Header Ads

Arsenal 2-0 Man. United: Quebra de tabus em jogo de seis pontos

Se o Arsenal ainda almejava classificar-se para a Uefa Champions League da próxima temporada, uma vitória no domingo contra o Manchester United no Emirates Stadium era mais que imprescindível. Os Red Devils, um dos nossos adversários diretos por uma vaga na Champions, enxergavam a partida com a mesma importância que nós. Definitivamente, um jogo de seis pontos.

Mais uma vez armado no 3-4-3, o Arsenal se mostrou melhor na primeira etapa. Controlávamos o jogo e ditávamos as ações, entretanto raras eram as vezes que realmente conseguíamos oferecer perigo para a meta defendida por De Gea e nas ocasiões que éramos capazes de criar algo, o goleiro espanhol impedia que abríssemos o placar. Mas se o arqueiro rival ia bem, o nosso não fazia diferente; Cech se mostrou seguro todas as vezes que foi exigido. O primeiro tempo terminou com o placar zerado.

No segundo tempo o Arsenal manteve a postura ofensiva apresentada na primeira etapa, sendo inclusive mais incisivo. Logo aos oito minutos, nosso jogo para a frente finalmente foi convertido em gol: Xhaka recebeu, arriscou de longe e contou com um desvio nas costas de Ander Herrera para ver a bola subir, encobrir o goleiro De Gea e morrer no fundo das redes. Três minutos mais tarde, Chamberlain enxergou Welbeck e cruzou caprichosamente para o atacante inglês testar com força a bola para o fundo das redes. Em onze minutos de segundo tempo, já abríamos 2 a 0.

Xhaka, o autor do nosso primeiro gol. (Foto: Twitter @Arsenal)
Depois de marcar o segundo gol, o Arsenal se postou em campo de forma a administrar o resultado, freando os avanços do United e inibindo os espaços durante os ataques adversários. Sem muitas opções, o Manchester United tentava descontar com as finalizações de longa distância de Rooney, mas nenhuma obteve sucesso. Dessa forma o jogo seguiu até seu final.

A vitória no domingo não marcou somente a primeira vez que Wenger superou Mourinho pelo Campeonato Inglês, mas também serviu para botar fim numa invencibilidade de 25 jogos do United na Premier League, a maior sequência invicta do clube na história da liga. Outro dado que envolveu o triunfo Gunner foi o fato de o mesmo representar a primeira vez que vencemos o Manchester United duas vezes seguidas jogando em casa pelo Campeonato Inglês desde 2001. Fim de alguns tabus.

A briga por uma vaga na Champions League continua acirradíssima. O Arsenal se encontra atualmente na sexta colocação, com 63 pontos; United com 65, City com 69 e Liverpool com 70 pontos fecham a disputa pelas duas vagas que ainda estão em jogo. Ainda um adendo é que possuímos um jogo a menos que os dois times de Manchester e dois a menos que o Liverpool.

Nossa próxima partida será na quarta-feira, quando vamos St. Mary’s Stadium enfrentar os donos da casa, o Southampton. Uma vitória representará um salto de uma posição na tabela, já uma derrota pode determinar o fim dessa briga para o Arsenal, ou seja, se ainda queremos jogar a Champions League na temporada que vem, não há espaços para tropeços. COYG!

Por: Matheus Moraes - Twitter: @mathmoraees

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.