Header Ads

O silencioso domínio dos nada inocentes

10º títulos italianos em 16 anos para Gigi Buffon (foto: Juventus.com)
Mais um ano histórico para a galeria já tão repleta de vitórias da Juventus no futebol italiano. A vitória da Serie A e Coppa Italia na última semana foi a consolidação de um planejamento meticuloso e vencedor de Massimiliano Allegri na gestão de um grupo coeso e populoso, seja de força, mental e físico para chegar a este ponto com força ainda para um objetivo fora do arquipélago italiano. Afinal, em algum momento o campeonato esteve aberto?

Roma e Napoli foram adversários fortes, partimos deste ponto. Sarri e Spalletti deram muito fio para este novelo com seu modo de jogar e de vencer jogos isolados, talvez a falta de gestão vencedora tenha comprometido ao longo do caminho, somado a elencos rasos de formas diferentes.

A Roma mudou taticamente algumas vezes, viu Paredes crescer, Strootman são novamente e um grande Nainggolan. Dzeko foi o bomber que a sua carreira diz, coisa que ano passado não aconteceu. O Napoli, no entanto, foi igual do início ao fim, previsível taticamente e na forma de jogar, quase sempre com as mesmas peças, com uma ou outra alteração, mas ambas as adversárias não tinham em seu banco de suplentes jogadores de garantia técnica que dessem grandes contribuições nos jogos que eventualmente a gestão do desgaste deveria acontecer e aí os pontos se perderam. Fecharão o campeonato com a maior pontuação na história dos respectivos clubes no torneio e ainda sim não bastará.

A Juventus usou muito o seu banco, sobretudo na defesa, apesar de faltar opções ofensivas quando a mudança tática ocorreu, todavia, a possibilidade de mudar de módulo e permanecer uma equipe coesa fez com que a Velha Senhora fizesse 5, 6, 7 mudanças de um jogo para o outro e ainda sim obtivesse os pontos. A maturação e consciência de sua força fazia Allegri dizer há meses: "Veremos em março", o mês chegou, a Juve cresceu ainda mais e não parece uma equipe em fim de ciclo, parece babando mais e mais por beijar troféus e aumentar ainda mais a sala para guardá-los ano após ano em um campeonato que foi belo, com pouca disputa real pela dominância mental e física calada de uma campeã que confirmou apenas o que foi antes de começar: Hexa campeã Juventus.

@ThiagoBonapace

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.