Header Ads

O grande primeiro título da temporada

Algumas dúvidas pairaram sobre as cabeças dos torcedores bianconeri após a derrota para a Roma no último domingo, 14. Os profetas do apocalipse afirmavam que o fôlego da Juventus tinha acabado. Que não conseguiríamos parar uma jovem e aguerrida Lazio e que, talvez, perderemos para o Crotone e Bologna e assim a Roma conquistará aquele que será o Scudetto mais mágico de sua história. Menos, amigos. Menos.

Estamos falando de um time histórico, como o próprio De Rossi disse após a partida entre os times. A Juventus não é obrigada a ganhar tudo. A Juventus sabe que não ganhará todos os títulos italianos para sempre, mas sabe que tem forças para conquistar Copa e Campeonato e, com chances, coroar a magnífica temporada com a conquista da Champions League.

Max Allegri colocou em campo a Juventus dos momentos finais dessa temporada, segura e que se impõe. Fomos com Neto, Barzagli, Bonucci, Chiellini; Marchisio, Rincon, Dani Alves, Alex Sandro, Dybala; Mandzukic e Higuain. Pjanic estava suspenso, Khedira se recupera de lesão, Buffon recebeu descanso na Copa Itália e Cuadrado ficou como opção de banco.

Ao colocar Barzagli nos momentos decisivos da temporada, Allegri tem uma sacada genial, onde acrescenta experiência, segurança e força para o sistema defensivo. Além disso, o brilho de Dani Alves neste momento é muito por causa dessa cobertura que o lado direito da defesa bianconera ganha com Andrea.

A Juventus faz história no Estádio Olímpico e conquista sua 12ª Coppa Italia. Foto: Juventus.com
A Juventus iniciou a partida em cima da Lazio. O goleiro laziale, Strakosha, foi responsável pelo placar do primeiro tempo não ter acabado 4-0 para os bianconeri. O primeiro gol aconteceu aos 11 minutos do primeiro tempo, após grande lançamento de Alex Sandro para Dani Alves, que com imensa categoria pegou de primeira na entrada da pequena área.

O segundo – e último – gol da partida aconteceu aos 24 minutos do primeiro tempo. Dybala bateu escanteio, Alex Sandro desviou a bola na primeira trave, que sobrou limpa para que Bonucci fizesse o gol. Nem um terço da partida havia sido jogada e a decisão já estava definida.

Não podemos afirmar que a Juventus ganhou porque seu adversário era fraco. O time que leva o nome da região (Lazio) vem de ótima campanha na Série A, comparado com o potencial de investimento. Simone Inzaghi assumiu o controle do time após aquela fracassada tentativa da Lazio contar com Marcelo Bielsa. O louco desistiu e Simone assumiu. A espinha dorsal de De Vrij, Biglia, Parolo e Keita da uma consistência interessante ao time que atropelou a Roma na semi da competição.

Dybala e Higuain com a bella Coppa Italia. Foto: Juventus.com
Muito da diferença entre a Juventus de ontem e a de domingo se dá pela entrada dos laterais. Alex e Dani estão em ótima forma e estão em outra rotação, se comparado aos razoáveis/bons suplentes Asamoah e Lichsteiner. Já no meio campo, Khedira e Pjanic, obviamente, fazem muita falta, apesar da boa atuação de Marchisio e Rincon. Allegri vem tirando Dybala de todos os jogos desde a contusão do argentino causada no jogo contra o Pescara. Penso ser mais uma precaução, mas vamos ficar atentos às próximas partidas.

Deixo mais dois destaques: Neto, tão contestado após falha no San Paolo, fez partida segura e intervenções pontuais. Como já disse, o brasileiro é o melhor reserva que Buffon já teve na Juventus, merecendo jogar esta final. O último é Chiellini. Como é legal e importante ver Giorgio jogar, jogar bem, ser capitão e levantar a taça. Eu não trocaria Chiellini e Bonucci por nenhum zagueiro do mundo. Chiello é uma bandeira histórica bianconera. Isto (Chiellini ser capitão) também é possível graças ao descanso que Buffon tem. Méritos de Allegri.

Com a conquista da Copa da Itália, a Juventus é o primeiro time italiano a conquistar o torneio três vezes seguidas. Ainda, é a maior vencedora com 12 conquistas. Feitos que não serão igualados por qualquer time italiano em um médio prazo.

Próximo domingo, 21, a Juventus tem o Crotone no JStadium. Mais um match point para alcançarmos o inédito hexacampeonato. Com o time na mesma rotação que entrou ontem, com as prováveis presenças de Buffon, Pjanic e Khedira, não tenho dúvidas que conseguiremos o resultado.

Claro que a Champions se tornou a obsessão de todos, mas temos que dar valor a tudo que a Juventus conquista em casa.

SIAMO CAMPIONI!
1/3

Fino alla fine, FORZA JUVENTUS!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.