Header Ads

Empate frustrante e pensamento no returno

Sem vencer a três partidas, com duas derrotas e um empate, a Chapecoense voltou ao gramado da Arena Condá precisando da vitória para seguir sonhando com ao título do turno no Campeonato Catarinense.

Foto: Sirli Freitas
Do outro lado, um adversário em crise, e que também buscava manter o sonho de conquistar o turno do estadual, depois da eliminação precoce na Copa do Brasil, perdendo para o Rio Branco do Acre, demitiu o ex-técnico Marquinhos Santos, anunciando a volta de Márcio Goiano, que acompanhou a partida deste domingo (19), das tribunas.

O clima quente de quase 30 graus parece não ter esquentado os jogadores em campo, com a bola rolando, a Chapecoense partia com apoio do torcedor, partia para cima dos alvinegros, mas errava muitos passes. Já o Figueirense, não conseguia criar boas jogadas, e apenas se defendia nos minutos iniciais.

As principais jogadas de perigo eram de bola parada, e foi assim que aos 12 minutos, Andrei Girotto quase abriu o placar, após cobrança de escanteio, o volante subiu sozinho e cabeceou para o chão, Thiago Rodrigues bem colocado pulou para salvar.

O lance deu um gás a mais ao Verdão, que iniciou uma pressão e obrigou o goleiro alvinegro trabalhar, primeiro aos 16 minutos após bela jogada de Rossi, Girotto apareceu livre novamente, agora para desviar com o pé, Thiago novamente pulou no cantinho e fez grande defesa. Depois aos 25’, Rossi recebeu livre e invadiu a área, chutando forte, novamente o goleiro espalmou e salvou o Figueirense.

O balde de água fria veio aos 42 minutos, na sua primeira chegada de perigo, em cobrança de escanteio de Anderson Aquino, Elias saiu mal e Bruno Alves desviou de cabeça para o fundo das redes, abrindo o placar para os visitantes, e aumentando a pressão para a Chapecoense.

As equipes voltaram para o segundo tempo sem alterações, enquanto o Figueirense jogava fechadinho, buscando segurar o placar, a Chapecoense se jogava com tudo para o ataque em busca do empate.

Aos 9 minutos, Nadson lançou Reinaldo na esquerda, o lateral invadiu a área e chutou forte, mas Thiago Rodrigues estava em uma tarde inspirada, desviando na bola que explodiu no travessão, no rebote Rossi tentou de bicicleta, a novamente lá estava o travessão para salvar.

Vagner Mancini tentou alterar a forma de o time jogar, Nadson e Wellington Paulista deram lugar a Martinuccio e Túlio de Melo, mas nada mudava, o Verdão pressionava, criava ótimas jogadas, mas tinha uma dura batalha, furar a meta defendida por Thiago Rodrigues, que salvou novamente aos 21 minutos em chute rasteiro de Girotto.

A entrada de Luiz Antônio no lugar de Girotto deu um toque de bola melhor, e mais qualidade na saída de bola. Mas o tempo passava, e parecia não ser à tarde Chapecoense, quando não era o goleiro alvinegro, era a sorte que jogava contra, aos 38 minutos o zagueiro Nathan recebeu livre, cara a cara com Thiago, mas chutou para fora talvez a melhor oportunidade do jogo para a Chape.

Se o futebol é injusto, hoje ele não foi, depois de toda pressão durante os dois tempos, aos 46 minutos, Rossi enfim encontrou o caminho das redes, e empatou a partida, em cruzamento de Niltinho, o baixinho atacante se agigantou e cabeceou sem chances para Thiago Rodrigues, enlouquecendo a torcida.

Restavam poucos minutos, era praticamente impossível, e após o apito final do árbitro, o empate frustrou as duas equipes, que praticamente deram adeus às chances de levar o primeiro turno do Catarinense, mas valeu a força de vontade e aos gritos de “Vamo Vamo Chape” os jogadores deixaram o gramado da Arena Condá, recebendo o apoio do torcedor.

A Chapecoense volta a campo novamente na Arena Condá na próxima quarta-feira (22), quando receberá o Metropolitano, às 21h45min.

O empate frustrou os torcedores que compareceram nas arquibancadas para apoiar a equipe, além de praticamente eliminar qualquer possibilidade de conquista do turno, é hora de pensar, e focar no returno, corrigir principalmente os erros defensivos, além de urgentemente a contratação de um camisa 10. O torcedor vem fazendo sua parte, agora é com Vagner Mancini e seus comandados provarem que são dignos de vestirem uma camisa que leva mais que um escudo, levam 71 estrelas consigo. VAMO VAMO CHAPE!

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.