Header Ads

Confissões de um viciado... Em mercado da bola

ATA Hotel de Milão é um dos lugares mais famosos por receber negociatas (foto: SportFair.it)

- Olá, meu nome é Thiago Bonapace e eu sou um viciado em mercado da bola.
Basicamente começamos como um encontro de dependentes de qualquer substância, mesmo que abstrata, tal qual as concretas é maçante e sugadora do seu tempo.

Este que vos fala é setorista da Juventus e como normalmente o é na Europa, o chamado na Itália de CalcioMercato (mercado do futebol) não se encerra, jamais. De janeiro a janeiro as ditas notícias ou especulações são esfregadas na cara dos torcedores de maneira cruel, vendendo sonhos e trazendo desilusões para os que são novatos e acreditam piamente na mídia do arquipélago que é famosa pela inescrupulosa quantidade de asneira.

Eis um pouco do que me acontece: Ligo o computador ao levantar, minutos depois já estou conferindo o que se fala nos principais jornais esportivos italianos e canais de tv, sim, a Itália tem muito mais do que meia dúzia de programas de tv diários apenas sobre o assunto. Uma abertura no WhatsApp e Twitter e já chegam informações, sim, informações, diferente de boatos. O vício é forte. A hora de almoço é outra "crise", a noite italiana é uma avalanche do ocorrido no dia, sobretudo nos meses de junho, julho e agosto. Em pouco tempo já se decora o nome de agentes, diretores, especialistas no assunto e muitos outros. Começa a aprender sobre todas as dinâmicas de mercado, quem ganha dinheiro, quem perde, partes envolvidas, porque não há trocas, jogadores que são extracomunitários, lista de possíveis inscritos e porque... É um armário de Nárnia dentro do futebol.

O quadro avança quando você percebe as personalidades e gestos e analisa a entrevista dos envolvidos, confronta interesses e começa a analisar também situações de mercado "Donnarumma é de Mino Raiola que se dá bem com a Juve pós Pogba, mas não com o Real de Florentino Perez que apoia o Zidane que quer Navas em detrimento ao De Gea que teria que sair do United para aí abrir espaço pro goleiro italiano... Ufa!" e quando vê, o mar te engole.

É engraçado, quando você se propõe ao desafio de não comentar em grupos de torcedores sobre o mercado e começa a ver links e palavras colocadas entre aspas não verdadeiramente ditas, sim, na Itália tem isso também, aspas mentirosas e alteradas até na pergunta a fim de deixar o entrevistado a ponto de processo legal nos dias seguintes.

Por ser o clube mais midiático do país e com maior torcida, a Juventus é sempre posta na linha de tiro. Porque vende jornal, audiência, quiproquó e tudo que você quiser. Os interesses interferem e muito na exposição dos "pseudofatos" e fazem que o torcedor critique loucamente por inverdades, de maneira irracional e aí o vício tomou conta de você, caso seja o caso. Eu - Bona - ainda não cheguei nesse ponto, apesar de estar involuindo, tentando pouco a pouco me desintoxicar... Mas as notícias seguem chegando e delas é sempre melhor falar, informar e disseminar fatos. O torcedor que ser feliz e brincar com as emoções dos mesmos é um negócio, uma droga pesada e lícita.

Cuidado...

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.