Header Ads

Camisa linda e futebol de arder os olhos

Na tarde deste último sábado, o Figueirense recebeu dentro de seus domínios, a equipe do Joinville em mais uma rodada do Campeonato Catarinense. Vindo de maus resultados, o Figueirense queria amenizar o clima ruim com a torcida, e aproveitou para estrear seu novo uniforme produzido pela alemã Adidas.

Abatido e sem reação. A personificação do Figueirense 2017 (Foto: Março Fávero/Agência RBS)
Dominado pelo fraco Joinville, o Figueirense sucumbiu-se e foi derrotado com gols de Renan Teixeira e Marlyson. Dentro de campo, vimos o mesmo Figueirense de sempre. Aquele sem vontade, sem qualidade e sem a essência alvinegra que tanto era vista em times anteriores do Figueira. Times onde a raça compensava a falta de qualidade. Coisa que hoje não vemos.

Com a derrota, o presidente Wilfredo Brillinger decidiu pela demissão de dois nomes: Branco, Assessor da Presidência; e Léo Franco, Superintendente de Esportes. Para o lugar de Branco, não virá ninguém, o que atesta a inutilidade do cargo inventado por Wilfredo Brillinger somente para empregar um amigo. Para o lugar de Léo Franco, foi anunciado o nome de Carlos Arini. Conhecido em Santa Catarina, Carlito, como é chamado, já teve passagens pelo o Avaí, e pelo próprio Figueirense durante os anos de 2001 a 2004.

Wilfredo Brillinger ao lado dos agora demitidos, Léo Franco e Branco (Foto: Polidoro Junior)
As mudanças no Figueirense estão sendo feitas e estamos em março, o que é um atestado de extrema incompetência da diretoria. Cabeças estão rolando, e mais irão rolar. Espero que as cabeças de alguns jogadores rolem, como por exemplo: Dirceu e Bill. Dirceu porque é um jogador totalmente ridículo. Jogador circense. E Bill, pois é inadmissível que um centroavante esteja há 11 jogos sem marcar um gol e não fazer nada dentro de campo. Para ele, a desculpa de não ter um camisa 10, não cabe mais. Rafael Moura em 2016, também não tinha um camisa 10 para o alimentar, e rendia muito mais do que Bill, que veio com o grande status de artilheiro da última Série B.

De ponto positivo, os novos uniformes. Lançada no fim de fevereiro, a segunda camisa já havia sido revelada, e teve sua estreia nesta partida com o Joinville. Partida que também teve a estreia da terceira camisa, que não decepcionou o torcedor. Porém, o que está realmente decepcionando o torcedor, é o time dentro de campo. Hoje, temos uma camisa tão linda para um time horroroso.

Ficha Técnica | Figueirense 0x2 Joinville

Data: Sábado, 18 de março de 2017
Horário: 16h (horário de Brasília)
Local: Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis, SC
Público e renda: 4330 presentes; renda de R$ 54.165,00
Arbitragem: Sandro Meira Ricci (SC); Carlos Berkenbrock (SC), Eder Alexandre (SC)
Cartões amarelos: Dudu e Leandro Almeida (FIG); Danrlei, Gustavo e Júnior Sutil (JEC)
Cartão vermelho: Bill (FIG)
Gols: Renan Teixeira e Marlyson (JEC)

Figueirense: Thiago Rodrigues; Dudu (Weldinho), Dirceu, Leandro Almeida, Marlon; Patrick (Anderson Aquino), Hélder, Ferrugem, João Pedro (Matheus Fogaça); Elias, Bill | Técnico: Márcio Goiano

Joinville: Jhonatan; Caíque, Danrlei, Max, Gustavo (Juninho); Júnior Sutil (Roberto), Renan Teixeira, Breno (Fabinho Alves); Alex Ruan, Bruno Rodrigues, Marlyson | Técnico: Fabinho Santos

Patrick Silva | @figueiradepre

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.