Header Ads

Péssima atuação em Pernambuco, resultado pior ainda

Uma noite para esquecer

Na noite dessa quinta-feira a Chapecoense sofreu mais uma derrota no Campeonato Brasileiro, chegando ao seu sétimo jogo sem saber o que é vencer, e dessa forma, segue em queda livre na tabela, amargando agora a insólita 16ª colocação a três pontos apenas da zona de rebaixamento.

No início do jogo a Chape até se postou bem em campo, conseguindo neutralizar as jogadas ofensivas da equipe do Sport, a estratégia da equipe alviverde era claramente tentar jogar no erro do adversário para aproveitar quando a chance de marcar aparecesse e assim sair com um bom resultado na bagagem.

As chances até apareceram na primeira etapa, à primeira com Arthur Caíque, que depois de roubada de bola de Seijas no campo ofensivo, tabelou com Wellington Paulista e recebeu de frente para o goleiro Magrão e, da entrada da grande área, bateu forte de pé canhoto, mas errou o alvo. A segunda chance catarinense no primeiro tempo saiu de um chutão do goleiro Jandrei que parou no pé de Arthur Caíque, após grande passe achou Wellington Paulista de frente para o goleiro, que mais uma vez perdeu um gol que um camisa nove não pode perder. A etapa inicial terminou com uma chance para o Sport, numa saída errada da Chape a bola foi tocada para o lateral chileno Mena, ele chutou forte para boa defesa de Jandrei, sendo essa a única oportunidade dos pernambucanos no primeiro tempo.

Na volta para a segunda etapa, apesar da entrada de Diego Souza na equipe pernambucana, o jogo seguiu controlado pela Chape, que mantinha sua estratégia, e impedia que o Sport criasse boas chances através de uma marcação forte e muitas vezes faltosa. Até que aos 17 minutos da etapa final, num erro de domínio muito feio de Wellintgton Paulista, a Chape perdeu a bola no meio de campo quando a equipe estava dispersa defensivamente e, com toques rápidos, André abriu a jogada para Everton Felipe que acelerou e cruzou rasteiro para encontrar o mesmo André livre na grande área que tocou por baixo e venceu o arqueiro verde e branco, falha da defesa da Chapecoense na jogada, que mais uma vez demorou a recompor e marcou a bola, deixando muito espaço para a finalização de André.

Após o gol, a Chape mostrou sua maior deficiência: A falta de criatividade e de força para encurralar o adversário em busca do gol de empate, não criou jogadas perigosas nos últimos 30 minutos de jogo a não ser um chute de fora da área de Luiz Antônio (que entrou na segunda etapa) em que a bola passou bem perto da trave direita do goleiro Agenor.

No final da partida, após já ter aceitado a derrota, completamente distraído em campo, o verdão ainda levou mais dois gols, com Diego Souza de cabeça aos 46’, após cruzamento de Mena pela esquerda e aos 49’ num cruzamento rasteiro da intermediária que André completou para o fundo das redes.

Curiosidade: Numa rodada atípica do Brasileirão, a Chape foi a única equipe visitante a perder, nas demais partidas oito vitórias dos visitantes e um empate.

Considerações

Agora a Chapecoense tem a pior defesa do campeonato, com 26 gols sofridos, pois quando está perdendo por um gol de diferença após os 35’ do segundo tempo, a defesa não marca mais e a Chape sofre goleadas, vide jogos contra Grêmio, Flamengo e agora Sport. A defesa precisa ter atenção os 90 minutos, do contrário vai ser sempre assim.

Seijas sozinho não da conta de armar o time, quando Apodi não apoia, não se criam jogadas ofensivas, Wellington Paulista é esforçado e corre bastante, mas está lento e vem perdendo muitos gols, não é o centroavante que a equipe precisa no campeonato. Uma pena Leandro Pereira estar com uma lesão no joelho, pois seria muito importante para o time no restante do campeonato.

Contratações e sequência

Para a Chape, o que resta agora é esperar que os reforços cheguem e joguem o que é esperado deles. Até agora dois atacantes equatorianos confirmados: Cristian Penilla e Fernando Guerrero, também confirmado o lateral esquerdo Roberto do Santa Cruz, além de negociação avançada com Júlio César, atacante de 22 anos que está no Oeste.

O técnico Vinícius Eutrópio terá boas opções para encorpar e entrosar o time, basta esperarmos e torcer para que logo os resultados e as boas atuações voltem a acontecer e então haja uma manutenção na série A sem grandes sustos. Tem time para isso.

Na sequência, o verdão enfrenta o desesperado São Paulo na Arena Condá, partida crucial em que só a vitória interessa. Depois, dois jogos fora de casa, Santos e Vitória (também concorrente direto na luta contra o rebaixamento).

Ficha técnica

Sport: Magrão (Agenor); Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Sander (Diego Souza); Patrick, Rithely, Everton Felipe e Mena; Osvaldo (Rogério) e André. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Chapecoense: Jandrei; Apodi, Douglas Grolli, Victor Ramos e Reinaldo; Andrei Girotto (Luiz Antônio), Lucas Mineiro, Lucas Marques (Lourency) e Seijas (Dodô); Arthur Caike e Wellington Paulista. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Arbitragem: Dyorgines José Padovani de Andrade, auxiliado por Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antônio Zanotti – trio do Espírito Santo.
Gols: André (Everton Felipe) aos 17 do segundo tempo; Diego Souza (Mena) aos 46 do segundo tempo; André (Rogério) aos 49 do segunto tempo.
Estádio: Arena Pernambuco.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.