Header Ads

A estrela de um Tigre iluminou o Serra Dourada

Na noite da última sexta-feira (9), em Goiânia na partida entre Vila Nova e América-MG teve de tudo um pouco. Sufoco, apagão, expulsão, emoção, raça e muita sede de vitória. No apagar das luzes no Serra Dourada, a luz própria de certo Tigre brilhou mais forte. Com gols de Alípio e Geovane o Vila Nova venceu por 2x0 e conquistou mais uma vitória na competição entrou no G4 onde dormiu como o novo líder da competição com 11 pontos. A rodada termina neste sábado (10), caso Juventude, Guarani e Internacional vença o Tigrão perderá três posições na tabela.

Foi uma noite memorável para o torcedor vilanovense presente no estádio. É o Vila Nova finalmente correspondeu a expectativa de cada um. A raça de um Tigre, na vontade de um operário. Foi assim a vitória em cima do América Mineiro, jogando na pressão do adversário e com um jogador a menos o Tigrão mostrou ser capaz de lutar de igual por igual com qualquer outra equipe.

Vila Nova 2x0 América-MG (Foto: Reprodução / Vila Nova FC).
O jogo

Ao iniciar a partida o Vila Nova quebrou literalmente o esquema de jogo do técnico Enderson Moreira. Aos 02' após trocar passes com Wallyson e Alan Mineiro, Alípio recebeu e chutou colocado tirando do goleiro João Ricardo para balançar as redes, 1x0 Vila.

A partida não foi fácil para o Tigre apesar do gol logo no início. Aos 23' Elisson tentou chutar com os pés, errou e perdeu a bola. Para não levar gol, Elisson agarrou Bill do América recebeu o vermelho direto. Com um a menos a pressão para o Tigre aumentou. Na falta que resultou a expulsão do goleiro do Vila Nova, o América por pouco não marca.

Wendell que tinha acabado de entrar espalmou. Por várias vezes a equipe mineira tentou igualar a partida, em todas delas foram barrados pela defesa vilanovense.

Com emoção e muita pressão, o Vila ia se virando como dava. Mas a vantagem era só da equipe visitante, Ederson Moreira colocou sua equipe em cima. Mesmo com metade dos quase 20 escanteios do jogo, o América não desistiu de empatar a partida, ameaçava e parava nas boas defesas do goleiro Wendell, junto da dupla de zagueiros Brunão e Wesley Matos que também foram o diferencial da equipe.

Os poucos torcedores presentes puderam acompanhar o poder de reação da equipe naquele jogo. O primeiro tempo para o Tigre parecia não ter fim, no sufoco o Colorado foi se defendendo como podia. Fim de primeiro tempo, o Vila Nova foi para o intervalo com uma pequena vantagem.

Geovane autor do segundo gol da partida. (Foto: Reprodução / Vila Nova FC).
De volta para a segunda etapa, jogo foi interrompido por aproximadamente 40 minutos por falar de energia. Parecia mesmo que não ia ter o segundo tempo da partida. Nada disso!

Agora sim. De volta para o segundo tempo com bola rolando a vontade dos jogadores do Tigrão continuou como anteriormente. Por outro lado a pressão da equipe mineira também foi a mesma. Era questão de tempo o empate. O América atacava é o Vila Nova só se defendia.

O poder defendido do Colorado foi por várias vezes testadas. América em cima, sem tempo para o Tigre suspirar. Mesmo com o campo um pouco escuro, o Vila não se entregou em momento algum.

Nos minutos finais, aos 45' para ser mais preciso. Após mais uma bela defesa do goleiro Wendell, Geovane roubou a bola, arrancou no contra-ataque no meio de dois defensores do América ele tocou para Maguinho que chutou, João Ricardo rebate, no rebote o volante atento não desperdiçou empurrou para dentro do gol, 2x0 Vila.

O Vila Nova volta a campo na próxima terça-feira (13), onde visita o CRB, no Estádio Rei Pelé.

Opinião

"Espírito do Vila Nova", assim foi tratada a partida em si pelos jogadores. Tivemos emoção, gol relâmpago, expulsão, apagão. Também teve a raça do time de operário que eles fizeram questão de ressaltar mais uma vez. Para Hemerson Maria o G4 se conquista e foi isso que fizeram. Tiveram uma postura diferente em campo após a expulsão do Elisson, que no meu ver não errou. Souberam encarar a situação para aí sim poder isolar o ataque do América.

Foram três partidas em casa, a primeira um empate sem graça contra o Juventude. O segundo um belo jogo diante do Guarani onde venceram e convenceram. Por último o América. A evolução da equipe era vista em campo, Hermerson Maria adaptou bem a equipe sem inventar demais. Das novas peças, meu destaque a parte para Alan Mineiro que junto ao Alípio organizaram o nosso meio de campo.

Wendell foi tão contestado naquela goleada do Goianésia, pode ter uma noite para se redimir. Bem consciente do momento ele agarrou sua chance. Terá outra pela frente onde precisa mostrar novamente ser outro goleiro. Dupla de zaga voltou a ter destaque com a volta do Brunão, ele e Wesley jogam superseguros juntos.

Hoje temos grupo valente e muito unido, mas ainda não está tudo perfeito. Um grupo para ser completo necessita de um ataque matador, isso hoje não temos. Veremos o que nos espera nos próximos dias.

#PraCimaTigrão

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.