Header Ads

Furacão: o exterminador de genéricos

Três Atléticos, dois genéricos, essas eram as missões do Atlético Paranaense. Ir à Minas e calar o Atlético Mineiro, ir à Goiânia e enterrar o Atlético Goianiense. E não deu outra! O Furacão após depenar o Galo, foi a Goiânia apagar o fogo do Dragão. E começou avassalador. O novo meia Atleticano, Sidcley, tratou de fazer as vezes de centroavante e aproveitou o rebote após chute de Coutinho para abrir o placar e mostrar seu faro de gol.

Até os 20 minutos o Furacão teve excelentes chances de ampliar o placar e acabar de vez com o Dragão, mas esbarrou no quase. Então o Dragão ficou louco, foi para cima com aquela ferocidade normal de quem jogava em casa e começou sua rotina de perder gols. Meteu uma bola na trave aos 17´ e teve excelente oportunidade em um pênalti aos 18´ cometido por Nicolas, mas Everaldo bateu bisonhamente para fora. Talvez assustado com a presença do goleiro da seleção a sua frente.

O Furacão recuou e se fechou, enquanto o Dragão vinha cuspindo fogo em busca do seu gol. Que nada! Lá estava Weverton para fechar o gol e quando não era ele, Wanderson “monstro" aparecia para arrepiar e dar tranquilidade a zaga do Atlético Paranaense. Enquanto as viúvas do Waltão reclamavam de Grafite na net, o primeiro tempo findava com placar a favor do verdadeiro Atlético Brasileiro.


Foto: Marco Oliveira / Site Oficial
Segundo tempo e o Dragão trocou de pele para ver se passava despercebido pela zaga do Furacão. Mas o Atlético de todos os paranaenses tinha guerreiros atentos que não deixavam passar nem agulhas quanto mais as fagulhas do fogo do Dragão. O Furacão se fechou e passou atuar nos contra-ataques. O Dragão era presa fácil. Não oferecia perigo e cedia espaços para o Furacão.

O Dragão gritava, mas não assustava e então para alegria das viúvas, o Waltão foi chamado a campo. A não ser por uma bola de fora da área para uma excelente defesa de Weverton, ninguém percebeu que ele estava em campo, apenas as viúvas histéricas e alucinadas. Aos 35´ o Furacão teve a bola para matar o jogo. Nikao cruzou e Rossetto entrou batendo firme para uma excelente defesa do goleiro goianiense.

Não teve jeito, o dragão sucumbiu e perdeu a invencibilidade no estádio Olímpico de Goiânia. 3 pontos preciosos que tiram o furacão do buraco da zona de rebaixamento já olhando para frente. 6 pontos em 2 jogos fora, missão mais do que cumprida. Os olhos se voltam agora para um velho freguês, os Bambis paulistas. O mesmo time covardão que em 2005 fugiu do Caldeirão na final da Libertadores (QUE VERGONHA!).

Foto: Marco Oliveira / Site Oficial
Em tempo: Tirinhas valiosas

Aviso aos reclamões: O Furacão precisou de 6 dias, para deixar a zona e voltar ao campeonato. Mas mesmo com duas vitorias fora, as viúvas do Waltão, mesmo sem ter notado a presença dele em campo, ainda pedem sua volta. Se não está servindo para os times goianos, servirá para o maior Atlético do Brasil? Acordem! Nosso time é bom e só precisa de ajustes, Eduardo Baptista está encontrando o caminho. Mais apoio menos reclamação. Petraglia estava certo novamente, Waltão não serve mais para o Furacão.


FURACÃO SOLIDÁRIO, campanha para calçar os pés de crianças carentes com chuteiras, está perdendo para a campanha ajude um assaltante tatuado na testa. Isso mesmo. A campanha dele já arrecadou mais de 20 mil reais e uma Rede de tv ofereceu uma casa para o mesmo. Aqui em Curitiba, a campanha pelos meninos carentes não chegou ainda a 9 mil reais, faltam 11 mil e poucos dias para o fim da campanha. UMA VERGONHA BRASIL! Te pesou a consciência? Entre na KICKANTE e ajude quem necessita.

Por: Robson Izzy Rock @Robson_IzzyRock

 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.