Header Ads

Prato do dia: Porco à moda da casa

Fala nação azul, como eu sempre digo, o confronto entre Cruzeiro e Palmeiras pode ser considerado um clássico pela grandeza que reflete nas duas equipes e em um clássico, meu amigo, acontece de tudo, principalmente os nossos ataques cardíacos diários.

Fotos: Washington Alves/Cruzeiro
Dessa vez, pelo o Brasileirão a Raposa enfrentou novamente o time paulista e para não perder o costume fizeram uma partida eletrizante, daquelas que há equilíbrio, porém é prazerosa de assistir. Os times vivem momentos diferentes, Mano Menezes precisando mostrar resultado para a torcida cruzeirense que como sempre é muito exigente e sem esquecer-se que para esse confronto ele prometeu á nos que não tomaríamos três gols, promessa difícil, mas não é que deu certo?  E do outro lado tínhamos nada mais, nada menos, que o organizado, decisivo Palmeiras, apesar de tudo ou talvez por causa de tudo nada  impediu que ocorresse um grande jogo no Gigante da Pampulha, é aquele ditado: Futebol é dentro das quatro linhas.

E graças aos céus ou aos deuses do futebol, finalmente o resultado positivo para o Maior de Minas veio, e detalhe vencemos com mais de três gols em uma única partida, não me acordem, pois devo estar sonhando e mais uma noticia boa para vocês dormirem sorrindo, com esse triunfo sabe onde fomos parar? (Uma dica: G6). Afinal, o Brasileirão é isso, é construir resultado em jogo após jogo, e buscar a regularidade e uma posição sempre melhor.

Sobre o jogo, consigo analisar mais pontos positivos em nosso Cruzeiro querido, do que negativos. A nossa zaga que veio sendo nosso maior problema atualmente, por incrível que pareça hoje, não passou tanto susto, a marcação estava mais consistente e é evidente que a zaga melhorou com o Murilo e já o Léo, oremos. Em minha humilde opinião, a vitória celeste foi mérito cruzeirense que estava com o objetivo de fazer o dever de casa, de buscar os três pontos e provar que temos um elenco de qualidade e disposto a mostrar serviço.

Não subestimem o Cruzeiro, geralmente isso não funciona. Thiago Neves fez nevar marcando um gol, quer dizer, um golaço, praticamente inexplicável, Hudson marcou o segundo e Élber para fechar a casinha fez o terceiro. O Cruzeiro finalizou o primeiro tempo com vantagem no placar de 2x0, foi uma etapa inicial equilibrada com boas chances para os dois lados, porém o Cruzeiro aproveitou melhor as chances.


Fotos: Washington Alves/Cruzeiro

O nosso maior medo era o segundo tempo, que vem sendo nosso maior vilão, e nossos pensamentos sempre voltavam, será que vai deixar empatar igual nos duelos anteriores? Teoria que chegamos a quase concretizar quando tomamos o gol do Willian (essa lei do ex, nunca falha, principalmente contra o Cruzeiro), mas diferente das partidas anteriores, o Cruzeiro aderiu uma postura diferente, não perdeu a calma, pelo contrário, se estabilizou ainda mais não dando espaço e no finalzinho ainda achou mais um gol. E para acabar com nossa velha resenha, tem alguém com fome? Porque o prato do dia é: Porco á moda da casa.


Paula Fernandes/@Paulinha_CEC

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.