Header Ads

Nada pra se comemorar

É, torcedor carijó, ainda não venho falar sobre a primeira vitória no Campeonato Mineiro 2017. Sinceramente, este torcedor que vos escreve esperava mais neste início, quando as primeiras rodadas pareciam favoráveis para nós, sobretudo por enfrentar dois fregueses históricos nas duas primeiras rodadas...

Assim como o time de Tombos, o adversário da vez tentaria quebrar o tabu de nunca ter derrotado o Tupi, que acumulou três vitórias e um empate nos confrontos anteriores. Novamente, afirmo ter consciência de que retrospecto não entra em campo, cada jogo é uma nova história e já havíamos tido essa lição no jogo passado, mas isso só aumenta a responsabilidade no certame.

Neste domingo (05), o Tupi foi até o Vale do Mucuri, onde visitou o América de Teófilo Otoni, no estádio Nassri Mattar. Desta vez, conseguimos manter a escrita contra o adversário, mas não há nada pra se comemorar. Alguns podem até discordar, dizendo que "É sempre difícil jogar lá", "A equipe evoluiu em relação ao último jogo" e "O empate fora de casa é bom", o que eu só levaria em consideração se tivéssemos feito o dever de casa na estreia.

O Galo Carijó apenas empatou no Vale do Mucuri(Foto: Ana Carolina Magalhães/Inter TV)
Após a derrota para o Tombense, esperava-se que o time pudesse ter outra postura, buscando os três primeiros pontos. Não foi o que vimos. Com uma proposta mais reativa, tivemos novidades no onze inicial, que foi à campo com Gideão; Euller (no lugar de Yago), Elivelton, Edmário e Bruno; Marcel, Bonilha (outra novidade neste jogo), Juninho e Carlos Junior; Flávio Caça-Rato e Matheus Pato.

Desde o início, o Tupi se preocupou especialmente com a marcação, deixou o adversário tomar as rédeas da partida e optou por jogar no contra-ataque, como Éder Bastos planejou. Nos primeiros 45 minutos, podemos dizer que a estratégia deu certo, o Galo Carijó aproveitou bem os espaços e esteve mais próximo de marcar, mas a bola de Matheus Pato carimbou o travessão.

Da mesma forma que poderia ter dado certo, também poderia ter dado muito errado. Aliás, estivemos mais perto da derrota do que da vitória a etapa complementar, quando o América-TO voltou determinado a buscar o resultado após o intervalo. A pressão do Dragão resultou em boas chances, mas não em gols, graças às defesas de Gideão. Fim de jogo: 0-0.

Entretanto, a frustração maior nem é o resultado em si, e sim, a forma de lidar com o mesmo. Enquanto o adversário lamentou, nosso time demonstrou satisfação com o empate, principalmente o técnico através da sua declaração. A não ser que ele veja possibilidades em somar pontos no jogo seguinte, foi sim um péssimo resultado, pois é bem provável que a 3ª rodada nos coloque ainda mais distantes das nossas pretensões iniciais, que é a vaga nas semifinais.

O próximo jogo será em Juiz de Fora, mas o adversário será ninguém menos que o Cruzeiro, no sábado (11), às 16h30. Além de ficar longe do G-4, um resultado ruim contra a Raposa pode nos colocar próximos da zona de rebaixamento, ou até mesmo dentro dela. Porém, o "nosso campeonato" não é contra a capital, o que só aumenta a necessidade de vencer jogos contra times do interior.

Embora seja cedo para pensar no pior, nós não podemos nos contentar apenas com a permanência na elite, ficar de fora das semifinais e fazer mais um campeonato como coadjuvante, o que tem acontecido com frequência nas últimas edições. Ainda há tempo para se recuperar e é isso que esperamos!

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

2 comentários:

  1. Talvez seja mesmo cedo para se pensar no pior. Da mesma forma, espero que já não seja tarde para se tentar fazer algo melhor.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.