Header Ads

Fantasma da temporada passada volta assustar em Uberlândia

Uberlândia, MG, 13 - Ao torcedor mais fanático do maior do interior de Minas Gerais, e, àquele que acompanha esporadicamente o desempenho do UEC, o coração começa a palpitar mais forte e fica a sensação deste ano se assemelhar perigosamente com a última temporada do Verde na elite do estado.

Capitães das equipes momentos antes do início da partida. Crédito: Reprodução/FMF/Divulgação.
Após passarmos cinco longos e tenebrosos anos na divisão de acesso, o gigante finalmente acordou. Em 2016 cercado de muitas expectativas e com uma áurea de novidade voltamos à elite. Na estreia, o confronto com o Atlético Mineiro e derrota no Parque, com gol nos acréscimos. Depois o Verdão engatou uma série de quatro vitórias em sequência, assumindo a liderança do certame e acendendo a chama da euforia no triângulo. Lembramos-nos o que se seguiu, sete derrotas e a liderança se tornou um quase descenso, só não caímos por meros critérios de desempates.

Porque estou rodeando o assunto com essa lembrança amarga do último ano? Simples, a atual temporada me faz lembrar e muito que aconteceu recentemente. Novamente o Periquito saiu de campo derrotado, dessa vez, o adversário foi o Villa Nova, Domingo (12), em Nova Lima. Agora passadas sete rodadas, restam apenas quatro jogos, sendo três em casa (Caldense que está à nossa frente, Cruzeiro que dispensa comentário e Tupi tradicional rival mineiro), o jogo fora de Uberlândia é contra a URT, em Patos, um clássico da região.

Estou tendo a sensação de déjà vu, aquela sensação de que algo que já vi antes está novamente acontecendo de novo. São duas derrotas seguidas na conta, quatro ao todo no campeonato e uma perspectiva de jogos encardidos na continuação da saga uberlandense. O Início bom animou ao torcedor, que sonha novamente em disputar competições nacionais. A equipe tem jogadores com passagens por clubes importantes do futebol brasileiro, porém ao que indica nossa disputa será em permanecer na elite.

A torcida do Verde tem feito o seu papel, comparecendo ao Gigante do Parque. Temos a 3ª melhor média da competição, atrás dos grandes de BH, o que nos frustra, é que, temos um potencial imenso inexplorado, poderíamos ter médias de públicos melhores que a atual: 4523 espectadores. Sabemos que o público é reflexo do time, mas o potencial da paixão da torcida é subaproveitado e relegado por diretoria e os jogadores que são meros ciganos da bola e não criam vínculo nenhum, pois os times "sem divisão" não tem calendário anual.

Vamos ao jogo. Pouca coisa a se comentar, Roni do Villa foi carrasco do Verdão, que agora reanimou o adversário na disputa do Mineiro 2017. O pressionado mandante não fazia uma partida muito ofensiva ao gol do UEC, que por sua vez seguia o mesmo caminho, levemente superior ao Villa (o UEC tinha a posse de bola inerte, "é minha, mas não sei o que fazer") que ficou na dele. No final do 1º tempo, erramos na saída de bola, Felipe Augusto saiu cara a cara com Thiago Braga, o arqueiro do Verde não conteve a finalização e Roni deixou a sua marca, praticamente no último lance da etapa.

Na volta do intervalo Catanoce lançou Reinaldo Alagoano, o Verdão até buscava um pouco mais de incisão nas jogadas, mas pecava nas finalizações, uma infeliz marca da equipe até aqui. Alagoano não se provou dentro de campo, ontem, muito menos no campeonato, o atacante que chegou cercado de expectativas, vindo de boa Série C com a camisa do ASA, ainda não aterrissou em Uberlândia. O Villa administrou até novamente ganhar no terço final da segunda etapa um presente de Thiago Braga, que prontamente foi aproveitado por Roni, definindo o placar em Nova Lima, 2-0.

Nessun testo alternativo automatico disponibile.
Pôster de divulgação. Crédito: Reprodução/Facebook Oficial do UEC.
O UEC segue ladeira a baixo, com os resultados da rodada caímos para a 7ª posição, o Villa agora cola na classificação. Agora restando apenas quatro rodadas, a disputa se abrangeu, pode ser G4, meio de tabela ou contra o rebaixamento.

Uberlândia: Thiago Braga, Cesinha (Reinaldo Alagoano), Mauro Viana, Robinho, Marinho Donizete (Rogério), João Paulo, Alê, Rodney, Diogo Peixoto, Marcos Nunes (Baiano) e Shumacher. Tec. Paulo Cézar Catanoce.

Próximo Jogo pelo Campeonato Mineiro:
19 de Março - 16h (hora Brasília) - Parque do Sábia.
Uberlândia x Caldense.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Uberlândia

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.