Header Ads

Noite nada boa para o Figueira

Na noite desta última terça-feira (30), o Figueirense recebeu no estádio Orlando Scarpelli a equipe do Boa Esporte em mais uma rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. E com um gramado encharcado, público baixo, e uma falha clamorosa do goleiro alvinegro, o Boa surpreendeu a todos e superou o Figueirense pelo placar de 2x0.

Noite infeliz para Fábio e Figueirense (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Os mais antigos, e até mesmo os mais jovens têm conhecimento daquele velho ditado de que o futebol é uma caixinha de surpresas. E foi o que vimos na noite deste dia 30. Os bravos torcedores que se disponibilizaram a sair de suas residências em meio ao pequeno dilúvio que cairá por Florianópolis nos últimos dias, tiveram talvez o desprazer de presenciar um dos fatos mais inusitados e que quiçá jamais foi visto no futebol. Antes mesmo de discorrer sobre tal fato, vamos relatar primeiramente sobre o que aconteceu dentro das quatro linhas.

Com a bola quase rolando, o Figueirense não conseguiu pôr em prática o seu bom futebol apresentado nas primeiras rodadas – até mesmo no jogo contra o Guarani na rodada anterior – que chegou a encantar os torcedores. O Boa Esporte tinha uma proposta clara de jogo que era de chegar aos contra-ataques e nos lançamentos longos. E quando nada quer dar certo, nada vai dar certo. Aos 25 minutos, uma falta um pouco além do campo de defesa do Figueirense foi marcada. Douglas Assis lançou despretensiosamente para o meio da área. Não havia ninguém, somente o goleiro Fábio, do Figueira, que fazia sua estreia e acabou deixando a bola passar e assim tomando um frango excepcional. O Figueirense sentiu o gol. Várias faltas foram marcadas e cartões amarelos foram distribuídos. Numa saída veloz do Boa pela direita, o árbitro entendeu que Zé Antônio parou com falta o jogador mineiro. Como o volante já havia sido advertido com o cartão amarelo anteriormente, o árbitro aplicou o segundo cartão, e consequentemente o vermelho. Com o campo encharcado e com um jogador a menos, já seria difícil reverter o placar. Ficaria mais difícil ainda depois de que aos 47 minutos Jorge Henrique cometeu pênalti em Rodolfo. Fellipe Mateus tomou a responsabilidade, bateu bem e ampliou o placar para os mineiros.

De pênalti, Fellipe Mateus decretou a vitória do Boa Esporte (Foto: Gazeta Press)
Na segunda etapa, deu-se início àquele fato inusitado citado anteriormente. Márcio Goiano efetuou duas alterações na volta do intervalo. A primeira foi Juliano no lugar de Luidy, para recompor o sistema após a expulsão de Zé Antônio; a segunda surpreendeu a todos. Goiano pôs o goleiro Thiago Rodrigues no lugar de Fábio que havia falhado no primeiro gol do Boa Esporte. A estranha alteração deixou todos com a pulga atrás da orelha, querendo saber o paradeiro de Fábio. Após as mudanças e com todos ainda sem saber o que aconteceu, a partida correu normalmente. O Figueirense continuou sem conseguir jogar o seu futebol de toque de bola envolvente. Uma das poucas boas chegadas foi em um cabeceio que acabou parando nas mãos de Luan Polli, ex-Figueirense. Márcio Goiano ainda tentou algo tirando Robinho – que dos piores, foi o melhor – e colocando o atacante Índio. De nada adiantou, a noite mais uma vez não era do Figueirense.

Após o término da partida, o caso do goleiro Fábio começou a ter explicação. O Superintendente de Esportes do Figueirense, Carlos Arini, veio à imprensa informar que o goleiro não fazia mais parte do elenco alvinegro. Segundo Arini, no intervalo da partida, Fábio chamou Márcio Goiano e disse que não estava sentindo-se bem, e que queria ser substituído. Goiano atendeu ao pedido, e Fábio, na mesma hora pegou um táxi e foi embora do Scarpelli. Arini soube do ocorrido e ligou para o experiente goleiro. Fábio que já estava a caminho de Itu, disse que sua mãe estava doente e havia piorado. Não estando bem, o arqueiro resolveu deixar o clube e ir para o interior paulista. Uma coisa para que devemos bater palmas, é para a louvável atitude do Figueirense de querer saber o que estava se passando com o jogador. Muitos clubes tratam o atleta como uma máquina, e não como um ser humano como todos nós somos.

Em coletiva, Arini anunciou o desligamento de Fábio do Figueirense (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Agora com duas derrotas na conta e um goleiro a menos no elenco, o Figueirense tentará se recuperar no campeonato. Na rodada subsequente o alvinegro enfrentará o Internacional, na próxima terça-feira (30), às 20h30, no Orlando Scarpelli.

Ficha Técnica - Figueirense 0x2 Boa Esporte

Data: 30 de maio de 2017
Horário: 19h15 (horário de Brasília)
Local: Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis, SC
Público e renda: 1.971 pagantes; 2.190 presentes; renda de R$ 40.090,00
Arbitragem: Alexandre Vargas (RJ); Luiz Claudio Regazone (RJ), Luiz Antonio de Oliveira (RJ)
Cartões amarelos: Jorge Henrique, Dudu Vieira, Bruno Alves e Zé Antônio (FIG); Gilberto, Josué, Léo Baiano, Edson Borges, Alyson e Douglas Assis (BOA)
Cartão vermelho: Zé Antônio (FIG)
Gols: Douglas Assis e Fellipe Mateus (BOA)

Figueirense: Fábio (Thiago Rodrigues); Dudu, Bruno Alves, Leandro Almeida, Iago; Zé Antônio, Dudu Vieira, Jorge Henrique; Robinho (Índio), Luidy (Juliano), Henan | Técnico: Márcio Goiano

Boa Esporte: Luan Polli; Josué, Edson Borges, Douglas Assis, Paulinho; Léo Baiano (Leo Bartholo), Eduardinho, Radamés (Alyson), Fellipe Mateus; Rodolfo (Gilberto), Wesley | Técnico: Julinho Camargo

Patrick Silva | @figueiradepre

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.