Header Ads

Pittsburgh Penguins: os donos da Stanley Cup

Neste domingo (11), foi disputado o sexto jogo das finais da Stanley Cup, entre o Pittsburgh Penguins e o Nashville Predators, em Nashville. O time visitante saiu vitorioso e levantou o troféu de campeão da liga nacional de hóquei (NHL), conquistando o bicampeonato consecutivo e o quinto de sua história.

Sidney Crosby beija a taça de campeão da NHL, a terceira de sua carreira e a quinta dos Pittsburgh Penguins (Foto: Jeff Roberson)

A série

O Penguins chegou pela segunda vez consecutiva às finais, após passar por Columbus Blue Jackets (4-1), Washington Capitals (4-3) e Ottawa Senators (4-3), e o adversário da vez era o Predators, que enfrentou Chicago Blachawks (4-0), Saint Louis Blues (4-2) e Anaheim Ducks (4-2). Já que Pittsburgh havia sido segundo colocado da divisão Metrpolitan e Nashville havia entrado através do Wild Card, a equipe da Pensilvânia possuía a vantagem de casa.

Renne tenta agarrar o puck, sem sucesso (Foto: Gene J. Puskar)

Os Penguins começaram arrasadores e venceram os dois jogos em casa, por 5x3 e 4x1 respectivamente. O destaque dos dois jogos foi para Evgeni Malkin, do time da casa, que fez dois gols nesses jogos e estava se encaminhando para ser o grande nome da conquista da Stanley Cup.

Porém, conforme a série mudou de lugar, o "momento" das equipes mudou também. Em casa, os Predators pareciam mais forte e sua incrível torcida empurrou o time para duas vitórias fáceis, por 5x1 e 4x1, empatando a série e forçando, no mínimo, um jogo 6. O destaque vai para os defensores de Nashville (Ryan Ellis, Yannick Weber, P.K. Suban, Mattias Ekholm e Roman Josi), que, além de permitirem apenas 2 gols nos dois jogos disputados, ainda foram responsáveis por 2 gols e 6 assistências do time.

Jogadores dos Predators comemoram após vitória no Jogo 4 (Bruce Bennett/ Getty Image)

Voltando para casa, Pittsburgh dominou o jogo cinco, vencendo por 6x0 e com uma partida espetacular de Sidney Crosby (3 assistências), e levou o que poderia ser a última partida para o Tennessee. O fato interessante é que os Penguins haviam ganho 4 Stanley Cups e todas fora de casa e contavam com essa estatística para levar o campeonato.

O jogo decisivo

Para Nashville, era ganhar em casa e forçar o derradeiro jogo 7. Para Pittsburgh, era vencer e levantar a taça de campeão. Com essa proposta, o jogo começou com as duas equipes nervosas e com muitos erros nas conclusões. Os dois goleiros, Matt Murray (Penguins) e Pekka Rinne (Predators), foram obrigados a fazer defesas dificílimas em algum momento dos dois primeiros tempos. Mesmo assim, o time da casa teve mais chances de fazer gols, com dois Power Plays (momento em que a equipe fica com um jogador a mais no gelo) desperdiçados. Até o terceiro período, nenhum time tinha feito nenhum gol, e demoraria para ele sair.

Calle Jarnkrok foge da marcação de Malkin (Foto: Grand Fork Herald)

No que seria o último período da temporada, os Predators pressionaram adversário e estavam quase achando o caminho do gol, mas ainda parando em Murray. Aos 7;19, Olli Maatta, dos Penguins, cometeu uma penalidade e deu o Power Play aos Predators. Já aos 8;47, ainda com um a menos, Trevor Daley foi penalizado, com uma decisão questionável dos juízes, e deu a Nashville um cinco contra três por 32 segundos. Ainda assim, a equipe anfitriã não conseguiu marcar e o jogo estava se encaminhando para o gol de ouro. 

Foi aos um minuto e 30 segundos, que, após finalização por trás do gol, Patric Hornqvist pegou a sobra, finalizou e o puck ainda bateu nas costas de Rinne antes de morrer no gol. O gol do título. Predators precisou jogar com o gol vazio para tentar o empate, mas após um bloqueio bem feito no chute de Nashville e sobrou para Carl Hagelin, que, com toda sua velocidade, apenas empurrou o puck para a rede e selou a vitória de Pittsburgh.


Hornqvist faz o gol da vitória dos Penguins e dá o quinto título à franquia (Foto: Grand Forks Herald)

O troféu Conn Smythe

O troféu Conn Smythe é dado para o melhor jogador nos Playoffs do time vencedor. Muitos achavam que o homem seria Malkin, indiscutivelmente. Porém, a NHL deu o prêmio ao lendário Sidney Crosby, o segundo de sua carreira, sendo eles consecutivos. Com isso, Sidney se torna um dos maiores da história do hóquei, que tem como atleta mais icônico, Wayne Gretzky, ex-Oilers, Kings, Blues e Rangers.

Crosby segurando o troféu Conn Smythe, o segundo da carreira (Foto: Peter Diana)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.