Header Ads

No Fla-Flu da paz, venceu o Fluminense e o futebol

Parecia um sonho estar vendo aquele Fla-Flu decisivo depois de 24 decisões de títulos no Rio sem a dupla rival. O jogo tinha todos os motivos para ser épico, uma semana de indecisões sobre torcida, estádio, quem joga e quem não joga, "richa" com presidente de outro time, união com o rival, título. O "Fla-Flu da paz" - assim chamado pela imprensa - era o jogo mais esperado da famigerada rodada de estaduais pelo Brasil e correspondeu muito acima do que era esperado.

Há exatos três dias antes do, até então, jogo mais importante do ano para o Flamengo, os comandados de Zé Ricardo pareceram um tanto quanto desligados do jogo - especialmente o setor defensivo. O rápido time do Fluminense logo na primeira oportunidade já soube aproveitar o espaço cedido pela zaga Rubro-Negra e em um contra-ataque fatal logo aos 4 minutos de jogo abriu o placar para o Tricolor. Era preciso demonstrar evolução do trabalho para conseguir virar o jogo contra a defesa que havia chegado à final sem sofrer um gol se quer, ou então a virada viria na raça, e assim se deu. Mesmo com Rafael Vaz, Muralha e Trauco fazendo jogo muito abaixo da média, a boa fase de Pará, Diego e Guerrero pesaram a favor e na base da vontade o Flamengo conseguiu a virada.

Até este momento do jogo, as falhas do Flamengo eram abafadas pelo bom ritmo do time e até mesmo do jogo em si, que era muito franco e a todo o momento com ataques dos dois times. Porém uma hora a conta chega: Após mão na bola de Guerrero dentro da área o árbitro marcou o pênalti que Henrique Dourado, com muita categoria, bateu e empatou o jogo. No maior teste antes da estreia na Libertadores, o Flamengo pareceu assustado com o nível parecido de time que tinha o Fluminense, que foi superior em alguns momentos do jogo. Tal susto gerou um erro grotesco no meio da zaga Rubro-Negra - que ficou totalmente exposta - e o lateral Lucas, do Fluminense, saiu cara a cara com Muralha que nada podia fazer, 3 a 2 Flu em um jogo espetacular para os amantes do futebol e muito tenso para os Flamenguistas. 

Muralha se estica e por muito pouco não defende a cobrança de Henrique. Fonte: globoesporte.com
Não há conversa em vestiário que resolva uma partida. Muito menos quando os volantes da equipe não funcionam. Rômulo e Arão pareciam estar no 1° jogo da dupla no ano, ninguém se entendia, não havia sobra nem cobertura, uma festa pros rápidos atacantes do Fluminense, que poderiam ter ampliado o placar. As mexidas de Zé Ricardo surtiram efeito, Gabriel e Berrío entraram bem. Especialmente Gabriel, conseguiu cobrir bem o lado do campo que Mancuello sofreu pra conseguir fazer durante o 1° tempo e a metade do 2°.

Na base da persistência e no talento individual de Guerrero, que mais uma vez fez uma grande partida, o Flamengo conseguiu empatar o jogo mais uma vez. Após uma cobrança de falta espetacular do camisa 9 Rubro-Negro, já na reta final do jogo. Berrío ainda teria uma chance clara de gol, mas não aproveitou. Era hora de decidir nos pênaltis.

Faltou capricho, ficou claro isso. Mas o que ficou claro também foi a necessidade que tem Muralha de treinar pênaltis, que é algo muito importante para quem vai jogar uma Libertadores (em 2013, Victor salvou o Galo inúmeras vezes em penalidades). Rafael Vaz e Réver perderam feio as cobranças e o Fluminense, bem treinado, converteu todas. Título tricolor merecido, jogo espetacular.

Opinião

Após falta espetacular, Guerrero comemora mais um gol no ano. Fonte: globoesporte.com
Não me venham com crises, demissão de técnico, nada disso. O Flamengo perdeu a final da Taça Guanabara como gente grande, lutou até o fim, buscou o placar duas vezes e se mostrou minimamente pronto pra enfrentar um time grande e cascudo como é o abençoado San Lorenzo, da Argentina. Falhas individuais e atuações abaixo do normal custaram o empate, que era o placar mais justo do jogo se não fosse uma final. Quarta-feira o Maracanã irá pulsar novamente pelo Flamengo, serão 40 milhões de corações insaciáveis pelo bi da América refletidos em 11 jogadores. Da arquibancada, deixaremos tudo de nós. Não existe crise, não existe abalo, o ano do Flamengo começa nessa quarta-feira (8) e vamos lutar até o final por esse título.

VAMOS, FLAMENGO!

Por: Matheus Subtil / @matheusubtil 

2 comentários:

Tecnologia do Blogger.