Header Ads

O clube mais roubado do Brasil foi roubado novamente

Os requintes de tendenciosidade, incompetência e bestialidade que rondam a arbitragem nacional são simplesmente abomináveis. Um cartel de mafiosos que está a serviço de algum inimigo do futebol paranaense. Não, não é só com o Atlético, com os coxas acontece também, mas eles que corram atrás de seus problemas. O Atlético, sem dúvida alguma, é o time mais roubado do futebol brasileiro.

Qualquer cego viu que Wanderson nem sequer chegou perto de encostar a mão na bola, e o cara de pau, tendencioso, sem vergonha, safado, mal-intencionado, que estava próximo e de frente para o lance viu algo que ninguém mais no planeta viu, um toque de mão de Wanderson. E esse lance foi o responsável direto pela derrota do Atlético, ele interferiu diretamente no resultado, novamente! Três árbitros na mesma jogada e ...!!!???

É por esse motivo que necessitamos no futebol brasileiro do árbitro de vídeo urgentemente, quando ele estiver presente em campo, o eixo do mal deixará de ganhar títulos nacionais ano após ano e os times fora do eixo terão mais chances de chegarem a ponta dos campeonatos. Claro que em virtude das armações de resultados nas terras tupiniquins, vários clubes e as entidades futebolísticas brasileiras, entrarão com processos e votações estapafúrdias afim de não permitirem o vídeo. A máfia não quer o vídeo no futebol brasileiro!

Foto: Imagem Youtube
Mas, não vou colocar a desculpa da derrota só no roubo descarado do árbitro. Acontece que 1 ponto pode fazer falta lá na frente e se o time não foi bem ao menos o pontinho fora merecia, jogou apenas para isso, pois contra o Sport faltou tesão de vencer. Nossa zaga estava muito bem colocada, uma partida muito boa da dupla de zaga Paulo André e Wanderson. Wanderson é cada vez mais titular.

A rigor o Leão teve apenas duas reais chances de gol no jogo todo e o pênalti inexistente que foi responsável pela derrota do Furacão. Volto a frisar, time com Lucho é um, time sem Lucho é outro, o cara entra em campo, ocupa espaços, coordena e recompõe o meio, o primeiro bote dele é o que ajuda a zaga a ter fôlego e se ajustar rapidinho, por isso o adversário dificilmente tem o contra-ataque a seu favor. E vou bater nessa tecla até todos perceberem isso de fato.

Não vou nem descrever um lance a lance aqui, pois o jogo foi pífio, entre duas equipes que se equivaliam em campo. Um jogo ruim, sofrível, sem apelo. Primeiro tempo a rigor, foi jogado no meio campo, com uma chance clara para o Sport só aos 40´ minutos. Nenhuma chance e nenhum chute a gol do Atlético. Pouquíssimo e diria até que se o Atlético apertasse um pouco, a zaga deles entregaria. Não estava difícil ganhar o jogo. Parecia aquelas brigas de UFC em que ninguém quer dar o primeiro golpe por medo de levar outro.

Foto: Imagem Youtube
Não vou falar das camisas também, pois acho que foi um golpe proposital para confundir o adversário, mas ao certo acho que todo mundo saiu confuso da Ilha, tanto eles, quanto nós. Poucas coisas boas vi nesse jogo. Nicolas pela lateral esquerda foi muito bem, Wanderson cada vez mais titular, Paulo André voltou um pouco melhor do que quando foi para a reserva, Lucho ainda é o cara que equilibra tudo e um dos maiores ladrões de bola, pena que poucos veem isso e não notam que quando ele está em campo o time não sofre ataques contínuos.

Claro, não esqueçamos, o time que entrou em campo é um alternativo, para poupar atletas para o jogo mais importante do ano contra o Santos na Vila Capanema. Mas vamos deixar claro que os dois últimos jogos foram frustrantes e a raça que tanto esperamos, o empenho que tanto esperamos, se perdeu novamente em algum lugar. Canso de repetir que sem raça e empenho, nosso time fica limitado, pois não tem técnica alguma. Apenas um único chute a gol o Atlético deu e apenas aos 40´minutos do segundo tempo. Muito pouco. 

