Header Ads

A sobrevida de Vínicius Eutrópio, e o reencontro da Chapecoense com as vitórias

Poucos acreditavam, depois de voltar de uma excursão pela Europa e Ásia, a Chapecoense voltava a pensar exclusivamente no Campeonato Brasileiro, vindo duas derrotas e um empate nas últimas partidas na competição nacional, sendo dois duelos na Arena Condá. Com um jogo a menos, e os resultados das rodadas, a equipe figurava pela primeira vez na zona do rebaixamento.

Foto: Carla Carniel/Gazeta Press
Para piorar, os resultados durante a excursão só pressionaram mais o técnico Vinícius Eutrópio e a diretoria Chapecoense, foram três jogos, três derrotas, oito gols sofridos e apenas um marcado. De todas, a derrota na final da Copa Suruga para o sexto colocado do Campeonato Japonês, apresentando um futebol pífio, e na entrevista do treinador que citava que a equipe voltava fortalecida para a sequência da temporada.

Muitos já confirmavam a demissão de Eutrópio, e junto cogitavam nomes como Argel, Aguirre e Celso Roth para assumir o clube, uma derrota para o Palmeiras seria o fim da linha para o técnico. Poucos acreditavam em resultado contrário, tendo em vista um dos principais elencos da América do Sul.

O duelo das duas equipes verde e brancas vem desde 2013 quando ambos foram os destaques da Série B, com muita história no confronto, mais uma página foi escrita na noite deste domingo (20), a mesma Chapecoense que apresentou um futebol medíocre contra o Urawa Reds, aproveitou as duas únicas oportunidades para marcar e garantir a vitória por 2x0, trazendo os sorrisos de volta a cidade de Chapecó.

Durante toda partida, quem teve maior posse de bola foram os donos da casa com 59%, e iniciou o primeiro tempo partindo pressionando, enquanto a Chapecoense se fechava, e buscava sair nos contra-ataque.

Aos 21 minutos Jandrei mostrou que estava lá para surpreender, e espalmou o chute de longe de Edu Dracena para linha de fundo. Quando o goleiro falhou 10 minutos depois, foi a vez da zaga Chapecoense afastar antes da chegada de Willian para finalizar.

A Chapecoense jogava por uma bola, nos contra-ataques e principalmente nas bolas paradas, foi assim que aos 38 minutos, Reinaldo cobrou falta, a zaga Palmeirense falhou e Fabrício Bruno apareceu livre para empurrar no fundo das redes de Fernando Prass, abrindo o placar no Allianz Parque.

Atrás do placar no primeiro tempo, a torcida pressionava os donos da casa, Cuca desesperado voltou com duas alterações saíram Roger Guedes e Thiago Santos, Tchê Tchê e Keno entravam buscando mudar o andamento da partida. A Chapecoense também voltou com uma alteração, Wellington Paulista entrou na vaga de Arthur machucado.

O segundo tempo iniciou como todos imaginavam, com um Palmeiras buscando pressionar, já a Chapecoense fechada, e que buscava se livrar da bola e torcer para o tempo passar o mais rápido possível.

O maior vilão Chapecoense era o relógio, o tempo fazia o torcedor ficar angustiado, e a cada ataque Palmeirense virava um ataque cardíaco. Logo aos 8 minutos Keno teve a primeira chance de igualar o placar, porém o atacante chutou a esquerda de Jandrei, desperdiçando a oportunidade.

Jandrei era um dos principais nomes da noite, junto com Moisés Ribeiro e Fabrício Bruno, aos 42 minutos o goleiro operou um milagre e salvou novamente os visitantes do empate, após escanteio cobrado por Tchê Tchê, Deyverson subiu mais que a zaga e cabeceou forte para grande defesa de Jandrei.

Restavam mais 5 minutos, era a chance de voltar a vencer no campeonato e sair pelo menos por enquanto da zona do rebaixamento, a Chapecoense pouco tentava criar no ataque, e novamente tentava se livrar o mais rápido possível da bola. O Palmeiras se jogava ao ataque, e abria a zaga, foi assim que aos 49 minutos, Wellington Paulista deu belo passe para Túlio de Melo, que livre e em condição legal, chutando sem chances de defesa para Fernando Prass, e assim aliviando o coração verde e branco catarinense.

A confirmação da vitória quebrou um tabu da Chapecoense nunca ter vencido jogando em São Paulo, tirou o clube da zona de rebaixamento e ainda deu uma sobrevida ao técnico Vinícius Eutrópio.

A equipe volta a campo na próxima quarta-feira (23), quando recebe na Arena Condá o Corinthians, às 19h30min, em duelo adiado da 20° rodada do Campeonato Brasileiro.


Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.