Header Ads

Assalto à mão armada

Fala nação azul, creio que ninguém esta de bom humor, o nosso domingo azedou pelo simples fato desse resultado completamente injusto diante do São Paulo. O Cruzeiro não merecia perder esse jogo, apesar de ter tomado um gol no final do primeiro tempo, correu atrás e conseguir virar a partida, marcou se defendeu todo mundo, porém esqueceu-se de marcar o “jogador” mais importante do São Paulo, o juiz.

Assalto á mão armada, não consigo nem expressar com palavras aquilo que estou sentindo e o que eu senti após aquela cobrança de pênalti, falar que aquilo foi penalidade máxima é uma ofensa ao torcedor, e é desse jeito que vão conseguindo acabar com o futebol. Talvez, só talvez, um empate de 2x2 seria mais justo, pelo fato de ter sido resolvido pelos jogadores, sem ajuda extra. 

Foto: Marcello Zambrana / Light Press / Cruzeiro

Gilberto, por favor, largue o futebol e vá atuar na rede globo, juro que estou impressionada com seu talento, entra ano e sai ano, infelizmente essa história se repete, essa é a pior parte de jogar contra os times do eixo Rio-SP, depois existem as criticas e alguns torcedores falam que é “mimimi”, bom além de hoje, tenho outro exemplo contra o Corinthians, um “pênalti” cobrado por Ronaldo que custou um titulo em 2010.

Enfim, o resultado não condiz com o que realmente aconteceu durante o duelo, a verdade é que por mais que estava longe de casa, a Raposa dominou o confronto foi pressão do inicio ao fim. Sim, só na etapa inicial teve pênalti perdido por Sassá, que se fosse gol a historia poderia ser completamente contrária, mas no fundo entendemos que penalidade máxima é sorte. O Maior de Minas conseguiu criar várias oportunidades e como sempre todas as chances foram mal finalizadas, custou caro? Com certeza, não foi coincidência que fomos com desvantagem para o intervalo.

Foto: Marcello Zambrana / Light Press / Cruzeiro

Etapa final, pressão cruzeirense continuou, virou o resultado por 2x1, valeu Sassá, você se redimiu. Fomos surpreendidos em uma cobrança de escanteio e Arboleda deixou tudo empatado, antes o jogo tivesse acabado por ai, porque uma decisão errada de um juiz caseiro e incompetente comprometeu o meu Cruzeiro, então não sou obrigada a comentar novamente de um lance indiscutível e ainda mais quando é um lance que não existiu.
Vida que segue, não existe isso de abaixar a cabeça, já sabemos que nossa luta é contra tudo e todos. O sentimento não para, não muda, vamos Cruzeiro.


Paula Fernandes/@Paulinha_CEC

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.