Muito pouco porque por mais que você não jogue nada e nenhuma pretensão tenha e prefira jogar defensivamente, ao menos você fica obrigado a tiros de longa e média distância contra a meta adversária, até para tentar “achar” despretensiosamente um gol. Mas não deu, não foi, não subia, não tinha força, não tinha técnica e apostava em Coutinho que no momento a única habilidade é a velocidade, mas não adianta tanta velocidade se no frigir dos ovos o cara alcança a bola e ninguém acompanha para dar continuidade a jogada. 

Foto: Marco Oliveira / Site Oficial
Grafite batalhou, correu, se esforçou, ajudou a combater, mas foi só. Contra o Sport nem mesmo segurar a marcação e a bola na frente ele conseguiu. A bola batia nele e voltava para o adversário. Que fase! Dos Anjos é bom jogador, necessita de tempo e com certeza irá evoluir para ser titular. Rossetto novamente errou passes continuamente e Yago entrou na segunda etapa para aumentar esse número. Como o Atlético erra passes! Isso tem que ser corrigido urgentemente. 

Deivid fez o feijão com arroz, e até pelo problema dele, por estar retornando e lutando contra uma dor insuportável, deve ter mais apoio da torcida. Ele se doa e se dedica sem poder e o torcedor não sabe disso. Cascardo mais ou menos, mas também não comprometeu. Weverton quase pegou o pênalti, mas não estou entendendo o motivo de estar fazendo golpe de vista em alguns lances. CA tentou algumas jogadas e perdeu duas bolas por carregar em excesso. Bruno Guimarães, só vi a furada que deu em um chute de fora. Os apagões assustam, espero que contra o Santos o time entre aceso e dê uma resposta a altura para a torcida. 

Para os que se dizem Atleticanos e que estão dizendo que o Furacão mereceu perder vai um recado: Vão torcer pro Corinthians, pro Flamídia, pros clubes do eixo, deixem o Furacão em paz, deixem meu Atlético em paz. Jogo de futebol não tem intuito de premiar com a vitória aquele que joga melhor, mas sim aquele que marca o gol legitimamente. Uma vitória independe de boa partida, não me importo tanto com isso desde que meu time vença e eu prefiro ver meu time vencendo. Vocês não são Atleticanos de verdade, vocês são apenas fantasmas que não merecem vestir a camisa do Atlético, não merecem serem chamados de torcedores deste amado clube.


Em tempo: Tirinhas valiosas


Um "ex-advogado" e "ex-colunista" de um jornaleco de Curitiba que pinga sangue desde sua fundação, escreveu na semana passada algumas linhas denegrindo o departamento jurídico do Atlético. O departamento jurídico do Atlético tem feito das tripas coração para resolver muitos problemas extra campo, tanto ocasionados pelas Federações e clubes, quanto até pelo próprio clube e quase sempre, em 99% das situações o clube sai vencedor, o clube tem êxito em seus processos. Agilidade e competência. 

Talvez isso incomode tanto o tal "colunista advogado" que vive as custas de processos contra o Atlético. Não é difícil ver o tal colunista com seu cantil de bebida, escondido entre as árvores do CT, e até sobre elas, esperando um novo jogador para aliciar e processar o clube. Nenhum ser vivo ganhou tanto dinheiro nas costas do Atlético Paranaense quanto esse tal advogado/colunista. 

A falta de palavra de dirigentes dos coxinhas, que invejando o Furacão e sua grandeza atual e futura, decidiram não cumprir um acordo formal entre as duas partes, não prejudicou só o Atlético, prejudicou a eles também. Isso é como necessitar viajar, você faz um acordo com seu irmão para uso do carro dele e vice versa. Envia seu carro para manutenção e na hora "H" o cara "dá" pra trás de propósito, só para ver você se ferrando. Mas o futebol pune, em todas as vezes que os coxinhas não cumpriram o prometido, sempre tiveram que absorver o caos e conviver com quedas maiores ainda. A soberba leva ao fracasso. Quem viver verá!

Por: Robson Izzy Rock @Robson_IzzyRock

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.