Header Ads

Fogão no 2° semestre: O que muda

O Campeonato Paulista passou, e ficou para trás na agenda de prioridades que o Botafogo tinha a cumprir para a temporada de 2017. Pela sexta vez, em oito, desde que retornou para a elite do futebol estadual, o time de Ribeirão Preto esteve classificado para a fase quartas de final do Paulistão. Motivo de orgulho para o torcedor, e também para a diretoria, que se mostram eficazes nos trabalhos ao longo dos anos, e que vem trazendo resultados satisfatórios para o torcedor botafoguense.

A partir de agora se muda o foco. O segundo semestre se aproxima, e a maior ambição do tricolor de Ribeirão também. O Brasileiro da Série C. O pantera já arregaça as mangas, e parte em direção ao planejamento correto, para que a vaga no segundo escalão do futebol nacional não bata novamente na trave, como foi no ano passado, quando o tricolor caiu para o ABC-RN, nas quartas de final.

Veja a seguir, quais as mudanças o Botafogo fez, e deve fazer para o decorrer da temporada no Santa Cruz. Elas vão desde a esfera política, quanto nos atletas que devem chegar, e os que devem tomar caminho inverso de Ribeirão Preto.

Quem sai (e deve sair):

Para jogar o Estadual dessa temporada, o Botafogo fez um de seus elencos mais caros, e mais fortes dos últimos anos para disputar firme o Paulistão. Vindo de um ano anterior catastrófico na competição, o Pantera não quis sofrer perigos, sabendo do alto nível de dificuldade do Paulistão, e trouxe atletas rodados para o certame.

O time teve o comando de Moacyr Junior, que apesar de montar um time ofensivo, e de boas partidas frente aos quatro grandes, não convenceu o torcedor com sua postura um tanto quanto "medrosa" quando estava em vantagem. Criticado por sempre fechar o time depois de fazer um gol, o treinador teve apenas quatro derrotas em 14 jogos, não fez o Fogão engrenar com esperado, e devido a grande valorização recebida na disputa do Paulista, subiu a pedida de seu salário, e em desacordo com a direção foi o primeiro a deixar o Santa Cruz.

Assessoria Botafogo: divulgação


Assim como o treinador, muito dos atletas do esqueleto tático do Botafogo no campeonato também se valorizaram bastante pela boa campanha. O Pantera apostou em jogadores experientes, e que já tinha uma boa rodagem pelo cenário do futebol brasileiro. Fernandinho, jogador que teve passagem apagada pelo Palmeiras, estava no Oeste, e é um característico andarilho da bola em São Paulo, foi um desses atletas que a diretoria botafoguense trouxe. O lateral ganhou muito destaque no Paulistão, e como esperado, foi negociado logo após terminar a campanha do time no estadual. Seu destino foi a finalista Ponte Preta.

Logo após esses dois, Rafael Bastos foi outro que arrumou as malas. O meia habilidoso, e fundamental para a boa campanha do Fogão, rescindiu de forma amigável seu contrato junto a diretoria, e estuda propostas de times da Séria A e B. O jogador esteve no ano passado no elenco do América-MG, que disputou a elite do Brasileirão.

Os últimos por momento a sair, foram o zagueiro Matheus Mancini e o volante Marcão Silva. Filho de Vagner Mancini, atual treinador da Chapecoense, e revelação da base do Pantera, o garoto que teve trajetória vitoriosa no Fogão, e esteve presente nos últimos dois anos entre os titulares do Botafogo, sai com todos os direitos econômicos e federativos negociados com o Atlético Mineiro. Já Marcão Silva, que tinha vínculo se encerrando ao fim do estadual, terá como destino o Atlético-GO, que disputará a Série A do Brasileiro.

Quem deve estar deixando também o time de Ribeirão Preto é o atacante Marcão, e o meia Bernardo, que ambos com grandes salários, devem receber propostas para jogarem em times de divisões acima, o que já era esperado por toda a diretoria ao fim da participação do Fogão no Estadual.

Enquanto o atacante que fez um bom campeonato e anotou dois gols deve jogar em alguma equipe de Série A ou B, o meia Bernardo, que colecionou polêmicas ao longo da carreira, pelo menos em Ribeirão não foi destaque fora do gramado por nenhuma confusão. Em compensação, com a bola nos pés foi bastante tímido e não empolgou ninguém pelos lados do Santa Cruz. Sem conseguir se firmar como titular, o jogador sempre entrava no fim dos jogos, e não marcou nenhuma vez.

Quem chega:

Depois do fim do campeonato, a diretoria do Pantera teve que se desdobrar para que pudesse começar a montar um time competitivo, para que pudesse ir em busca de brigar pelo acesso para a Série B do Brasileiro, no ano de 2018. O primeiro ato seria manter o treinador da campanha no Estadual, algo que como detalhei acima, não foi possível de acontecer, pela valorização merecida que Moacyr recebeu com a campanha no certame.

Veio às eleições presidenciais do clube. A chapa única do atual presidente Gerson Engracia Garcia foi quem concorreu, e posteriormente venceu. O presidente que se elegeu para mais um mandato, fez algumas mudanças em setores administrativos do clube, e entre suas primeiras ações, efetivou o treinador Rodrigo Fonseca do time sub-20, para ser o treinador da equipe principal na disputa da Série C. Atitude segundo ele, pensada e analisada baseado nos resultados que treinadores da própria casa vêm dando em times de maior expressão.

Assessoria Botafogo: divulgação. Apresentação de Rodrigo Fonseca (na esquerda)





-Se os grandes estão nessa linha, não temos motivos para não tentar. E tem dado certo, no Flamengo, no Botafogo do Rio, a Ponte também buscou a novidade no ano passado com o Eduardo Baptista, agora é nossa vez. Confiamos no trabalho do Rodrigo - disse Gerson Engracia Garcia.

Logo após a admissão do novo treinador, em alguns dias, a diretoria confirmou o acordo com os primeiros dois reforços para o Brasileiro. Gerley, lateral esquerdo que surgiu para a comunidade futebolística no Palmeiras, e que estava no Democrata-MG de Governador Valadares, juntamente com Mateus Cancian, que jogou o último estadual de SP pelo Sertãozinho na Série A2, foram os escolhidos.

Porém, a maior e mais impactante contratação até o momento, para a disputa do torneio nacional, foi a do atacante Edno. Com passagens por Portuguesa, Botafogo-RJ e Corinthians, o jogador que estava sem contrato vigente com nenhum clube desde que saiu do São Bernardo, após o fim do Estadual, chega para ser opção de ataque, e repor a saída de Marcão.

Asessoria Botafogo: divulgação





















Mesmo com o anuncio das contratações já feita, o departamento de futebol do Pantera pretende contar com mais reforços a disputa da Série C. O presidente Gerson Engracia fala em torno de mais seis ou sete atletas, para se fechar definitivamente o plantel. Fora a situação do atacante Kauê, emprestado pelo Palmeiras, e que fez um pelo Estadual pelo Tricolor, que interessa os diretores em uma possível renovação de empréstimo. O Palmeiras não deve fazer jogo duro.

Lembrando que o Fogão retornou as suas atividades na última segunda-feira, 24, com apenas 20 jogadores remanescentes, e ainda sem contar com os novos três reforços anunciados. O primeiro compromisso no segundo semestre está marcado para o dia 13 de Maio, as 19h30, no estádio Nabi Abi Chedid em Bragança Paulista.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.