Header Ads

Arsenal Campeão: Um sentimento inenarrável

"And it's Arsenal, Arsenal FC, We're by far the greatest team, The world has ever seen..." – pois é, caros leitores, desta vez, a tradição e o peso da camisa prevaleceram e o Arsenal conquistou a Emirates FA Cup 2017; "mas é a FA Cup", muitos dizem com intenção de diminuir tal competição: Lamento, não será possível. Trata-se "apenas" da competição mais antiga da história do futebol, a qual reúne clubes de todas as divisões do país e até mesmo, clubes semiamadores – na atual edição, ao todo, 736 clubes a disputaram. E, a atmosfera que existe na Copa Da Inglaterra a torna ainda mais especial, sendo que coloca os quatro melhores clubes em pé de igualdade, em jogos únicos nas semifinais e a final no templo sagrado do futebol inglês – Wembley.

Os desempenhos de ambas as equipes na temporada foram completamente distintos; se por um lado o Chelsea experimentou semanas incontestáveis de extrema euforia, com uma campanha quase que perfeita na Premier League, que lhes renderam o título no final, por outro lado, os Gunners sofreram com uma das piores temporadas de sua história, com decepções dentro e fora de campo e, seguidos fracassos – principalmente em jogos cruciais. Mas esse é o charme da FA Cup, onde nem sempre o melhor time vence e é por isso que o futebol é a segunda melhor coisa já inventada pelo homem – a primeira é o Arsenal, claro.

Hoje, o alvirrubro de Londres pisou em Wembley como o azarão do confronto e, repleto de problemas na equipe, não pôde contar com muitos jogadores – principalmente os de defesa. Entramos com um time inédito na atual temporada, com Ospina no gol, Per Mertesacker na defesa – foi seu primeiro jogo como titular na temporada – e Oxlade-Chamberlain jogando pela ala-esquerda. Apesar do favoritismo dos Blues, o que vimos nos quarenta e cinco minutos iniciais foi um Arsenal tomando conta da partida e, logo aos 5', Alexis Sanchez abriu o placar para o Arsenal – um lance polêmico que vai dar o que falar, já que a bola resvalou no braço do chileno e, além disso, Aaron Ramsey mesmo não participando efetivamente da jogada, estaria em posição irregular. Gol irregular ou não, fato é que, o Arsenal dominou as ações ofensivas e poderia ter saído para o intervalo com ao menos, uns três gols a seu favor: Ramsey, Welbeck e Özil tiveram chances claras.

Na segunda etapa, o time se viu em uma situação um pouco diferente, já que o Chelsea voltou com mais intensidade e passou a forçar mais as jogadas de ataque. Porém, mesmo com os Blues equilibrando as ações, o Arsenal se manteve concentrado, brigando por todas as bolas e criando boas chances nos contra-ataques. Aos 68', Victor Moses que já tinha cartão amarelo, se jogou na área na tentativa de cavar um pênalti – ver o rival perdendo um jogador após expulsão por um dive: A atmosfera estava toda a nosso favor. Mas como o futebol é imprevisível... Oito minutos após a expulsão, Diego Costa empatou a partida, em chute defensável; nem deu tempo de xingar o Ospina, pois três minutos mais tarde, Olivier Giroud – que acabará de entrar na partida – cruzou para o meio da área e Aaron Ramsey cabeceou para o gol, sendo novamente decisivo em Wembley – como foi em 2014.

Aaron Ramsey, "matando" as chances do Chelsea (Foto: Arsenal).
Após o gol, ainda sofremos um bocado, com a pressão final do Chelsea, na tentativa do empate salvador, eles se mandaram para o ataque e, coube a nossos defensores segurar os azuis de Londres – e seguraram de forma absolutamente fantástica, todos eles, mas há alguém que merece maior destaque: Per Mertesacker, que não iniciava um jogo há 13 meses e que só foi titular hoje por conta das ausências de Koscielny, Mustafi e Gabriel, foi brilhante e, ao lado de Holding e Monreal, passou segurança em praticamente todos os noventa minutos. Sem dúvidas nenhuma, esta é uma história de superação física e emocional do nosso capitão, um merecedor desta incrível jornada em Wembley.

Apito na boca, dedos apontados para o centro do campo, após quatro longos minutos de acréscimos, o arbitro decretou o final da partida. Um momento que jamais esquecerei, após uma temporada tão desastrosa e triste para nós, fiéis fãs do Arsenal, terminar em Wembley, comemorando um título contra o melhor clube do país na temporada, é algo inexplicável, um sentimento impossível de ser descrito. Nesse sábado, todos os Gooners do mundo deixaram de lado suas diferenças e suas insatisfações. Foi o dia de todos se juntarem por um único ideal: O Arsenal Football Club. Um dia épico, que guardarei em minha memória para sempre!

Arsenal Football Club: Campeão da FA Cup 2017 (Foto: Arsenal).
Por: Thalles Monari // Twitter: @_thallesmonari

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.