Header Ads

O que esperar de Dejan Lovren daqui pra frente?

Nesse dia, em 2014, Dejan Lovren era oficialmente contratado pelo Liverpool por £20m. Eu, honestamente, não me lembro de um jogador que divide tantas opiniões entre os torcedores. O principal motivo disso é a sua inconsistência. Existem dois Lovrens capazes de entrar em campo durante os 90 minutos de um jogo e, geralmente, é possível dizer qual deles se apresentará já nos primeiros 10. Um é um zagueiro dominante na bola aérea, que gosta do contato físico e capaz de dominar qualquer atacante que se proponha a esfregar ombros com ele. O outro é um zagueiro inseguro, com lapsos de atenção e descuidado no posicionamento que é facilmente explorado por atacantes velozes que jogam buscando o espaço em suas costas.

Nesse conflito de personalidades, Dejan Lovren tem todas as características para ser um grande zagueiro se conseguir eliminar os problemas psicológicos de seu jogo, mas aos 27 anos é improvável imaginar que ele tenha sucesso nessa tarefa. Caminhando para sua quarta temporada como jogador do Liverpool e de contrato renovado, o que esperar do Croata?

Divulgação. Foto: Liverpool FC
Virgil Van Dijk é o principal – e único – alvo para reforçar o miolo de zaga da equipe de Jürgen Klopp e a temporada do nosso camisa 6 depende muito da capacidade do Liverpool fechar ou não com o holandês. O sentimento é de que, cedo ou tarde, o Southampton irá ceder e negociará com os Reds mais uma vez, já que Van Dijk está afastado do elenco e fazendo greve para tentar forçar sua saída.

Caso o atual camisa 17 do Southampton venha a ser um jogador do Liverpool, Dejan Lovren seria a terceira opção para a zaga, papel que é perfeito para as qualidades do Croata. Ao contrário do que algumas pessoas irão te dizer, Dejan está longe de ser um zagueiro ruim e pode ser muito importante numa temporada onde o calendário será certamente maior. Um dos grandes problemas da última campanha foi a incapacidade de Klopp utilizar sua dupla de zaga titular, devido a pequenas lesões de ambos os jogadores. Joel Matip e Lovren fizeram apenas 19 jogos juntos pela Premier League, o que significa que por um turno completo, o Liverpool esteve privado de sua parceria ideal. Os dois, juntos, perderam apenas um jogo e tomaram apenas 13 gols, ou 0.68 gol/jogo. Em contraste, a defesa do Tottenham, a que tomou menos gols na liga, tem uma média de 0.68 gols sofridos por jogo. Matip e Lovren, juntos, tem números iguais aos da melhor unidade defensiva da liga. O problema é que ambos não são confiáveis, fisicamente, para a temporada.

Divulgação. Foto: Liverpool FC
Ter Lovren como o terceiro zagueiro do elenco possibilita que Klopp tenha um defensor capaz de entrar em campo sem diminuir bruscamente a qualidade da dupla titular (que seria Matip e Van Dijk) e, com menos jogos em suas pernas, o próprio sofrerá menos com lesões, trazendo algum tipo de estabilidade para a defesa do Liverpool. Com o histórico de lesões de Joel Matip, seria prudente ter uma opção da qualidade de Lovren na reserva. Imagine um cenário onde o Liverpool enfrentará o Barcelona numa quarta-feira de Liga dos Campeões e o Brighton & Hove Albion no domingo, pela Premier League. Após um jogo que, certamente, exigiria muito da dupla de zaga titular, Dejan Lovren pode facilmente suprir uma vaga no time titular no fim de semana, possibilitando o descanso de uma peça importante e mantendo o nível de qualidade – relativamente – alto.

O que não pode acontecer, no entanto, é contar com Dejan Lovren como um titular essa temporada. O principal problema não seria nem a qualidade – ou a falta dela, para quem é mais crítico quanto ao Croata – mas, graças à relutância de Klopp ao preparar uma alternativa para Virgil Van Dijk, estaríamos uma numa situação onde apenas uma lesão, por menor que seja, poderia significar que Ragnar Klavan ou o jovem Joe Gomez precisariam entrar em ação no Santiago Bernabéu ou na Allianz Arena e isso, simplesmente, seria a receita para um desastre.

Após três anos de altos e baixos, Dejan Lovren se encontra numa posição onde é importante para o elenco e para as ambições do Liverpool daqui para frente, coisa que era inimaginável após sua primeira temporada em Anfield. O Croata deu a volta por cima e protagonizou momentos que ficarão para a história do clube, mas é hora de dar um passo para trás e aceitar que seu destino é ser um jogador para o elenco e não um titular garantido.

Por: Luiz Felipe Gomes Santos / @MakeUsDreamBR

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.