Header Ads

O irreconhecível e o renegado

Na estreia em casa pela Série C, o Cuiabá não apresentou o mesmo futebol aguerrido como o da semana passada, demonstrando que o time ainda carece de algumas novas peças no elenco, mas totalmente desentrosado. Perder acontece com os melhores times do mundo, mas em casa e diante de sua torcida, ainda mais com um gol do renegado Tito, por muitas vezes criticado quando jogada pelo Dourado, ele vive a melhor fase da sua carreira, artilheiro do Confiança no ano de 2017 e com esse tipo de matador não se pode brincar.

O mesmo time da estreia na Paraíba foi escalado nesta tarde de domingo, mas diferente daquele jogo, hoje foi uma péssima atuação, irreconhecível. Foram várias e várias chances desperdiçadas e sempre a última bola, aquela que seria o da nossa comemoração, o da nossa explosão, o tão esperado gol.

Jogadores reunidos ao centro do campo (Foto: Divulgação Pedro Lima / CEC)
Mas com tantas falhas já diz aquele velho ditado: "Quem não faz, leva". E isso nunca falha, principalmente a "lei do ex". Em um desses ataques desorganizados do Cuiabá, surgiu um contra-ataque rápido do time adversário, que no bate e rebate dentro da área, sobrou no pé do predestinado Tito. Confiança-SE 1 a 0 e toda nossa confiança foi por água abaixo.

Temos um camisa 10 que tem vontade de vencer, se esforça muito, mas durante o jogo muitas vezes fica omisso. Um camisa 9 que não conseguiu dominar uma bola, não ganhou uma dos zagueiros e errou muitos passes de cinco metros. Não que isso seja a causa da derrota, pois o time em si foi muito abaixo do que podem render. Será o famoso "salto alto"? O certo é que não se podem perder pontos dentro de casa.

Com a atuação apagada de alguns jogadores no primeiro tempo, já na volta o técnico Roberto Fonseca mandou à campo Gabriel Ramos e o recém-chegado Fábio Souza, volante ex-Ferroviária. O time melhorou em um aspecto, ganhou mais velocidade na saída de bola e, consequentemente, chegar mais rápido ao gol adversário, mas seguia desorganizado e sofrendo em contra-ataques.

Conseguimos achar um pênalti com o já criticado Cristiano, que foi um dos piores em campo, a torcida ficou impaciente pela quantidade de bolas desperdiçadas, jogadas de efeito desnecessárias e egoísmo em outras horas. Bruno Veiga converteu o pênalti e correu para o abraço para alegria de toda torcida cuiabanista. Mas foi só, novamente o time parou, "morreu em campo", seria o calor? Seria má vontade? Talvez um dia ruim a todos nós torcedores e jogadores.

Bruno Veiga autor do gol Cuiabano na partida (Foto: Divulgação Pedro Lima / CEC)
Com isso, o Confiança em uma jogada isolada, bola para dentro da área e naquela boa disputa de ombro o árbitro viu pênalti e marcou para preocupação de todos. Rômulo bateu deslocando goleiro Henal, que nada pode fazer para evitar a derrota no fim do segundo tempo, nos acréscimos.

Perder em casa já é muito ruim, mas perder em casa com gol de um ex-atacante do seu time, um jogador "canela dura" é pior, qualquer outro jogador poderia ter feito gol ou até mesmo gol contra, mas gol dele não! Ninguém mereceu isso! O que aconteceu com aquele time da Copa do Brasil que eliminou a Ponte Preta? Onde está o time que duelou bravamente com o Goiás e Luverdense? Falta de salário não é, pois o Cuiabá é um dos times mais pontuais da Série C. Temos que rever certas coisas, mudar alguma coisa no time, o preparo físico que visivelmente está deixando a desejar.

Todos nós estamos sujeitos ao erro, isso é humano, mas isso não pode se repetir. Devemos sempre aprender com os erros, até nas partidas vencidas erramos muito, apesar da derrota não deixaremos de apoiar e comparecer aos jogos. O próximo jogo será pesado, contra um velho conhecido nosso, o Remo, lá em Belém. A vida me fez Cuiabá e eu fiz do Cuiabá a minha vida, avante dourado valente e brigador, vamos jogar com alma e coração, cada jogo é uma guerra e teremos que vencê-lás.

Por: Augusto Douglas / Twitter: @gutocec7 @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.