Header Ads

Faltam oito vitórias pro fim do drama

[Foto: Lucas Merçon/FFC]
115 anos de Fluminense, o que temos para comemorar recentemente? Quase nada. O que temos de positivo do jogo comemorativo contra o Corinthians? Primeiramente os relatos de que já se vê boa parte da torcida com a camisa nova da Under Armour, tanto porque a camisa é bonita quanto pelo fato de que a percentagem das vendas que vai para o clube é bem acima da média. A segunda camisa é questionável, mas mantenhamos o foco no que importa.

A segunda coisa a se comemorar, e infelizmente de forma tardia, é o fato de que Richarlison foi um investimento perfeito, mas ele está indo embora, o que tornará o resto da temporada naquele clássico sufoco pra atingir os 45 pontos e depois passar o resto da temporada cumprindo sem se sentir obrigado a vencer partidas, mais ou menos como no ano passado naqueles 10 jogos sem vitória com Levir e Marcão.

O time vive de lampejos e pode melhorar um pouco quando todo mundo voltar do departamento médico. Tivemos surpresas positivas oriundas da base esse ano. Reginaldo é um zagueiro útil. Calazans é promissor. Ainda assim a inconstância é um problema, Scarpa nunca voltou ao normal depois da contusão, Douglas tem uma doença que o deixa eternamente machucado. Pedro está precisando de uma temporada na Eslováquia. Algum gênio fez um contrato cretino pro Wellington Silva, que pelo menos dessa vez será realmente utilizado pelo time que for contratado, não será emprestado todo ano como era no Arsenal. Wendel é uma realidade, mas ninguém que sobe ao time principal tão rápido manteria um nível tão constante (sendo que ele ainda é um dos melhores).

E o saldo de tudo isso, além de um time remendado e carente em várias posições, é 50% da negociação do Richarlison. Aí eu me pego torcendo pra que ele seja vendido pra Inglaterra que eles pagam em libra. Estamos basicamente chorando com o pires na mão por uma esmola melhor. E essa grana será pra que fechemos as contas de 2017 no vermelho esperado. Enquanto isso, as contratações são apostas, pra assim tentar descobrir carne em meio a essa sopa de pedras que virou o time esse ano. Marlon do Criciúma. Dizem que vem um Robinho do Figueirense, mas Abel falou na coletiva que ele não tá indo bem.

Nunca um título foi tão verdadeiro. Nunca a preocupação daqueles que colocam ao fim de cada jogo "números de pontos/45" foi tão real. Esse time tem todo o jeito de estar com seu alicerce na areia e prestes a afundar. "Ah, mas há times piores no campeonato", você pode falar, mas isso não nos impediu de cair em 2013 com um time não tão ruim e ainda sendo os atuais campeões brasileiros. Temos que estar pela cautela, estar por cada resultado. O quanto mais cedo atingirmos a permanência, podemos ver pelo o que brigar e começar o laboratório pra melhorias visando 2018. Mais ou menos como fizemos em 2007 depois de ganhar a Copa do Brasil. De repente com isso podemos focar no time ficar copeiro e beliscar a Sul Americana ou a Primeira Liga, nós vamos pegar o Londrina mesmo.

Espero que ao menos tenhamos uma última partida de Richarlison pra que ele tenha uma despedida mais digna, ainda que hoje tenha sido o maior resumo de sua luta em cada jogada. E também sua afobação, que como ele está indo embora direi que é excesso de vontade.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.