Header Ads

Em Selhurst Park, Palace sucumbe ao Burnley

Uberlândia, MG, 30 - Pressão não surte efeito, Palace tem tarde pouco efetiva, é derrotado em casa, mas a permanência na Premier League só depende das próprias forças.

Palace de Zaha, pressionou, teve a bola, mas o gol não saiu. Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace.

A semana cheia, com três jogos em sequência, teve início animador, meio de semana desapontador, compreensível, mas desapontador e um final melancólico. Em um espaço de sete dias, três partidas, duas extremamente desafiadoras e complicadas. Liverpool em Anfield, vitória espetacular, de virada e com direito a "lei do ex". Tottenham em Croydon, derrota por placar mínimo, saldo de 50% contra adversários que brigam por vaga em competições europeias. A última parada da semana colocava no caminho do Palace, o Burnley, visitante até então pouco atuante.

Infelizmente para a torcida do "CP", o ano que deveria ser aquele que proporcionaria o salto de nível, colocando as Águias do sul de Londres na briga pela Europa, acabou não se concretizando, e mais do que isso, se tornou uma temporada tenebrosa, onde o temor por uma volta à Championship foi inquietante e por um longo período algo bastante factível. O ano que chegara com adições importantes no elenco, se mostrou um teste cardíaco aos supporters fanáticos de Croydon.

Durante a temporada muitas reviravoltas, começo empolgante, desenvolvimento agonizante. Com a competição em curso, várias mudanças e outras tantas novidades no plantel do Crystal, a troca no comando foi só o primeiro passo adotado pela diretoria, em plena seca de vitórias, Big Sam foi contratado. Aos poucos foram chegando algumas peças interessantes que auxiliaram na recuperação vivida no sul da capital.

Parece-me oportunismo reclamar ou cobrar os jogadores por essa agora sequência de duas derrotas. Claro que podemos contestar algumas decisões feitas pelo corpo diretivo, alguns pontos chaves desperdiçados em Selhurst Park, outrora ambiente hostil aos adversários e que nesta época não vem sendo o mesmo alçapão de anos anteriores. Mas o poder de reação, hombridade e respeito com a malha azul e vermelha que estes jogadores têm demonstrado com a arrancada fantástica que nos tirou do abismo profundo da zona de rebaixamento a uma posição hoje de certa tranquilidade, particularmente me recuso a "atirar pedras" nos atletas neste momento em si.

Ao jogo, as equipes que se mostraram inconstantes em 2016/17 chegaram para o confronto com o real risco do rebaixamento. O desafio foi entre adversários diretos, com objetivos comuns. O Palace, dono da casa, partiu para cima do oponente, a pressão foi grande, colocando o Burnley contra a parede. E foram acuados pela pressão que veio a resposta, em forma do gol que desencabulou o marcador, 1-0. O Crystal continuou em cima durante toda a primeira etapa, desperdiçando algumas chances e deixando a definição do encontro em desvantagem para a volta do intervalo.

Com 63,5 % de posse de bola, palace apresentou dificuldade em finalizar as jogadas. Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace.
O segundo tempo proporcionou um tom bem similar ao jogo, Palace pressionando, atacando, jogando contra as cordas a equipe do Burnley. Tom Heaton, goleiro adversário se destacou, sendo preciso quando foi necessário atuar, junte a isso a pouca eficácia do Palace e criou-se então o ambiente perfeito para que os visitantes encerrassem o encontro vitorioso, no final o gol que selou a história da partida, 2-0 Burnley, que venceu fora de casa pela primeira vez na temporada.

Com o resultado, o Palace caiu para o 16º lugar com 38 pontos, seis pontos à frente do Swansea, time que abre a zona de rebaixamento e que é o único com possibilidades ainda de ultrapassar as Águias. Agora na caminhada rumo a permanência na Premier League, o Palace enfrentará: Manchester City (em Manchester), Hull City (Selhurst Park) e Manchester United (em Manchester). Matematicamente, quatro pontos são necessários para escarpar do descenso, caso o Swansea perca uma partida, um ponto assegura mais uma temporada de Premier League visitando Croydon.

Crystal Palace: Hennessey, Ward, Kelly, Delaney, Van Aanholt, Milivojevic, McArthur (Campbell), Puncheon, Townsend, Zaha, Benteke (Remy). Téc. Sam Allardyce.

Histórico na PL: Quatro jogos por Premier League, uma vitória do Palace, um empate e duas vitórias do Burnley (ambas nesta edição).

Próximo Jogo pela Premier League:
06 de Maio - 08:30h (hora de Brasília) - Etihad Stadium.

Manchester City x Crystal Palace.

Parabéns ao ex jogador do Palace, melhor jogador do clube em 1991-92, Eddie McGoldrick, 52 anos. Reprodução/Twitter oficial do Crystal Palace.
Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Crystal Palace

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.