Header Ads

A mediocridade desanimadora

Terça-feira, 11 de julho de 2017, o torcedor alvinegro acorda em mais um dia de rodada da Série B. A partida da vez: Contra o CRB, fora de casa. Cansado, com o emocional machucado, ainda busca, lá fundo de seu ser, certo ânimo para logo mais sentar em frente da televisão e assistir a mais uma partida de seu time.

A cada dia está mais difícil aguentar as derrotas em sequências (Foto: Divulgação/Agência RBS)
O dia vai se passando, as tarefas diárias importantes e até mesmo as coisas mais fúteis ocupam sua cabeça, e a partida de logo mais é esquecida. Não há clima animador para ao menos querer ouvir o jogo. "Por que eu vou assistir esse time perder de novo? Estressar-me de novo, não", esse é o pensamento do torcedor.

Mesmo assim, o torcedor tem aquele seu lado masoquista. Ele sabe que vai levar uma 'tunda', mas segue lá do lado do time, o que é o mais certo a se fazer. Meia hora para o jogo entra nas redes sociais, vê a escalação, põe a mão no rosto e consigo mesmo pede quase sussurrando para que Deus ajude.

Pôr as mãos ao rosto e lamentar é gesto recorrente no Figueirense (Foto: Divulgação/Agência RBS)
Liga a TV, vai rápido na cozinha preparar algo para comer torcendo para conseguir digerir junto com o péssimo futebol. De sua cozinha, volta quase em cima do apito inicial do árbitro. O começo da partida é bom. Vê nos primeiros 15 minutos o seu time querendo tomar as ações do jogo. Anima-se, mas um pouco cauteloso e ressabiado.

A cautela era louvável e correta. Passado o bom momento, o seu time é igualado dentro de campo. O adversário toma as rédeas da partida e tudo volta ao normal. O time da casa vai para cima e para nas boas intervenções do debutante goleiro alvinegro. Preocupado, o torcedor viu aos 36 minutos, Edson Ratinho puxar o ataque, passar para Danilo Pires que em um ótimo passe encontrou Élvis que decretou a lei do ex no Rei Pelé.

Raivoso, o torcedor só viu a situação piorar, quando aos 45 minutos Diego cobrou falta que bateu na trave, no goleiro Saulo, mas sobrou para Flavio Boaventura marcar e desesperar o torcedor que em casa se afunda no sofá, na cama, em qualquer lugar.

Já mais do que 'P da vida' com a mediocridade do time em campo, o torcedor viu certa ponta de esperança surgir no início do segundo tempo. Índio, aos 5 minutos fez boa jogada e achou Henan que bateu de primeira e diminuiu. A pouca melhora foi vista após as saídas de Jorge Henrique - Robinho foi deslocado para o meio - e do peso-morto Weldinho. O Figueirense teve ainda algumas oportunidades assim como o CRB também teve. Porém, mais uma vez, o torcedor alvinegro foi dormir com um peso de uma nova derrota.

Opinião

Alguns comentaristas da imprensa esportiva põem a "montagem do grupo em cima da hora" como um dos fatores para o início ruim do Figueira na Série B. Porém, o que causa estranheza, é que o início foi bem. Figueirense chegou a liderar o campeonato com um futebol muito, mas muito animador. Tão animador que chegou a ser ilusório para o torcedor. Infelizmente o time se complicou sozinho.

Figueirense se pôs nessa situação e tem que ser realista para sair dela (Foto: Divulgação/Figueirense FC)
Desmerecer o futebol apresentado nas vitórias frente ao Goiás e ao Náutico dizendo que não é parâmetro algum, pois à época, os adversários "eram fracos" é errado. Dizer isso é ser contra si próprio. Duvido que não tenha um torcedor sequer que não tenha ficado maravilhado e/ou empolgado e falado que o time era bom. Falar agora que o time é ruim chega a ser mau-caratismo.

Repito: O time não é ruim. Peça por peça formam um time bom para os parâmetros da Série B. Alguns jogadores destoam, assim como não há peças de reposição. O Figueirense se pôs sozinho nessa situação, agora tem que se tirar de lá.

Um dos equívocos de Marcelo Cabo, a meu ver, é falar que sem dúvidas o time vai seguir para o acesso. Apesar de achar que o time do Figueirense no geral tem condições para brigar lá em cima, hoje a realidade não é essa. O Figueira hoje tem que praticar o futebol de resultado. Jogar para matar. Fechar a casinha - diferente de só se defender - e buscar a vitória. O mandamento inicial do futebol é não levar gols. E quem não leva gols, soma pontos.

Patrick Silva | @figueiradepre

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.