão crescente entre nossos eus físicos e nossas mentes. O futebol funciona de outra forma. Unindo o cérebro com as partes do corpo na extremidade oposta, os pés, curando temporariamente a divisão. Quando nós jogamos o jogo ou nos identificamos com outros que estão fazendo o mesmo, nos tornamos inteiros novamente.

Ao lado do Coliseu rapaz sem bola se desloca e indica onde quer receber a bola. Roma, Itália, 2014. (Foto: Caio Vilela)
Não poderíamos pensar o esporte sem usar a citação mais famosa e cliché do futebol. "Algumas pessoas acreditam que o futebol é uma questão de vida ou morte", o grande técnico do Liverpool Bill Shankly disse uma vez. "Posso garantir que é muito, muito mais importante do que isso". Ninguém melhor capturou a profundidade irracional da paixão despertada por vinte e dois homens correndo atrás de uma bola.

Embora intitulada como "breve", a muito do que se contar sobre a trajetória do futebol. Então vamos com calma, amigos! Continuamos em breve na parte 2. Abraços!

Matheus Morais

Twitter: @danosmorais_
Instagram: @danosmorais

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.