Header Ads

O Campeonato Carioca foi previsto por South Park

Eu poderia falar de como o jogo contra o Liverpool foi incrível, o que de fato foi, mas muito mais pela falta de vontade dos uruguaios para atacar e aquele jogador querendo cavar vaga no Botafogo tentando bicicleta de qualquer lugar, o problema é que fazer isso com a bola no chão e mirar na nuca do adversário ainda não é permitido em campos de futebol ou pela Convenção de Genebra. E o rascunho que fiz antes do jogo era tão cauteloso que soa ridículo.

Mas hoje tive uma epifnia pensando na sequência interminável de clássicos que valem virtualmente nada, pois se enfrentarão de novo supostamente pra valer. Assim, teremos um Botafogo x Fluminense com times reservas onde no fundo ambos querem perder, pra conseguir mais tempo para treinar e descansar, competições mais importantes estão retornando. De fato, entre os quatro semifinalistas, o único que brigará pra valer é o Vasco, tanto porque eles estão disputando um título já na semifinal quanto pelo fato de que se eles são eliminados, praticamente entram em intertemporada até o Brasileiro.

[Foto: Nelson Perez/FFC]
Mas como se traça um paralelo entre um campeonato deficitário e que vive de charme, tradição e de dar metade da renda de todos os jogos pra federação com uma série de animação politicamente incorreta? Há um episódio onde tudo o que as crianças querem é entrar de férias e há apenas uma coisa impedindo: O campeonato de baseball, o qual elas disputam com má vontade, jogando pra perder e conseguirem o sonhado descanso. Quem realmente se importa com o campeonato são os pais, que ignoram as vontades dos filhos e a má vontade nos jogos. Eles acabam chegando à final basicamente porque seus adversários se esforçam muito mais pra jogar mal.

Dito isso, ao jogo de domingo. O time de reservas do Fluminense está começando a se entrosar, ainda que seja o mesmo que perdeu de forma humilhante para o Nova Iguaçu. O Botafogo está engasgado com a virada que levou depois de um primeiro tempo onde Renato Chaves conseguiu fazer o Roger parecer o Messi driblando. Até ontem eu poderia afirmar que eles tinham a vantagem, mas com o Camilo criando caso e uma crise sozinho por não querer ficar no banco, tudo ficou em aberto. E justo quando há reservas pedindo passagem desesperadamente, Wendel, Calazans, Lucas Fernandes começaram a jogar bem...

Espero que o surrealismo do campeonato ainda assim proporcione bons jogos e públicos minimamente razoáveis. E quero ver vontade de vencer, obviamente, mas certos paralelos são gritantes demais para se ignorar.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.